Casos Clínicos

Caso clínico reabilitação protética: cimentação de retentor com Set PP

Caso clínico reabilitação protética: cimentação de retentor com Set PP
Compartilhar | Comentar

Introdução do caso apresentado

O uso de retentores intra-radiculares é um procedimento bastante realizado na Odontologia contemporânea. Sendo indicado como forma de aumentar a retenção de um núcleo de preenchimento, normalmente realizado em resina composta, em dentes que necessitam de algum tipo de reabilitação protética, e que se encontram com grande destruição coronária.

Há alguns anos, os núcleos metálicos fundidos tem sido cada vez menos utilizados, principalmente devido ao grande risco de fratura longitudinal que é inerente à técnica. Ao invés deles, tem-se observado um aumento no uso de retentores de fibra de vidro, que ao serem cimentados adesivamente no conduto radicular, formam um “conjunto único” entre retentor, cimento e dentina radicular. Eles acabam por dissipar as forças mastigatórias no longo eixo da raiz, diminuindo assim o risco de fratura radicular.

Para que este efeito no entanto seja conseguido, existe a necessidade de cimentação deste retentor com um cimento resinoso, o que acaba por indicar também a necessidade de utilização de um sistema adesivo dentro do conduto radicular. No entanto, esta utilização não é muito fácil de ser feita, e a possibilidade de erros durante a técnica de utilização do sistema adesivo no interior do conduto radicular pode comprometer a cimentação adesiva.

Para solucionar este problema, os cimentos resinosos auto-adesivos surgem como uma boa alternativa para a cimentação de retentores intra-radiculares. Estes cimentos, como o próprio nome diz, são auto-adesivos e autocondicionantes, o que significa que não necessitam da utilização de um sistema adesivo previamente ao seu uso.
A SDI lançou um cimento nesta categoria, o Cimento Resinoso Dual Set PP, e para ilustrar a sua utilização, foi realizado o caso clínico abaixo.

Relato do caso clínico com Set PP

Paciente procurou o nosso serviço na Universidade queixando-se da fratura existente no dente 26. Após exame clínico, constatou-se a necessidade de utilização de um retentor intra-radicular (Imagem 1).

Após a realização do isolamento absoluto do campo operatório, a remoção da guta percha foi realizada com broca tipo Gates (Imagem 2), e o conduto foi alargado e preparado com broca tipo Largo (Imagem 3).

Uma vez realizado o preparo do conduto, o retentor foi testado em posição (Imagem 4).  Uma vez aprovada a seleção do retentor, adaptou-se uma matriz pré-contornada em torno do dente 26 (Imagem 5).

Para a realização da restauração, optou-se pela utilização do sistema Adesivo STAE, com condicionamento ácido prévio do esmalte. O condicionamento realizado com o ácido fosfórico Super Etch (Imagem 6) foi por 30 segundos em esmalte e 15 segundos em dentina, apenas na porção coronária do dente 26.

Da mesma maneira, o sistema adesivo foi utilizado conforme as instruções do fabricante apenas na porção coronária (Imagem 7).

Terminados os procedimentos adesivos, o cimento Set PP foi manipulado em sua ponta de auto-mistura. No entanto, como o conduto era muito fino, foi utilizada uma ponta agulhada para inserção do cimento no interior do conduto (Imagens 8 e 9).

Uma vez inserido no conduto, o pino foi levado em posição e o cimento fotoativado (Imagens 10 e 11).

Terminada a cimentação do retentor, iniciamos o preenchimento do utilizando a resina AURA (Imagem 12).

Finalizada a confecção do núcleo, o retentor foi cortado, o isolamento e a matriz foram removidos e o dente ficou pronto para a confecção posterior do preparo protético (Imagem 13).

Passo a passo da cimentação de retentor com Set PP

Como se pode perceber neste relato, o Cimento Resinoso Dual Set PP, da SDI, é um material extremamente simples de se utilizar. Facilitando o dia a dia do cirurgião(ã)-dentista que deseja oferecer aos seus pacientes um tratamento estético de qualidade.

Autor: doutor Marcos de Oliveira Barceleiro – Especialista, Mestre e Doutor em Dentística – UERJ; Professor Associado da Universidade Federal Fluminense, Campus de Nova Friburgo (Rio de Janeiro); Professor do Mestrado em Odontologia da UFF, Campus de Nova Friburgo.

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.