Mercado

Já ouviu falar em consultórios farmacêuticos?

Já ouviu falar em consultórios farmacêuticos?
Compartilhar | Comentar

Vocês devem estar perguntando: o que biossegurança tem a ver com isso?

Na verdade, aqui falo dos cuidados pessoais, informando o que de mais novo posso passar em informações e produtos garantindo facilidades e saúde para a equipe e o paciente. E como consultora de negócios em saúde, preciso estar sempre com a informação à frente, vendo nichos e oportunidades.

Esses espaços são destinados ao atendimento personalizado oferecido pelo farmacêutico. Conceito que foi definido em portaria de 2013 do Conselho Federal de Farmácia.

Como funcionam?

É um espaço onde o farmacêutico pode atender as pessoas preservando a individualidade da consulta, o que não seria possível em um local onde transitam outras pessoas e se dispensam medicamentos, como no balcão, o que vem acontecendo desde 2014.

Nesses atendimentos o profissional pode avaliar o conjunto de remédios que o paciente está tomando, orientar sobre a melhor forma de tomar a medicação, ouvir o paciente sobre sua evolução clínica, fazer contato com o médico ou outros profissionais da saúde que acompanham o paciente para discutir o tratamento e indicar medicamentos isentos de prescrição médica.

Segundo pesquisas já existem quase 1500 pelo país; Número baixo levando em conta 80 mil farmácias distribuídas pelo Brasil.

 Que atendimentos podem ser feitos nos consultórios farmacêuticos?

  • Orientação ao paciente sobre como usar medicamentos prescritos;
  • Avaliação do conjunto de medicamentos usados pelo paciente quanto a dosagem, horário de consumo e possíveis interações;
  • Comunicação com outros profissionais da saúde que atendam o paciente para emitir parecer farmacêutico e discutir tratamentos de forma integrada;
  • Encaminhamento de paciente à profissionais da saúde;
  • Conversar com o paciente sobre sintomas e evolução da doença;
  • Caso necessário, pedido de exames laboratoriais e realização de medidas como as de pressão e temperatura;
  • Registro de ações em prontuário do paciente;
  • Prescrição de medicamentos que sejam isentos de prescrição médica.

Que atendimentos NÃO podem ser feitos nos consultórios farmacêuticos?

  • Receita de medicamentos que exigem prescrição médica;
  • Mudança de remédios indicados por médico;
  • Procedimentos de execução exclusiva por médicos.

O atendimento no consultório farmacêutico pode começar de duas formas:

1 – Em algumas situações, o próprio paciente procura o farmacêutico com queixas de saúde ou dúvidas sobre seu tratamento.

2 – Em outras, o farmacêutico detecta uma situação atípica durante o atendimento no balcão e convida o paciente para uma consulta.

Não precisa marcar hora e o atendimento não é cobrado. O farmacêutico cadastra os dados do paciente em um tipo de prontuário e, se necessário, marca um retorno. Durante a consulta, ele pode fazer medidas como a de pressão, temperatura e glicose. Caso considere necessário, pode encaminhar o paciente para outro profissional de saúde.

Confesso que quando comecei a ler uma matéria falando sobre o assunto fiquei meio assustada. Mas, fui vendo que se cada um se manter atento a sua área, os pacientes só têm a ganhar como nesse caso especifico para pacientes idosos.

Por vezes, o paciente passa por três especialistas e um não sabe o que o outro prescreveu. O paciente traz os receituários a farmácia, é feita uma avaliação farmacoterapêutica e entregue um relatório. Ele leva ao médico que pode, a partir disso, reavaliar a medicação.

Uma das coisas que esses consultórios querem acabar é com a automedicação! Os clientes que forem ao consultório serão orientados de uma forma muito mais técnica e responsável, e tudo registrado para que o profissional responda legalmente pelos procedimentos.

Segundo a reportagem, o farmacêutico clínico veio para agregar; ser um elo entre o paciente e o médico.

Creio que se todos estão atuando em sua área e fazendo seu trabalho de acordo com o estabelecido e com ajuda de outros profissionais (se complementando), claro que muito bem embasados e documentados, todos nós só temos a ganhar.

Leiam o artigo na integra e compartilhem suas opiniões aqui!

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.