Odontologia do Esporte

Precisamos falar sobre Odontologia do Esporte no Futebol

Precisamos falar sobre Odontologia do Esporte no Futebol
Compartilhar | Comentar

Apesar de ser uma área esquecida nas comissões de saúde nos clubes de futebol em todo o Brasil, a odontologia do esporte se faz importante há muito tempo.

O cirurgião-dentista deve identificar as particularidades bio-fisiológicas do atleta e sua modalidade. Existem diversas responsabilidades atribuídas à que faz especialização em odontologia do esporte, todas voltados ao bem-estar físico, psicológico e desempenho esportivo do paciente.

Particularidades da odontologia do esporte no futebol

Cuidados odontológicos específicos podem beneficiar o atleta do futebol. No ano de 2016, um caso ficou conhecido e teve muita repercussão por ter “transformado uma dor de dente em bola na rede”; como disse o próprio apresentador do Globo Esporte Ivan Moré.

Neste mês faz um ano que o zagueiro do Santos Futebol Clube, Luiz Felipe, sofria com dores nos dentes. Após avaliação inicial, foi diagnosticada pericoronarite; uma inflamação na gengiva que circunda o dente siso.

Relato de caso

Faltando três dias para próxima partida e com desfalque no setor defensivo, o departamento médico então decidiu que o atleta necessitava passar por um cirurgião-dentista com urgência.

De prontidão removemos o dente afetado, porém, por se tratar de um período curto para a próxima partida, apenas a remoção do dente e limpeza da área infeccionada não seria o suficiente. O atleta poderia apresentar resquícios pós-operatórios que comprometeriam sua inclusão na equipe ou seu desempenho em campo.

Imagem 1 – odontosecção durante cirurgia de exodontia do elemento 48.

Com auxílio de laserterapia e medicações controladas a fins de evitar doping positivo, o atleta teve a sua recuperação acelerada.  Por conta da perda óssea, foi indicado a utilização de um protetor bucal específico para sua modalidade, que protegeu regiões adjacentes, dando assim totais condições de jogo ao atleta que a princípio estaria cortado da partida.

Imagem 2 – protetor bucal do zagueiro Luiz Felipe – Santos Futebol Clube.

O zagueiro marcou presença no jogo fazendo o último gol da partida e, sacramentando a vitória do Santos. Comemorou o gol apontando ao protetor bucal por não ter acreditado que de uma situação onde ele não poderia ser escalado, passou a ser, e ainda teve condições de marcar um gol sem nenhum obstáculo de dor ou desconforto.

Reflexão

O que chama a atenção nessa situação é que esse lance ficou famoso por ser “diferente” aos olhos da mídia. Mas, quantos atletas poderiam estar em melhor condições se tratados de forma direcionada? Ou melhor dizendo, com a orientação de um profissional especializado em odontologia do esporte?

Foi com esse pensamento que na III Assembleia Nacional de Especialidades Odontológicas (ANEO), em 2015, o CFO reconheceu por meio da Resolução CFO 160/2015 a Odontologia do Esporte como especialidade.

É de suma importância que todo e qualquer atleta, seja qual for a sua modalidade, esteja em dia com sua saúde bucal e realize avaliações e tratamentos direcionados as suas particularidades com um dentista especialista em esporte. Pois esse pode fazer toda a diferença ao seu bem-estar físico e desempenho esportivo.

Agradeço em especial ao Dr. Luiz Eduardo Lucas, integrante da equipe Instituto Esporte Odonto, pela colaboração neste caso clínico.

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.