Dicas

Por que a maioria das pessoas subestimam o simples?

Por que a maioria das pessoas subestimam o simples?
Compartilhar | Comentar

Sempre escutamos falar que a felicidade está nas coisas simples. E muitos pensadores aprovam essa prática enfatizando que ser feliz é saber aproveitar as coisas simples da vida no momento em que elas acontecem. Aproveito o assunto para relatar uma experiência pessoal, que me fez refletir.

Em 2017, eu tive a oportunidade de participar de um grupo onde havia muitos empreendedores num nível acima do meu. Para a minha surpresa, todos os presentes naquele grupo estavam praticando ações simples, do dia a dia, por meio de métodos simplificados.

Eles eram muito bons em executar tarefas de maneira simplificada. Essa conclusão parece um tanto fora de lugar, não? Porque o natural seria imaginar o seguinte: para conquistar um resultado extraordinário você precisa executar algo complexo, secreto, mágico, uma espécie de Shazam! Mas eles provaram que nada disso era necessário, puramente pelo fato de encontrarem alternativas simples para aquilo que queriam – e eram muito bons nisso!

Então, por que a maioria das pessoas não consegue fazer? Por que a maioria das pessoas não obtém resultado? A resposta é fácil: porque a maioria das pessoas subestimam a simplicidade. Só que é difícil fazer com que tudo seja tão simples quando não vemos resultado imediato e, ainda mais difícil, manter a consistência desses resultados.

Conversando com alguns alunos percebo, em geral, dois problemas comuns: inconstância e dispersão. Um dia querem conquistar o primeiro milhão de dólares; alguns meses depois querem se dedicar a um esporte. Ou, num outro caso clássico, trabalhar menos e ter mais qualidade de vida. Ter três metas não constitui problema, a questão é mudar de foco em um curto espaço de tempo.

Como conseguir sucesso se não há consistência no seu projeto?

É preciso ter um foco consistente e não abrir mão dele, por distração ou tentação. Será que você sabe distinguir quando está subestimando o simples? Pense na sua rotina e identifique qual o simples que você não está fazendo. Coloque tudo no papel. E durante a próxima semana quero que perceba qual é a força invisível ou resistência, que o impede de tomar o caminho mais simples.

Essas duas distinções vão gerar possibilidades de você valorizar ainda mais a simplicidade. E quando você valorizar devidamente o simples, irá quebrar toda a resistência que o impede de agir.

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.