Pesquisa sobre o dente do peixe papagaio pode tocar na nova era de desenvolvimento de biomaterial

Pesquisa sobre o dente do peixe papagaio pode tocar na nova era de desenvolvimento de biomaterial
Compartilhar | Comentar

Nos Estados Unidos, as conquistas da ciência estão evoluindo constantemente em diversas frentes. Entre estas estão os dentes do peixe papagaio, que são uns dos mais fortes e mais resistentes à abrasão no mundo animal.

Investigando a sua estruturação, uma equipe de pesquisadores tem agora determinada as propriedades subjacentes que tornam os dentes do peixe, fortes o suficiente para até mesmo morder corais pétreos, e isso acaba levando os estudos de biomaterial a um novo patamar.

“Os dentes do peixe papagaio são realmente bons em vários aspectos de mordida de coisas difíceis, e poucos outros dentes na natureza são mais fortes ou mais duros”, disse o autor principal Dr. Matthew Marcus do Lawrence Berkeley National Laboratory, na Califórnia.

Com o objetivo de descobrir o que faz com que os dentes do peixe sejam resistentes, os pesquisadores primeiro mediram as suas propriedades mecânicas em experimentos de nano-indentação. Em seguida, realizaram a análise química com uma variedade de técnicas, incluindo microscopia eletrônica de varredura com análise de energia dispersiva de raios-X e micro análise de sonda de elétrons.

E qual a relação do estudo com o biomaterial?

Os resultados mostraram que não é o material de dos dentes do peixe papagaio que é especial, mas o arranjo dos cristais dos dentes. Estudando a estrutura, os pesquisadores descobriram que os nanocristais enameloides co-orientam e montam em conjuntos interligados, como a urdidura e trama no tecido. As fibras diminuem gradualmente em tamanho de 5 μm na parte traseira de 2 μm na ponta e, de acordo com Marcus, é essa diminuição de tamanho que torna a estrutura do dente tão forte.

Segundo os pesquisadores, as técnicas utilizadas no estudo podem ser utilizadas para estudo dos ossos e dentes e ajudam no desenvolvimento de novos materiais biomimeticos.

O estudo, intitulado “Dentes do peixe papagaio: Biominerals duros cuja microestrutura torna-os resistentes e resistentes à abrasão para morder corais pétreos”, foi publicado on-line antes da versão impressa em 20 de outubro no ACS Nano Journal.

Fonte: Dental Tribune.

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.