Gestão e Marketing

Cinco dicas para melhorar suas finanças no consultório

Cinco dicas para melhorar suas finanças no consultório
Compartilhar | Comentar

Não existe mágica. Para ter dinheiro é preciso gastar menos do que se ganha e poupar. Para melhorar as finanças do consultório é preciso entender alguns conceitos básicos e algumas dicas importantes para melhorar a relação com o dinheiro.

Conceitos básicos

1 – Em primeiro lugar, separe a sua conta bancária pessoal da conta bancária do consultório. Não misture as duas em hipótese alguma;

2 – Estabeleça um pró-labore (salário) para você e defina um dia fixo para a retirada. Exemplo, o dia cinco de cada mês. Organização e disciplina são fundamentais, portanto, nada de retiradas extras;

3 – Calcule com cuidado os custos da sua hora clínica, assim será possível cobrar um valor justo por cada procedimento. Resumindo, devemos dividir o custo fixo do consultório (água, telefone, luz, impostos, marketing, condomínio, manutenção, salário dos funcionários, pró-labore) pelas horas trabalhadas no mês para chegar ao custo da hora clínica.

Dicas

  • Seja um comprador: peça descontos em todas as situações de compra, especialmente àquelas em que pagará à vista;
  • Aprenda a comprar bem: para isso é necessário ter disciplina, autocontrole e saber planejar. Antes de comprar os materiais odontológicos faça uma pesquisa de preço. Fazer uma lista de compras antes é uma regra básica para adquirir apenas o que é necessário, sem que haja desperdícios. Pague à vista e não esqueça do desconto;
  • Prepare uma lista de bens que deseja comprar para o consultório: TV, computador, equipo, ultrassom, fotopolimerizador. Tudo isso requer planejamento. Pague à vista, valorize seu dinheiro e ganhe descontos. Livre-se dos cartões. Comprar a prazo torna você mais pobre;
  • Fique atento e analise seus gastos mensais: telefone, luz, protético, contador etc. Estes custos estão adequados a quanto você deve gastar mensalmente? Que tal fazer uma revisão geral visando redução de gastos? Tome a decisão de readequar tudo ao seu bolso;
  • Invista com sabedoria: está na hora de você procurar mais informações sobre finanças! Inicie buscando informações no próprio banco em que é correntista e vá além da tradicional ”caderneta de poupança”.

Seguindo essas dicas você terá uma visão objetiva do consultório, saberá quais são os custos que deverão ser ajustados e se os preços cobrados aos pacientes particulares são adequados. Só assim a conta estará no azul e os seus sonhos não serão adiados para daqui a 10 anos.

Até a próxima!

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.