Casos Clínicos

Caso clínico: remodelação cosmética do sorriso com laminados cerâmicos devido a desgaste dentário patológico.

Caso clínico: remodelação cosmética do sorriso com laminados cerâmicos devido a desgaste dentário patológico.
Compartilhar | Comentar

Introdução do caso clínico

O desgaste dentário gera perda gradual não cariosa de estrutura dos dentes, devido ao contato físico repetitivo ou ataque químico. De antemão, ele apresenta característica multifatorial, dificultando a identificação de uma única causa em cada paciente. Assim sendo, o desgaste oclusal e incisal, na maioria das vezes, são resultados de duas causas principais: oclusal e estresse emocional.

O desgaste patológico do dente é um termo utilizado nos casos em que a frequência e rapidez do processo parafuncional afetam a longevidade dos dentes e das guias anteriores. Do mesmo modo, casos como esse exigem a restauração estética e funcional dos dentes desgastados.

O tratamento (por meio de restaurações do tipo facetas laminadas) está indicado para restabelecer as guias de desoclusão e estética desses pacientes. Assim sendo, pode-se utilizar como alternativa de tratamento de coroas totais. Dessa forma, o avanço dessa modalidade de tratamento e o desenvolvimento do sistema adesivo possibilitaram resultado estético e funcional excelentes.

Sobretudo, o planejamento digital do sorriso é uma ferramenta que fornece uma imagem do diagnóstico. Seu principal objetivo, é melhorar a comunicação entre o dentista, o paciente e o técnico, aumentando a previsibilidade do resultado. Inclusive, nesse processo de planejamento digital, todos os envolvidos podem avaliar características de restabelecimento incisal após desgaste dentário. Assim, permite-se avaliar e discutir à execução, além da possibilidade de demonstrar ao paciente o planejado.

Em suma, este trabalho tem por finalidade descrever a técnica restauradora indireta para paciente que apresenta “desgaste patológico dos dentes”, após demonstração de um planejamento digital.

Relato do caso

Paciente de 45 anos, gênero masculino, procurou atendimento por estar descontente com o aspecto de seus dentes. Observou-se desgaste dentário oclusal-incisal, especialmente em seus dentes anteriores superiores (Figura 1A). A partir disso, os exames sugeriram diagnóstico de “desgaste patológico do dente”.

Figura 1A – Visão aproximada dos desgastes incisais

Primeiramente, as moldagens dos arcos dentários e respectivos modelos de estudo foram feitos e fotografias iniciais. Para desenvolvimento do planejamento digital foi utilizado o software Digital Smile Design na versão para iPad. Em seguida, as fotos de face frontal e intraoral dos dentes superiores foram inseridas. Observa-se que, com linhas de referência, pode-se desenhar os dentes mudando seus comprimentos na região incisal por transparência na opção que o software permite.

Materiais e descrição de como foram utilizados

Logo após aprovação do paciente, o planejamento digital auxiliou no planejamento por meio da reconstrução morfológica em cera (Figura 3). Um mockup foi feito com resina bisacrílica para que a paciente pudesse avaliar o novo formato e tamanho dos dentes. A partir disso, os dentes foram preparados de forma minimamente invasiva. Bem como, uma delimitação foi feita na região cervical e a moldagem foi feita com Variotime (Kulzer) em dois passos. Logo após, a seleção da cor foi feita com escala Pala (Kulzer). Os laminados foram feitos com cerâmica usinada, VITA Suprinity, com base de reforço de silicato de lítio. Em seguida, as restaurações foram individualizadas pela técnica de pigmentação com VITA AKZENT (Figura 4).

Em síntese, as faces internas das restaurações cerâmicas foram condicionadas com ácido fluorídrico por 20 segundos. Imediatamente a superfície foi lavada e, em seguida, foi feita a aplicação do agente silano. O adesivo foi aplicado e polimerizado conforme as orientações do fabricante (GLUMA 2 Bond – Kulzer).

Logo depois, foi feito o isolamento modificado do campo operatório e a profilaxia dos dentes. Após a proteção dos dentes adjacentes, foi feita a aplicação do sistema adesivo (GLUMA 2 Bond – Kulzer) nos dentes preparados, conforme instruções do fabricante. Ao mesmo tempo, o cimento foi aplicado na face interna da restauração e levado em posição. Posteriormente, os excessos de cimento foram removidos da face proximal com fio dental e, das facetas vestibular e lingual, com sonda exploradora número 5.

Por fim, após a cimentação, os contatos oclusais foram verificados e ajustados. O aspecto final pode ser observado na figura 7A e B.

Conclusão do caso

Assim sendo, o uso do sistema restaurador indireto para remodelação do sorriso pode representar uma alternativa viável. Desta forma, pode-se restaurar não apenas a estética individual de cada dente, mas de toda composição dentária. Ou seja, o planejamento digital pode facilitar a visualização do resultado final pelos envolvidos no tratamento (dentista, paciente e técnico).

Autores: Leonardo Fernandes de Cunha; Carla Castiglia Gonzaga; Gabriela Andrade Serpa; Gisele Maria Correr. 

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.