Para Protéticos

Ateliê Oral Meeting: o que vimos?

Ateliê Oral Meeting: o que vimos?
Compartilhar | Comentar

Estive no belíssimo evento do Ateliê Oral Meeting, um dos melhores congressos que já participei, com palestrantes consagrados, organização impecável, padrão Ateliê Oral de qualidade.

Neste evento os participantes puderam contar com algo inédito, uma mesa redonda formada por técnicos em prótese, um momento único com o tema “O outro lado da moeda”. Um grupo contendo alguns dos melhores técnicos do Brasil e do mundo, reunidos para discutir situações da prática diária, um momento ímpar de muito aprendizado e reflexão.

O outro lado da moeda

No meio do debate, um ponto me chamou a atenção: uma visão atual sobre a nova era da odontologia, o mundo digital. Evidente que tratamos de um assunto relativamente novo e com uma velocidade de evolução assustadora, entretanto, ouvi de alguns profissionais que respeito e tenho enorme admiração, uma visão diferente da qual tenho vivenciado e acompanhado.

Ateliê Oral Meeting: CAD/CAM

Quando o CAD/ CAM entrou no Brasil como estratégia de negócio, as empresas o divulgaram, na minha opinião, de maneira equivocada. Foi comunicado que a tecnologia digital teria a capacidade de substituir o laboratório de prótese, e que o modo Chair Side (início e finalização no mesmo dia no consultório) seria a maneira mais rápida e eficiente de se trabalhar. Esse conceito foi amplamente difundido e, com o tempo, observando inclusive a tendência mundial, ficou explícito que a aplicação Chair Side poderia não ser tão eficiente, abrangente e, principalmente rentável quanto foi proposto inicialmente.

Voltando ao evento do Ateliê Oral, observei que esse conceito ainda assombra a imagem da odontologia digital e é importante ressaltar que CAD é uma fase do processo e deve ser conduzida pelo profissional clínico. Já o CAM é outra fase complementar que pode, na maioria dos modelos de negócios dos consultórios no Brasil, ser realizado pelos laboratórios de prótese e contar com toda a expertise e controle de qualidade de um laboratório com protocolos digitais. E ainda, com a evolução dos materiais e aprimoramento das técnicas, poderemos nos aprofundar e garantir viabilidade clínica aos profissionais, independente da especialidade e modelo de negócio.

Uma nova era na odontologia

Felizmente a odontologia digital é um caminho sem volta, por isso é importante contarmos com os grandes nomes do mercado como referência. Quando o processo é corretamente direcionado, seus resultados beiram à perfeição, não só pela precisão que os trabalhos científicos nos embasam, mas também pelo resultado estético que nos proporciona em um curto espaço de tempo em relação a outros fluxos de trabalho.

Acredito que precisamos focar nas oportunidades que essa nova era traz, pois assim fortaleceremos ambos (consultório e laboratório), cada um desenvolvendo o que mais tem de know-how e foco de trabalho.

Contudo, independentemente de qualquer posicionamento realizado no Meeting do Ateliê Oral, não tenho dúvidas de que todos possuem habilidades inquestionáveis, e que, dado o foco correto, certamente teremos contribuições ímpares sobre esse processo.

Autor:

Felipe Araújo – Cirurgião-dentista. Especialista em Implantodontia. Mestre em Implante. Coordenador da especialização em Implante da ABO SP.

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.