Gestão e Marketing

Saiba como controlar o fluxo de caixa do seu consultório

Saiba como controlar o fluxo de caixa do seu consultório
Compartilhar | Comentar

Essa dica eu gostaria de ter conhecido quando montei o meu consultório, porque me possibilitaria ter mais segurança financeira, lucro e qualidade de vida há mais tempo.

Quando você trabalha como assalariado, há a vantagem da previsibilidade de fluxo de caixa, pois o salário tende a cair na sua conta bancária independente de ter ou não uma boa performance no consultório. Já quando você é um profissional autônomo as coisas não funcionam assim pois existem muitos fatores externos.

Com certeza, que o limite do profissional liberal é muito maior. Acho que nos permite liberdade e abundância financeira, e eu mesmo não consigo me ver apenas como um profissional assalariado.

Uma das principais responsabilidades dos profissionais liberais é controlar o seu fluxo de caixa, pois há muitos riscos envolvidos nessa atividade. Li recentemente, numa reportagem, que cerca de 90% dos negócios não vão a falência porque o produto é ruim ou porque não tinham clientes, e sim porque o fluxo de caixa não foi controlado.

Reserve uma quantia para a maré baixa

Vamos a um exemplo: você começa a ganhar um bom dinheiro em seu consultório e compra um carro da BMW, um dos melhores e mais caros do mercado. Entra mais um pouco e você compra um apartamento de cobertura num bairro valorizado. Porém, depois de alguns meses ou anos de bons negócios realizados e fluxo de caixa positivo, vem uma depressão econômica; uma crise de petróleo, financeira ou política no país que, naturalmente, atinge em cheio seu consultório. Você começa a se ver de mãos atadas para continuar atuando, pois não tem dinheiro para manter os custos do seu consultório.

O empreendedorismo e a economia tem ondas de prosperidade; são altos e baixos, são períodos que vão e vem e, dificilmente, se consegue prever quando vai ocorrer a virada. Você precisa saber surfar nessa onda. E se não tiver um fluxo de caixa para segurá-la quando vier uma onda de baixa no mercado, você estará em apuros.

É importante você saber o custo mensal do seu consultório (água, telefone, luz, impostos, marketing, condomínio, manutenção, salário dos funcionários, pró labore etc.) para construir um fundo de reserva que lhe possa ficar alguns meses sem trabalhar caso você fique doente ou não tenha cliente novos que possam pagar todo custo. O ideal é ter uma reserva de caixa de um ano. Isso dá tempo para analisar o consultório e entender por que o faturamento e o número de clientes novos diminuíram, descobrir como dar a volta por cima e começar a aumentar a clientela.

Sem essa reserva de fluxo de caixa, você ficaria sob pressão quando seu fluxo de caixa está baixo. E sob pressão ninguém opera muito bem e não é muito criativo. Além de outros fatores já falados em artigos anteriores, como a ansiedade e a preocupação de fechar orçamentos dando descontos grandes para não perdê-los, que diminui muito ou zera a porcentagem de lucro.

Agora, quando houver uma baixa no fluxo de caixa, você ainda tem uma reserva para continuar tranquilo, sem preocupação. Assim pode ligar o turbo da criatividade com algum tempo para reagir.

Metas são importantes

Sempre coloquei metas em tudo. E quando percebia que essas metas eram fáceis, logo perdia a motivação. Por outro lado, eu ficava chateado se colocasse uma meta difícil e não conseguisse cumprir. Ficava irritado e tenso porque sabia que podia ir mais longe, mas me sentia mal por ter desapontado a mim mesmo.

Quando ficamos chateados, desapontados temos a tendência de lutar e arriscar menos. Um dia, no entanto, li um livro que me ensinou a regra das três metas. E, a partir de então, toda vez que penso num projeto, crio três metas. Essa estratégia transformou-se em uma regra depois que li este livro.

A primeira meta é aquela fácil de se atingir. É a meta mínima e, em 99% das vezes consigo concluir. Ela me faz subir um degrau e entrar no campo de batalha.

A segunda meta é a que me deixa satisfeito, onde celebro na cabeça e no coração. É aquela que me faz chegar em casa, depois de um dia de trabalho, com a sensação de dever cumprido.

A terceira meta é a excepcional, que considero possível, mas desafiadora. É a meta que me faz superar todos os meus limites. E só é atingida quando tudo dá 100% certo e supera todas as minas expectativas.

Quando utilizamos esse método atingimos pelo menos uma meta e, na maioria das vezes, atingimos também a segunda, da satisfação. A terceira? Só consigo em 30% dos casos. E isso significa que ela não é tão inatingível assim. E desse jeito consigo envolver minha equipe ainda mais.

Esses três tipos de metas me fazem entender como estou operando, pois elas devem ser determinadas antes do jogo. É importante você envolver toda equipe, ela fica mais poderosa quando todos se sentem parte de um projeto.

Acredite no seu sucesso

É muito importante você acreditar que o sucesso é possível e que seu projeto é viável. Autoconfiança é fundamental. Assim como o autoconvencimento. Esses dois elementos te conduzem, mas não se deixe trair por eles. Pratique a humildade e a autocrítica e esteja sempre atento às críticas externas; mesmo as injustas podem alertá-lo para aspectos do seu comportamento ou atitudes que podem ser corrigidas ou aperfeiçoadas. O sucesso não acontece por acaso.

Estamos na era da informação, que poderia, muito bem, ser chamada de a “A Era da Distração”. É comum perder a concentração com algum estímulo (redes sociais, etc.) e esquecer o que estávamos fazendo antes. Uma mensagem do WhatsApp, um comentário no Facebook. Não deixe que os ladrões do tempo peguem você. Distrações são, sem dúvida, o maior vilão da produtividade. Sem foco, dificilmente conseguimos nos dedicar à nossa atividade.

Priorize suas atividades

  • Planeje sua agenda na noite anterior. Separe as tarefas por grau de prioridades, e comece o dia resolvendo essas prioridades. Sempre concentrando uma tarefa por vez.
  • Divida o seu tempo de maneira inteligente, assim sua vida vai se equilibrar.
  • Não esqueça de um tempo livre para você. Quem trabalha sem parar acaba doente. O trabalho intenso precisa de compensações: respire fundo, repouse, fale sobre outros assuntos que não trabalho.
  • Recarregue as baterias, exclua o que é supérfluo e foque no seu objetivo.
  • Transforme seus sonhos em realidade.
  • Não fique triste quando não conseguir realizar algo. Isso não pode ser motivo para se acomodar.
  • Você pode ser o que quiser na vida! Uma casa não nasce pronta, ela é construída tijolo por tijolo.

Até a próxima!

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.