Dicas

O que você precisa saber antes de escolher se especializar em Implantodontia

O que você precisa saber antes de escolher se especializar em Implantodontia
Compartilhar | Comentar

Os estudantes de odontologia e os recém-formados que não têm a experiência do dia a dia do implantodontista, ficam com muitas dúvidas e as vezes até receio de escolher essa especialidade. São inúmeras marcas, tipos, formatos e tamanhos de parafusos, uma infinidade de pecinhas, transferentes, cicatrizadores, chaves e kits. Além disso, algumas marcas são exclusivas, isto é, usam sistemas que não encaixam nos outros.

Vamos falar sobre essas dúvidas?

Primeiro ponto: implantodontia lida com prótese. Isso mesmo! O objetivo final é devolver o dente ou reabilitar os pacientes. O implante é uma prótese com uma fase cirúrgica.

Eu diria que é uma boa mistura de conceitos da periodontia com a prótese e um pouquinho da área cirúrgica e traumatologia buco-maxilo facial quando pensamos em casos mais complexos com enxertos.  Depois que o implante estiver osseointegrado na posição correta, você vai usar conceitos puros de prótese. É como brincar de Lego e encaixar as peças no lugar certo.

Não se preocupe com a infinidade de componentes e marcas do mercado. O uso diário nos acostuma com eles, acredite! Parece como no início da faculdade quando você se desesperava com a quantidade de tipos diferentes de brocas e materiais das listas. Dava um nó na cabeça não é?  Na implantodontia também dá. Porém, basta conviver com aquilo que você aprende o que encaixa em quê.

Alguns profissionais dizem que prótese sobre implante é menos complicado do que prótese sobre dentes naturais. Em certos casos, eu concordo sim. O que você precisa colocar na cabeça é que em implantodontia (e em qualquer área da odontologia) planejamento é tudo.

O que você precisa saber é que a implantodontia demanda um investimento; que é um pouco maior no começo. Estar preparado para uma cirurgia de implante significa ter opções a mão.

Mesmo se você for fazer apenas um implante unitário é bom ter opções de tamanho, por mais que você tenha planejado tudo corretamente. E para ter opções, você vai precisar fazer uma compra grande. Comprar em quantidade te garante um desconto com qualquer marca e é muito melhor do que comprar de um em um ou, de dois em dois; além de ajudar na hora da formação de um preço mais competitivo para seus pacientes.

E o motor de implante? Você vai ter que comprar. Não necessariamente durante o curso, mas para realizar implantes no consultório ele é imprescindível. E preste atenção: é bom ter mais de um (pelo menos dois).

Imagine só: você marca aquele protocolo de 6 implantes que você conseguiu fechar por um valor legal, passa medicação profilática ao paciente, ele se programa no trabalho dele, você risca a manhã toda para realizar o caso e seu único motor para de funcionar, te deixando na mão. Você não pode correr esse risco.

Contra ângulos também são peças caras, por isso, procure marcas consolidadas no mercado e tenha mais de um esterilizado caso haja algum problema.

Em relação as várias marcas e kits, seu curso de especialização já vai te dar uma base desse assunto, pois geralmente já trabalham com a marca “A” ou “B”. No consultório, escolhemos uma ou duas marcas e criamos uma relação com essas empresas. Cada uma tem seu próprio catálogo e vale a pena aproveitar promoções na compra de 10 ou 20 implantes e componentes.

Com o tempo você vai formar seu estoque e vai entender sua demanda, sempre com opções de hexágonos externos, internos ou cone morse, com larguras e alturas diversas. Muitos componentes podem ser reutilizados e esterilizados.

Outra preocupação que você vai ter é a de encontrar um bom laboratório de prótese, com preços condizentes com seu público, que te entregue em dia e que abra espaço para conversar e discutir casos. O técnico em prótese dental será seu grande aliado na vida de implantodontista.

Implantodontia não é sair inserindo parafusos por aí a esmo. Se você não planejar com cuidado vai se “estrupiar” na hora de moldar e colocar o dente.

E repito: o que importa é o dente em função e estético. O paciente paga para ter seu dente de volta e muitas vezes nem quer saber os detalhes – se você usou implante X, Y ou Z com componente angulado que travou a 45 newtons.

Precisamos entregar dentes funcionais, dentro de um padrão estético e que durem. Esses são os que garantem seu sono tranquilo quando você deita a cabeça no travesseiro.

Um abraço,

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.