Outros

Estudos relacionam a apneia do sono à asma e ao mal de alzheimer

Estudos relacionam a apneia do sono à asma e ao mal de alzheimer
Compartilhar | Comentar

Foram apresentados estudos durante a conferência internacional da sociedade americana torácica, na Filadélfia, Estados Unidos, relacionando a apneia do sono à asma e ao mal de Alzheimer.

Sabe-se que pacientes apneicos correm maior risco de vida devido às complicações cardiovasculares, depressão e câncer.

Os pesquisadores analisaram 1.533 pacientes, os quais foram submetidos a testes ergométricos. Descobriu-se que os pacientes apneicos têm cinco vezes maior chance de morrer por enfarto ou acidente vascular cerebral.

ergometria

Em outra pesquisa, estudaram 1.500 pacientes, estando entre estas pessoas portadoras de asma. Chegou-se a conclusão que os pacientes asmáticos apresentam 70% de prevalência de apneia do sono, com índice acentuado àqueles que desenvolveram a asma na infância. O estudo também concluiu que para cada cinco indivíduos com asma, 10% desenvolveram a apneia do sono num período de oito anos.

Um terceiro estudo, apresentado na conferência, analisou 68 indivíduos com média de idade em torno de 71 anos. Todos os indivíduos foram submetidos a testes durante a noite de sono com finalidade de detectar um “marcador biológico” para a doença de Alzheimer. O resultado apontou o marcador biológico em potencial em todos os indivíduos com apnéia do sono.

A prevalência da apneia do sono dispara entre os idosos da terceira idade, cerca de 30% a 60% das pessoas acima de 65 anos de idade apresentam a incidência da apnéia do sono.

A relação entre a apneia do sono e o mal de Alzheimer pode estar ligado diretamente à hipoxemia, causada pela apnéia, destruindo neurônios numa grande proporção, sem regeneração.

explicação

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.