Casos Clínicos

Aura SDI: Um conceito diferente em Resinas Compostas.

Aura SDI: Um conceito diferente em Resinas Compostas.
Compartilhar | Comentar

A evolução das resinas compostas nos dá, atualmente, a oportunidade de trabalhar com materiais capazes de mimetizar quase que perfeitamente as características ópticas do elemento dental.

Por mais avançada que seja a tecnologia aplicada ao produto, este só será eficiente se o cirurgião dentista for capaz de entender o sistema de resinas que trabalha, a fim que seja possível aplicar de forma perfeita.

A Aura SDI é um sistema de resinas que funciona de forma simplificada, no qual as massas foram desenvolvidas simulando os diversos graus de saturação da dentina e de valor do esmalte.

Cor em dentes naturais:

A escala Vita Classical é a forma mais difundida de comparação e seleção de cor de dentes naturais. Porém a utilização desta escala tem algumas limitações. As duas principais são:

– A grande maioria dos sistemas de resinas compostas não são fiéis a escala;

– A escala Vita baseia-se em apenas 2 dimensões da cor (matiz e croma), não levando em consideração a 3a dimensão (valor).

Para melhor entendimento, o matiz é a cor propriamente dita (A, B, C ou D). O croma pode ser definido como os níveis de saturação da cor, representado pelos números (ex.: A1, A2, A3, A3,5, A4).

O valor é a dimensão de cor que nos distingue se uma cor é mais luminosa (maior valor) ou menos luminosa (menor valor), dentro de uma escala de cinza. Por exemplo, um corpo mais opaco é mais luminoso (tem maior valor) e um corpo mais translúcido tem menor valor. Esta é a característica mais importante na hora de se observar as características do dente natural. Pensando no elemento dental, a dentina é a estrutura opaca e o esmalte é a estrutura translúcida.

Desta forma, fica mais fácil entender que as resinas com cores de dentina definem a cor do dente, e o esmalte funciona como um modulador do valor, ou seja, deixando os dentes mais claros ou mais acinzentados.

No sistema Aura – SDI, as cores de dentina foram definidas somente em função do croma. A partir da cor básica da dentina, a indústria desenvolveu cores mais saturadas (mais escuras) ou menos saturadas (mais brancas). As cores de dentina são chamadas de Dentin Chroma, representadas pela sigla DC e ordenadas por sua saturação sendo 7 para dentes naturais (DC1, DC2, DC3, DC4, DC5, DC6, DC7) e uma para dentes clareados (Db). As cores de esmalte são representadas pelas cores E1, E2 e E3 de acordo com o valor (de maior valor para menor valor). Uma escala de cor do compósito, fornecida junto ao kit, pode ajudar na seleção das massas de dentina e esmalte.

Estas características desta resina podem ser observadas nas imagens a seguir:

Fig. 1
FIG 1: Imagem mostrando as cores de esmalte da resina Aura – SDI (E1, E2, E3)

 

Fig. 2
FIG 2: Imagem com as diferentes cores de esmalte (E1, E2, E3) associadas a uma cor única cor de dentina (DC3) mostrando os níveis de valor obtidos pela modulação de cor das cores de esmalte.
3
FIG 3: Imagem com as diferentes cores de dentina (Db, DC1, DC2, DC3, DC4, DC5, DC6, DC7) associadas a uma única cor de esmalte (E2) mostrando os diferentes níveis de saturação das massas de dentina.

A forma de utilização deste sistema pode ser observada na seguinte sequência em manequim:

4
FIG 4: Situação inicial de uma faceta com redução incisal com utilização de uma guia de silicone palatina para restauração.

 

5
FIG 5: Resina de esmalte palatino (E1) posicionada com a ajuda da guia de silicone palatina.
6
FIG 6: Resinas de dentina sendo utilizadas. Uma dentina mais saturada no terço cervical (DC3) e uma dentina menos saturada (DC2) para terços médio e incisal. Observar a escultura dos mamelos incisais.

 

7
FIG 7: Resina de uma maior translucidez aplicada nos espaços entre os mamelos. Opcionalmente, um corante para resinas compostas pode ser utilizado para alcançar algumas características como manchas brancas, saturação cervical dentre outras.
8
FIG 8: Resina de esmalte aplicada por sobre a dentina artificial, construindo assim a superfície vestibular (E1).
9
FIG 9: Resultado final após procedimentos de acabamento e polimento das restaurações. A ideia de fazer a estratificação em manequim não é para simular cor e sim treinamento de forma, pois o manequim não tem as características ópticas do dente natural.
10
FIG 10: Resultado final por uma vista lateralizada, mostrando a capacidade de polimento da resina de esmalte Aura – SDI
11
FIG 11: Imagem mostrando a translucidez incisal obtida com este sistema.

As imagens 12 e 13 mostram uma comparação do tipo antes/ depois com a utilização do sistema Aura SDI. O tratamento executado foi clareamento de despolpados pela técnica imediata (duas sessões), cimentação de pino de fibra de vidro com cimento autoadesivo Set PP (SDI) e restauração com resina composta Aura SDI nas cores DC3 e E2.

12
FIG 12: Dente 11 escurecido pós tratamento endodôntico.

 

13
FIG 13: Dente 11 após o tratamento restaurador.

Orientação Profissional:

Jorge Eustáquio

Mestre em Dentística – CPO São Leopoldo Mandic – Campinas – SP

Coordenador do Curso de Especialização em Dentística da ABO – Maceió – AL

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.