Dicas

O mercado que está em crise ou o seu consultório que não se transforma?

O mercado que está em crise ou o seu consultório que não se transforma?
Compartilhar | Comentar

Quem está em crise? O mercado, as clínicas, as equipes ou nós, dentistas?

Não, o problema não é o mercado: Nós estamos em crise! A tecnologia está mudando completamente as relações entre consumidores e empresas.

Não acredita?

– A maior empresa de transportes do mundo não tem nenhum carro: Uber;

– A maior empresa de hospedagem do mundo não tem nenhum hotel: Airbnb;

– O maior canal de entretenimento do mundo não faz parte de nenhuma emissora: Youtube.

Esses novos modelos de pensar e de fazer negócio, vão acabar com a antigas maneiras de vender, mostrar e anunciar seu trabalho; e a odontologia não vai ficar fora disso.

O problema começa nas universidades que nos formam da mesma maneira como formaram nossos pais. Sim, nós temos as melhores universidades técnicas do mundo, mas elas não nos ensinam como é a vida lá fora, como lidar com administração, liderança, marketing e isso faz toda a diferença.

Somos ótimos em fazer restaurações, facetas e tratamentos endodônticos, mas não somos tão ótimos assim em mostrar como somos bons nisso. A crise também está em tomar decisões embasadas na nossa experiência (ou de nossos pais) ao invés de entendermos o que nossos clientes acham. Ela está em clínicas, que tem medo de mudar, de mexer nos processos, de criar soluções diferentes.

Semana passada estava lendo um artigo no blog da Endeavor e achei essa frase do Mitt Ronney “Corporations are people, my friends”. As pessoas são a solução. Quando foi a última vez que você pediu alguma dica para sua secretária? Ou para seus colegas de profissão?

Não deixe tudo nas suas costas, muitas vezes os principiantes têm melhores ideias que os experts.

Quer algumas dicas práticas para fugir da crise? Vamos lá!

1- Faça reuniões mensais: discuta como estão indo as ações que a clínica está fazendo. Deixe todos opinarem (e leve essa opinião a sério).

2- Participe de grupos que discutem inovação: associações de empresas, CDLs etc. (mesmo que isso não tenha nada a ver com odontologia) muitas vezes esse tipo de relação gera grandes ideias.

3- Coloque uma meta para seu negócio: escreva qual o papel de cada pessoa para que essa meta seja alcançada e acompanhe todo o processo.

4- Não tenha medo de errar:  isso faz parte do processo de inovação. Você vai errar várias vezes e isso vai ajudar você e seu negócio a crescer. (A Rovio, fez 50 aplicativos que não deram certo antes de criarem o Angry Birds).

5- Acompanhe seus indicadores: assim como a opinião dos seus pacientes é fundamental, acompanhar seus indicadores te ajuda a tomar a decisão certa na hora certa. Quer acompanhar seus indicadores em tempo real? Clique aqui. (www.simplesdental.com)  

Por fim uma coisa é certa: ou aprendemos a lidar com esses novos cenários ou vamos continuar colocando a culpa nos planos, nos colegas ou nos pacientes.

A escolha é sua… o que você vai fazer a respeito?

Se você quer algo novo, você precisa parar de fazer algo velho.

– Peter Drucker

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.