Odontopediatria

Conheça mais sobre o Tratamento Restaurador Atraumático (ART)

Conheça mais sobre o Tratamento Restaurador Atraumático (ART)
Compartilhar | Comentar

A cárie pode ser considerada uma das maiores preocupações dos cirurgiões-dentistas em todo o mundo. Uma das alternativas para o controle da sua evolução, baseada em mínima intervenção e de baixo custo, é o conceito de Tratamento Restaurador Atraumático (Atraumatic Restroative Treatment – ART).

Conheça mais sobre o Tratamento Restaurador Atraumático

O Tratamento Restaurador Atraumático (ART) une procedimentos restauradores e preventivos, removendo o tecido cariado amolecido infectado com auxílio de instrumentos manuais e restaurando as cavidades e sulcos. O cimento de ionômero de vidro de alta viscosidade é muito utilizado, e sempre realizado sob isolamento relativo do campo operatório. Após o tratamento, o paciente deve receber instruções de dieta e higiene. É necessário que tenha continuidade em programas preventivos.

A simplicidade desta técnica permite em alguns casos o controle da dor, sem necessidade do uso de anestesia e a ausência do barulho do micromotor. Assim, contribuindo para um tratamento com menos desconforto e com maior contribuição do paciente favorecendo o bom comportamento do mesmo.

O ART é muito utilizado em consultórios e, dependendo da necessidade, pode ser realizado em locais sem eletricidade, de difícil acesso e sem equipamento odontológico. Desta forma, o dentista pode realizar esse tratamento em diversas situações, não há limitações para a utilização desta técnica. Em sua maior parte, o ART é feito em crianças e idosos, em função da redução do tempo de trabalho quanto ao nível de estresse durante a sessão odontológica. Uma vez que crianças e idosos tendem a ter uma tolerância menor ao tratamento.

Em diversas situações o ART traz benefícios aos pacientes em relação ao tratamento convencional, como por exemplo em:

  • Comunidades carentes;
  • Zonas rurais;
  • Escolas de rede pública;
  • Indicação psicológica em pacientes especiais, ansiosos, idosos, crianças;
  • Indicação médica, onde a anestesia local não é indicada, por exemplo, pacientes acamados e hospitalizados

Sob um cenário científico positivo, podemos afirmar que é possível promover a saúde bucal de maneira simples e eficaz.

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.