Gestão e Marketing

Equilíbrio financeiro – Parte 1

Equilíbrio financeiro – Parte 1
Compartilhar | Comentar

O Planejamento financeiro é cada vez mais importante e relevante na vida das pessoas. É perceptível a diferença entre os que estão em paz com as finanças e aqueles que acham que a renda ou o salário são flexíveis. Infelizmente não são.  Seja  renda ou salário suas despesas não podem ultrapassá-los. Chegar até o final do mês no azul é uma arte. Todo mundo precisa identificar seu ponto de equilíbrio financeiro. Mas ter dinheiro para fechar o mês e pagar as contas não é um sonho é uma questão de responsabilidade. Ninguém vive só para pagar as contas nem quer trabalha até o último dia de vida. Há diversas possibilidades  para o conceito de equilíbrio financeiro e as que adotamos foram obtidas pelos cálculos que seguem.

Exemplo:

Qual é sua idade hoje?
35 anos

Qual é a idade prevista para sua aposentadoria?
60 anos

Qual é o prazo para sua aposentadoria, em anos?
25 anos = (b) – (a)

Qual é a sua renda média mensal?
R$ 6.000,00 (c)

Qual a renda média mensal de sua família?
R$ 5.000,00 (d)

Qual é o valor total aproximado de seus investimentos?
R$ 100.000,00 (e)

Casa, automóvel e outros bens que estejam sendo utilizados por você e sua família não devem entrar na conta dos seus investimentos. Você sabe o que são investimentos conservadores? São aqueles recursos poupados para o longo prazo, investimentos sem risco mesmo que rendam menos, mas que trazem a certeza de ganhos. Em geral, a rentabilidade líquida de investimentos conservadores costuma estar entre 3% e 6% ao ano.

Com essas informações e a estimativa da rentabilidade líquida dos investimentos conservadores, o próximo passo é calcular os indicadores:

  1. Patrimônio Mínimo de sobrevivência
  2. Patrimônio Mínimo recomendado para sua segurança
  3. Patrimônio Ideal para sua idade e situação de consumo*
  4. Patrimônio necessário para a independência Financeira*

Patrimônio Mínimo de sobrevivência (PMS)

É aquele que você precisa para  reorganizar sua vida em caso de desemprego, doença ou plano frustrado em sua atividade profissional ou de negócios. Deve ser uma reserva que tenha liquidez (ex: poupança). A recomendação é que seja de 6 vezes o seu consumo mensal.

PMS = 6x (Gasto médio Mensal da Família (d))

Visto em nosso exemplo os gastos mensais são de R$ 5000,00, o PMS deve ser de R$ 30.000,00.

Recomendação: Se você não tem uma reserva financeira equivalente a seu PMS, deve priorizar a criação dessa reserva à frente de suas demais escolhas. Trocar o carro por um modelo mais barato, vender bens que utiliza pouco ou até mesmo vender a casa para comprar uma mais barata.

Patrimônio Mínimo recomendado para sua segurança

Estar financeiramente seguro significa você ter uma reserva financeira que lhe propicie a segurança suficiente para priorizar as escolhas e seus valores pessoais. O ideal é que você tenha 12 vezes o valor do consumo mensal de sua família. Se você é autônomo o ideal é 20 vezes seu consumo familiar.

PMR = 12 x (Gasto médio Mensal da Família (d))

PMS = 20 x (Gasto médio Mensal da Família (d))

Fazendo um cálculo a partir de gastos de R$ 5.000,00 os valores seriam:

R$ 5.000,00 X 12: R$ 60.000,00

R$5.000,00 X 20: R$ 100.000,00

Atenção: Se você já tem reservas equivalentes ao PMS, não precisa priorizar a constituição do PMR acima das demais escolhas. Porém, sua constituição deve estar entre seus objetivos de médio prazo, vindo antes de férias, troca de casa ou carro e, principalmente, antes de iniciativas como montar um negócio próprio. Aliás, os recursos dessa reserva podem ser considerados como fundos para o capital de giro de um negócio próprio, porém somente acima do limite do PMS. Jamais esgote suas reservas de sobrevivência para um investimento de risco.

A constituição de reservas financeiras suficientes para manter a família durante o período de redução ou interrupção de nossa atividade profissional, ou seja, durante a aposentadoria. Devemos ter acumulados 10% de nosso gasto familiar anual para cada ano de vida.

PI = 10% x [Gasto Médio Anual da Família] x Idade

PI = 10% x [12x Gasto Médio Mensal da Família (D)] x Idade

Seguindo o  nosso exemplo, aos 35 anos com um gasto anual de R$60.000,00 (ou 12 vezes R$5.000,00 mensais), o PI seria de:

PI = 10% x [12 x R$5.000,00] x 35

PI = R$6.000,00 x 35 = R$210.000,00

Considerando  um profissional ativo e ainda está em processo de acumulação patrimonial, o Patrimônio Ideal e situação de consumo é de R$210.000,00, investidos em ativos de liquidez, ou seja, que lhe gerem renda e que possam ser movimentados como alternativas de investimento em caso de necessidade.

– Recomendação: Se você já tem reservas equivalentes ao PMS, não precisa priorizar a constituição do PMR acima das demais escolhas. Porém, sua constituição deve estar entre seus objetivos de médio prazo, vindo antes de férias, troca de casa ou carro e, principalmente, antes de iniciativas de montar um negócio próprio. Aliás, os recursos dessa reserva até podem ser considerados como fundos para o capital de giro de um negócio próprio, porém somente acima do limite do PMS. Jamais esgote suas reservas de sobrevivência para tocar um investimento de risco, como um negócio próprio.

Quando o equilíbrio está longe do ideal

Digamos que, em vez de ter reservas financeiras, sua situação financeira seja bem diferente, tendo contraído algumas dívidas das quais não consegue se livrar ou raramente conseguido alguma sobra de recursos no fim do mês. Ou, então, seu salário praticamente empata com seus compromissos ou, com o pouco que sobra, você às vezes troca de carro ou poupa sem maiores objetivos. Essas situações lhe parecem familiares? Caso lhe pareçam, você não está sozinho.

Menos de 5% das pessoas conseguem manter sua situação financeira dentro das recomendações de equilíbrio. O fato de parecerem utópicas para muitos não as invalidada. Elas servem de referência para que você saiba o que deve perseguir a partir do momento em que decide cuidar mais objetivamente da sua vida financeira.

O propósito deste artigo é conduzi-lo a uma situação de equilíbrio que hoje, infelizmente, é desfrutada por uma minoria, não necessariamente abastada. Não é necessário nascer em berço de ouro ou ganhar na loteria para compor uma reserva.

A chave é escolher um padrão de vida compatível com as suas finanças e definir formas de satisfação dentro das suas possibilidades. Muitos, no entanto, associam a felicidade àquilo  que ainda não possuem e fazem da vida uma eterna busca, que resulta em problemas frustrações. Problemas concretos como dívidas intermináveis e, muitas vezes, impagáveis.

No próximo mês falarei sobre patrimônio necessário para a independência financeira e patrimônio ideal para sua idade e situação de consumo.

*Os itens 3 e 4 serão abordados no próximo artigo.

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.