Casos Clínicos

Facetas de resina direta associadas com clareamento dental na prática clínica da odontogeriatria

Facetas de resina direta associadas com clareamento dental na prática clínica da odontogeriatria
Compartilhar | Comentar

Dados estatísticos governamentais mostram que a expectativa de vida do brasileiro está aumentando. Em 2000 a expectativa de vida ao nascer da população brasileira era de 68,6 anos, enquanto no ano de 2012 foi de 74,6 anos. Segundo projeções futuras da pirâmide etária absoluta, 30% da população terá mais de 60 anos em 2050.

A cárie dentária é a principal causa de perdas dentárias A fluoretação da água de abastecimento e cremes dentais fluoretados trouxeram modificações significativas no perfil epidemiológico da cárie no Brasil. Com isso, vemos que além da população brasileira viver mais, ela tem atingido a maturidade com menos perdas dentárias. Isso mostra que a atenção ao idoso terá um foco cada vez mais importante na clínica odontológica. Alterações na coloração dos dentes; desgastes dentários por erosão, abrasão e abfração; perda da dimensão vertical de oclusão; ausência de guias oclusais; diminuição do fluxo salivar associados a problemas sistêmicos como hipertensão arterial e refluxo gástrico esofágico são comuns no paciente idoso.

A resina composta é uma opção de material odontológico cuja técnica restauradora é rápida, conservadora, segura e está consagrada na literatura.4 A desvantagem desse material é a resistência ao desgaste abrasivo que é inferior às cerâmicas odontológicas e a alteração de coloração. Nos últimos anos houve uma melhoria nas propriedades mecânicas dos compósitos com a inclusão de novas tecnologias durante o processo de fabricação desses materiais. O mesmo ocorreu com os abrasivos que dão o acabamento e polimento a essas restaurações, permitindo uma maior lisura superficial, diminuição de manchas por pigmentação e a retenção de biofilme bacteriano. Essas alterações levaram a um aumento na estabilidade e longevidade de restaurações com resinas compostas.

No paciente idoso as restaurações com resina composta são uma boa opção de tratamento minimamente invasivo. Elas permitem tratamentos previsíveis sem a necessidade de desgaste desnecessário do remanescente dentário, possibilitando uma boa adaptação na margem dente/restauração

RELATO DO CASO CLÍNICO

O paciente de 65 anos procurou o consultório privado com a queixa de insatisfação no desgaste dos dentes anteriores. O exame clínico constatou que além do severo desgaste dental nos dentes anteriores havia presença de diastema entre os incisivos superiores, ausência de guias oclusais, alteração de coloração dental e perda de dimensão vertical de oclusão. Foi proposta ao paciente uma reabilitação oral com restabelecimento da dimensão vertical de oclusão. O paciente rejeitou as propostas de tratamento ortodôntico prévio, o que facilitaria o posicionamento dentário dos incisivos centrais. Na região anterior o material odontológico selecionado foi a resina composta para confecção de facetas diretas minimamente invasivas.

Devido à dificuldade de trabalho em um substrato escurecido foi realizada uma sessão de clareamento dental supervisionado em consultório. Aguardadas duas semanas para a liberação do oxigênio proveniente do tratamento, foi dado continuidade no tratamento com a moldagem para o enceramento diagnóstico.

O enceramento diagnóstico foi confeccionado com base na técnica do Digital Smile Design, onde linhas faciais e o contorno labial são utilizados para a definição de um novo arranjo estético anterior. Na tentativa de obter-se uma proporção de altura e largura adequada dos incisivos centrais sem desgastes dentais severos, foi observada a possibilidade da diminuição do diastema presente sem o seu total fechamento. Com a tentativa de prever o resultado final em boca, o tratamento foi seguido com uma prova do mock-up do enceramento. O paciente aprovou o resultado obtido durante a prova.

Antes de iniciar a confecção das facetas de resina nos dentes anteriores foi feita a seleção de cor das resinas para determinar quais seriam utilizadas. Foram aplicadas as resinas Opallis (FGM), que apresentam boa estabilidade de cor. Por essa razão a tomada de cor foi feita com a própria resina sobre a superfície dentária.

A seguir foi feito o isolamento absoluto e arredondamento das arestas e ângulos vivos com discos de acabamento para melhor distribuição de forças, diminuindo o risco de fratura. Esse cuidado não tem como intenção mascarar a interface dente/restauração, como o bisel feito com brocas diamantadas. O mascaramento é feito com o próprio material restaurador que possui adequadas propriedades ópticas.

O condicionamento com ácido fosfórico 37% foi feito em toda superfície dental, seguido da lavagem, secagem, aplicação e polimerização do adesivo. A matriz de silicone foi posicionada para a confecção da parede palatina com a resina Opallis T-Neutral. A estratificação foi seguida com a aplicação de fina camada da resina Opallis OP na tentativa de evitar o acinzentamento da restauração causado pelo transparecimento do fundo negro da boca. As resinas Opallis DA3,5 e DA2 foram aplicadas na cervical e na reprodução de suaves mamelos dentinários, respectivamente. A resina Opallis T-Blue cobriu a região dos mamelos criados. As resinas Opallis EA2 e EA1 revestiram o conjunto nas porções cervical e médio/incisal, respectivamente. Nas áreas de reflexão de luz proximais foi aplicada a resina Opallis VH.

Concluídas as facetas diretas, foi dado acabamento com os discos Diamond Pro (FGM) seguindo a sequência decrescente de rugosidade. Foram removidos os excessos na região cervical, regularizada a superfície, regularizada a curvatura incisal, feita a abertura das ameias incisais, removidos os excessos proximais e delimitadas as áreas de reflexão de luz. Com o auxílio de uma broca diamantada formato chama, foi feita uma textura superficial. Finalizada a sequência de discos abrasivos, foi dado o polimento com o disco de feltro Diamond Flex (FGM) associado à pasta de polimento Diamond R (FGM). O brilho final foi dado com o Feltro Diamond (FGM). É importante seguir a sequência de abrasivos para a obtenção de melhores resultados. Uma sequência similar foi feita para a devolução das bordas incisais dos dentes inferiores anteriores.

Passo a Passo.

1 e 2. Fotos iniciais do caso clínico.

  1. 3. Tomada de cor prévia ao clareamento dental com as cores A1, A3 e A4 (VITA) da esquerda para direita respectivamente.
  2. 4. Aplicação do gel Desensibilize KF 2% (FGM) com a haste Cavibrush Regular (FGM).
  3. 5. Aplicação da barreira gengival Top dam (FGM) após a colocação do afastador labial Arcflex (FGM) e uma matriz de silicone.

6 e 7. Aplicação do gel clareador Whiteness HP Maxx (FGM) e a alteração da coloração do gel durante a reação química.

  1. 8. Polimento após o clareamento com o disco de feltro Diamond Flex (FGM) associado à pasta de polimento Diamond R (FGM).
  2. 9. Tomada de cor após clareamento dental com as cores B1, A1 e A2 (VITA) da esquerda para direita respectivamente.
  3. 10. Planejamento virtual Digital Smile Design prévio ao enceramento.
  4. 11. Enceramento diagnóstico. Agradecimentos ao TPD Willy Clavijo Jr.
  5. 12. Foto da prova do Mock-up.
  6. 13. Tomada de cor realizada com a resina composta Opallis com as cores DA3,5, DA2, EA1, EA2, T-Neutral, T-Orange, T-Blue, de cervical

para incisal e da esquerda para direita.

  1. 14. Arredontamento dos ângulos vivos e arestas com o disco Diamond Pro (FGM).
  2. 15. Condicionamento total com ácido fosfórico 37% (Condac 37, FGM).
  3. 16. Superfície dental após o condicionamento ácido.
  4. 17. Superfície dental após a aplicação do adesivo de dois passos.
  5. 18. Confecção da parede palatina com resina Opallis T-Neutral.

19 e 20. Aplicação de resina Opallis Opaque Pearl.

21 e 22. Reprodução de mamelos dentinários com resina Opallis DA2.

  1. 23. Aplicação de resina Opallis DA3,5 na região cervical.
  2. 24. Aplicação de resina Opallis T-Blue na região dos mamelos.
  3. 25. Aplicação de resina Opallis EA2 na região cervical.
  4. 26. Aplicação de resina Opallis EA1 nas regiões médio e incisal.
  5. 27. Aplicação de resina Opallis VH nas áreas de reflexão de luz proximais.
  6. 28. Resultado final da estratificação em camadas.

29 a 36. Acabamento das facetas diretas com a sequência de discos Diamond Pro (FGM), tiras de lixas proximais e broca diamantada chama.

37 e 38. Polimento das facetas diretas com disco de feltro Diamond Flex (FGM) associado à

pasta de polimento Diamond R (FGM) seguido de Feltro Diamond (FGM).

39 a 41. Vista frontal e lateral após o polimento das facetas diretas.

42 e 43. Restauração da borda incisal dos dentes anteriores inferiores.

REFERÊNCIAS

  1. Instituto Brasileiro de Estatística e Geografia (IBGE). [Acesso em 14 de agosto de 2014]. Disponível em: www.ibge.gov.br.
  2. Coimbra MB et al. Relação entre risco à cárie dentária e variáveis socioeconômicas e demográficas em usuários da Estratégia Saúde da Família no município de Amparo, SP: um estudo longitudinal. Arquivos em Odontologia. 2012; 48(3): 142-150.
  3. da Silva EMM et al. Principais alterações e doenças bucais que acometem o paciente geriátrico–revisão da literatura. Odonto. 2011; 19(37): 39-47.
  4. Dietschi D, Stefano A, Krejci I. A new shading concept based on natural tooth color applied to direct composite restorations. Quintessence international. 2006; 37(2): 91-102.
  5. Coachman C, Calamita M. Digital Smile Design: A Tool for Treatment Planning and Communication in Esthetic Dentistry. Quintessence of Dental Technology. 2012; 35, 1:9.

 

Dr. MAURICIO CLAVIJO BELTRÁN

GRADUADO EM ODONTOLOGIA PELA FOP-UNICAMP

ESPECIALISTA EM PRÓTESE DENTÁRIA PELA FOB-USP

ESPECIALISTA EM IMPLANTODONTIA PELA APCD-SP

FONTE: FGM

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.