Especial

Mês do Cirurgião-Dentista: um pouco de história e a celebração da Saúde Bucal

Mês do Cirurgião-Dentista: um pouco de história e a celebração da Saúde Bucal
Compartilhar | Comentar

Outubro é o mês do cirurgião-dentista. No dia 03 de outubro comemoramos o Dia Mundial do Dentista, data da criação do primeiro curso de Odontologia em Baltimore, nos Estados Unidos em 1840. No Brasil, comemoramos no dia 25 de outubro, data do decreto 9.311 de 1884 em que os primeiros cursos de graduação em Odontologia no Rio de Janeiro e na Bahia foram estabelecidos.

No século XIX aqui no Brasil, os dentistas eram conhecidos como “Barbeiros” ou “Sangradores” e seu trabalho era basicamente arrancar dentes – algumas vezes no meio da rua mesmo. Os primeiros a se aventurarem nesta área eram homens que precisavam ser fortes, rápidos, ter sangue frio e muitas vezes atuavam sem a licença. As pessoas tinham grandes riscos de morrer de hemorragias ou infecções porque as técnicas eram realizadas de forma rudimentar, sem o conhecimento técnico e científico que temos hoje.

Você já ouviu falar no dentista Horace Wells? Casualmente, também em 1884, ele teve seu dente do siso extraído sem sentir dor após inalar o Óxido Nitroso (também conhecido como gás hilariante). Ali começava uma nova era onde a dor poderia ser controlada e os procedimentos odontológicos poderiam ser refinados e feitos sem que a pessoa ficasse gritando e se esperneando ou sem que fosse amarrada na cadeira. Dois anos depois, o dentista William Morton veio com outra novidade: um inalador de vidro com uma esponja embebida em éter. Uma substância que tinha menos chance de causar asfixia – um dos problemas do óxido nitroso na época – e que fazia os pacientes dormirem para realizações de cirurgias bucais e médicas.

Nosso dentista mais famoso na história é um dos mártires da independência (de história bem controversa) Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes. Hoje a Odontologia se preocupa em devolver dentes e principalmente em não perder dentes. O foco na prevenção de doenças bucais é comprovadamente mais eficaz, mais barato e conservador. Com métodos de prevenção como a água de abastecimento fluoretada, o flúor nas pastas de dente, a frequência de escovação dental e uso do fio dental, estima-se que poderemos viver até o final da vida com os nossos dentes naturais.

Entretanto, sabemos que a Odontologia já era praticada desde a pré-história. Sempre com ênfase na extração de dentes, ou ainda contenções rudimentares que seguravam dentes com mobilidade na boca. A expectativa de via do ser humano foi aumentando e os dentes não duravam a vida toda. Lá pelos anos 1.300, um importante médico e cirurgião francês chamado Guy de Chauliac foi um dos primeiros a usar o termo “dentista” como o responsável pelo procedimento de exodontia dentária. Uma de suas célebres frases: “Um cirurgião que não sabe a sua anatomia é como um cego a esculpir um tronco” é válida até hoje.

Com a remoção dos dentes começou a surgir a necessidade de reabilitar bocas com próteses, que eram feitas de dentes naturais de pessoas mortas. Clique aqui e para ler sobre os Dentes de Waterloo.

O dentista Claude Moton foi o primeiro a publicar um tratado de prótese dentária usando facetas em ouro e uso de grampos em próteses parciais. Daí para frente os dentistas pararam de atender em praça pública, começaram a atender na casa das pessoas e mais tarde surgiram os consultórios odontológicos. Aí veio a necessidade de existir uma cadeira própria para o dentista atender que antes parecia muito com a do barbeiro e hoje em dia é toda tecnológica com inúmeros periféricos, telas de LED, massagem e iluminação do refletor.

Como curiosidade, você sabia que um dentista ajudou a popularizar o algodão doce? Espertinho esse, não é? Além disso, um dentista inventou o Dia do Amigo celebrado em 20 de julho, o argentino Enrique Ernesto Febbraro. A santa padroeira e protetora dos dentistas é a Santa Apolônia, cuja história está contada no artigo deste link.

A profissão percorreu um longo caminho e hoje vive uma era de ouro com quase 20 especialidades e praticada sempre com base em evidência científica. Cirurgiões-dentistas precisam ter conhecimentos técnicos de biologia, bioquímica, química, física, matemática, anatomia, entre outros. Além de serem artesões para devolver forma e contorno aos dentes deixando-os em função e em harmonia estética. Nossa preocupação principal é com o conceito geral de saúde que celebra o bem estar físico, psicológico e social do ser humano indo muito além dos dentes e do sorriso. Avaliamos estética branca, rosa, lábios, bochechas, sorrisos e harmonização orofacial.

Valorize e visite seu dentista regularmente para prevenir doenças e evitar os problemas antes que eles apareçam.

Um Abraço,

Luiz Rodolfo.

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.