Especialidades

Otimização do tratamento endodôntico

Otimização do tratamento endodôntico
Compartilhar | Comentar

Sessão única. Obturação imediata. Endodontia de molar em 01 hora. Tópicos que nos defrontamos diariamente para realizar um tratamento endodôntico de forma rentável e com maior produtividade. É possível? Nesse contexto, o termo OTIMIZAR está sendo cada vez mais utilizado. Definição semântica: “OTIMIZAR v.t. Dar a (algo, uma máquina, uma empresa) um rendimento ótimo, criando-lhe as condições mais favoráveis ou tirando (dele ou dela) o melhor partido possível; tornar (algo) ótimo ou ideal.

Sim, é possível! Dois aspectos devem ser analisados: biológicos e técnicos. Devemos nos preocupar durante a terapia endodôntica em utilizar recursos e/ou técnicas que promovam, efetivamente, um maior rendimento de cada etapa que compõem nossos procedimentos endodônticos.  Mas realizados de forma que permitam um tratamento fundamentado em evidências científicas de sucesso clínico e aplicável na maior parte de nossos casos, quais sejam realizados pelo clínico geral ou especialista em Endodontia.

Nesse contexto, você já se deparou frente à dificuldade de, principalmente em molares, obter um adequado comprimento de trabalho, Uma, duas, três radiografias. Alonga , encurta, corta ápice. Um dispositivo que tem auxiliado tanto o clínico como Endodontista na obtenção desse limite são os Localizadores foraminais eletrônicos. Há várias marcas disponíveis no mercado com índice de confiabilidade superando os índices de 95% de segurança. Caso você ainda não automatize seu tratamento endodôntico, este arsenal talvez seja o primeiro que deva adquirir. Irá utilizar em todos os casos endodônticos e de fácil aplicação clínica.

Obtido o comprimento de trabalho, esvaziado o conteúdo do canal radicular, INSTRUMENTAÇÃO. Lima manual, 25, 30, 35, 40. Seleção do cone principal. Não chega ao limite determinado, não trava, considerando-se molares, risco e/ou chance de ter realizado desvios, degraus e infelizmente perfuração. E o tempo de trabalho realizado só neste procedimento. Pense na Instrumentação automatizada com limas rotatórias de Níquel-Titânio. Maior segurança e qualidade, tempo de trabalho consideravelmente menor, conforto tanto ao profissional como para o paciente, o que levará a maior produtividade e rendimento financeiro.

Mas, como esse milagre é possível? As limas de Níquel-Titânio apresentam maior flexibilidade em relação às limas manuais de aço inoxidável, conseguem manter a curvatura do canal original sem acidentes e como são mais calibrosas (índices de conicidade de 0.02 a 0.19, dependendo da marca comercial) tornam sua instrumentação mais confortável, e principalmente, devido a melhor modelagem e sanificação, maior remoção do conteúdo bacteriano e com maior efetividade. Mas necessitamos de sistema de acionamento que controle a velocidade rotacional (300 rpm) e treinamento prévio que permita absorção da cinemática específica utilizada.

Recentemente esta instrumentação automatizada tornou-se ainda mais produtiva: aplicação do princípio de movimento reciprocante. A lima continua sendo fabricada em Níquel-Titânio mas com tratamento térmico que aumenta sua resistência a fadiga cíclica e torcional: a liga M-Wire. Com movimento de maior amplitude no sentido anti-horário e menor no sentido horário associado a avanços contínuos (movimento de bicada por terços) em sentido apical um ÚNICO instrumento realiza-se toda instrumentação do sistema de canais radiculares. Lembrando-se que independente da rotação ser contínua ou reciprocante faz-se uso das substâncias químicas que permitem o alcance dos princípios biológicos e técnicos discutidos anteriormente.

Finalizando essa nova tendência de tratamento, é necessário observar que esse menor tempo de instrumentação reciprocante pode trazer consequências de prejuízo das condições de sanificação particularmente nos casos de mortificação pulpar. Tornando a Irrigação ultrassônica ao término da instrumentação com insertos específicos um fator preponderante para que o profissional alcance os objetivos de otimização com alta rentabilidade e produtividade da terapia endodôntica.

Esse texto não teve a intenção de mudar totalmente os seus conceitos, mas que sirva de ponto de partida para uma nova realidade endodôntica. Atualize e recicle, seus pacientes agradecem.

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.

  • Danilo Minor Shimabuko

    Confira todos os artigos do(a) Dr(a). Danilo
    Graduação FOUSP; Especialista em endodontia FOUSP; Mestre e Doutor em endodontia FOUSP; Prof. Titular disc. Endodontia Universidade Cidade de São Paulo; Coordenador cursos de graduação, extensão e especialização endodontia Unicid; Coordenador cursos de especialização ABCD - Lajeado/RS; Coordenador curso extensão endodontia Cetao; Presidente comitê de ética em pesquisa (CEP) Unicid; Membro American Association of Endodontists (AAE)