Especialidades

Os avanços da implantodontia

Os avanços da implantodontia
Compartilhar | Comentar

A Implantodontia tem avançado com uma rapidez impressionante. Faz algum tempo que se ouve falar de implantes dentários e o procedimento está bem consolidado aqui no Brasil. Mas afinal, qualquer pessoa pode fazer implante dentário? Quais são as soluções terapêuticas que permitem o dentista utilizar os implantes dentários? No fim das contas, sai muito caro?

Em primeiro lugar, algo deve estar bem claro na cabeça das pessoas: o implante dentário serve para substituir dentes perdidos. Quando ainda temos uma raiz de dente viável na boca (viável no sentido de “forte” o suficiente para aguentar uma prótese do tipo conhecido popularmente como “pivô”), não usamos implante. O implante é um parafuso de titânio que vai substituir a raiz do dente, ou dos dentes perdidos. Porém, a conta matemática nem sempre é um dente perdido para um implante colocado. Os planejamentos restauradores vão variar, é claro, sendo os implantes: unitários, por região, formadores de estruturas para “overdentures” (próteses móveis com encaixe sobre implantes) e implantes do tipo protocolo de Branemark, que restabelecem toda uma arcada com dentes fixos.

Existem inúmeras técnicas, inúmeras marcas reconhecidas mundialmente e várias abordagens para o planejamento. Nem tudo é fácil ou preto no branco como vemos em propagandas de grandes clínicas em programas da tarde da televisão. O mais interessante de tudo é que as novas técnicas chegaram para ajudar e individualizar cada vez mais os tratamentos. A tomografia computadorizada torna-se quase que indispensável para um planejamento mais fiel. Muitos casos são aliados aos enxertos ósseos e gengivais para reconstruir todo arcabouço que fica em volta do dente.

Qualquer pessoa adulta pode fazer implantes, contanto que esteja com sua idade óssea completa e não tenha doenças sistêmicas severas ou descontroladas que contra indiquem procedimentos cirúrgicos. O paciente fumante também é uma dúvida. O tabagismo diminui muito o sucesso da osseointegração, principal processo da implantodontia, que chega a ser de 95 a 97%, segundo a literatura científica.

O implante é uma peça fixa que vai suportar um dente fixo sobre ele, salvo os realizados para suportar próteses móveis. Nesses casos, os implantes servem para sustentar uma estrutura em formato de barra ou estruturas em formato de bola onde a prótese móvel vai ser encaixada. São casos em que a oferta de osso é escassa ou onde os protocolos fixos são contraindicados por problemas de dificuldade de higiene.

Verdade. Ter próteses sobre implante na sua boca ao invés de dentes não vai fazer você ficar livre de escovar os dentes e limpar os espacinhos entre eles. A higiene e manutenção com seu dentista são fundamentais para que o implante e o dente sobre ele tenham uma vida duradoura. Quanto tempo dura? Depende de cada caso, mas se cuidar direito e não se esquecer de ir ao dentista preventivamente, eles podem durar o resto da vida.

E o preço? Aí é preciso avaliar a situação de cada um e pensar que é um tratamento que pode ser algo definitivo para o resto da vida. Fazer implantes unitários vai ficar mais barato do que os outros casos, com valor de mercado razoável. Protocolos que restabelecem arcadas inteiras são mais onerosos, mas lembre-se que sua vida vai mudar. Seu sorriso, eficiência mastigatória, sua fala, deglutição, mordida e etc. Devolver tudo isso aos pacientes traz muita satisfação ao dentista e aos pacientes. Não vendemos apenas sorrisos e dentes. Vendemos saúde bucal e qualidade de vida.

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.