Para Estudantes

Quanto custa estudar odontologia? Será que vale a pena?

Quanto custa estudar odontologia? Será que vale a pena?
Compartilhar | Comentar

Hoje, abordarei um tema muito procurado antes de ingressar no curso de odontologia: quanto custa para ser dentista. Muitos estudantes me procuram para saber quanto custa fazer uma faculdade de odontologia, que engloba mensalidade mais a listinha básica de materiais – cada semestre tem a sua. Por isso, neste post, vou tratar deste assunto para você que já é estudante ou pensa em cursar a faculdade. Vem comigo?

O curso de Odontologia no Brasil

No Brasil, existem diversos centros universitários que oferecem o curso de odontologia; em algumas são meio período, em outras é integral. Mas ambas exigem muito tempo e dedicação do graduando. A odontologia é uma das áreas profissionais mais bem pagas no nosso país, sendo, também, um dos cursos mais concorridos nas universidades. O investimento é alto, mas retorna em poucos anos atuando.

O estudante que optar pelo curso de odontologia terá um leque de especialidades para escolher, como: periodontia, endodontia, dentística e estética, bucomaxilofacial, entre outras. Após finalizar a graduação, a área de atuação é vasta, tendo a possibilidade de abrir o próprio consultório ou clínica, trabalhando no serviço público, em laboratórios, enfim…. Tudo dependerá também da especialização elegida.

O custo da mensalidade

No meu caso, eu estudo na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), o período do curso é integral, e exige, praticamente, todas as horas do dia. O custo da mensalidade inicial é de aproximadamente R$ 3.500 a R$ 3.800 (valor divulgado no próprio site da PUCPR). Só que existem diversas universidades pelo País que oferecem até por menos, e tudo vai depender da infraestrutura, grade curricular, etc..

Pelos valores pesquisados, uma faculdade de odontologia no Brasil custa em média entre R$ 2.000 a R$ 3.500. Sem contar os reajustes adicionais que ocorrem a cada semestre e a lista de materiais.

Dependendo de onde for sua faculdade e como ela funciona, irão existir os plantões, onde você fica de pronto atendimento para casos de emergência. Nesses casos, o custo eleva um pouco mais, e normalmente são nos últimos semestres, pois exige muito mais do seu tempo e investimento. Mas acreditem, vale muito todo o esforço e dedicação!

As complicadas ou não tão complicadas listas

E as listas? Muita gente se pergunta sobre como são as listas de material. São nomes complicados – com o tempo você decora, confia em mim! -, e os valores de algumas são altos. Porém, existem alguns materiais em especifico que pesam mais no bolso. E conforme você passa o semestre, os valores aumentam, justamente pela quantidade de materiais.

Eu tenho um vídeo no Youtube em parceria com a Dental Cremer, onde falo sobre todas as listas que já tive até o sétimo período. É só clicar aqui. Mas vou deixar alguns pra você já ir se familiarizando:

– Kit Acadêmico (vulgo: “as canetas de odonto”): média de preço R$ 1.500 a R$ 3.000, dependendo da marca e modelo.

– Porta Agulha Castroviejo: de R$ 142,00 a R$ 366,00, dependendo da marca.

– Limas de Endodontia: como irá precisar de vários modelos, tamanhos e séries, cada jogo sai em média: R$ 56,30.

– Espátulas de Resina: Hu-Friedy (que é a mais pedida pelas faculdades), custa em média R$ 207 cada.

– Articuladores: a partir de R$ 600,00.

– Alicates de Ortodontia: entre R$ 69 e R$ 245 cada.

– Fórceps: de R$ 70 até R$ 105 cada.

– Contra Ângulo Endodôntico: a partir de R$ 1.500.

– Manequim para Laboratório: a partir de R$ 400.

Lembrando que os valores divulgados são uma média, não são exatos, e você poderá decidir quais serão os melhores para o seu bolso ou performance acadêmica.

Porém, independentemente do valor investido, se você comprar o produto de determinada marca e cuidar certinho, ele irá durar anos.

Quer pagar menos ao estudar Odontologia?

Não desespera, amigos(as)! Sempre há uma luz no fim do túnel pra quem batalha por seus sonhos. As universidades possuem bolsas de pesquisa e extensão em que você pode se cadastrar para receber o tão valioso desconto nas mensalidades. E, se, você não conseguir, ainda tem os programas de Financiamento Estudantil (FIES) ou o ProUni. Conheça um pouco mais cada um deles.

FIES 

O Financiamento Estudantil é validado para estudantes de baixa renda; os juros são pagos de três em três meses; as parcelas podem ser negociadas após o término da faculdade. Para que você consiga concorrer ao aditamento, é preciso ter realizado a prova do ENEM, a partir de 2010, e obtido nota igual ou superior a 450, e não ter tirado zero na redação. A porcentagem contratada também é outro fator que dependerá da sua renda, sendo que você pode conseguir 25, 50, 75 ou 100%.

ProUni

O Programa Universidade para Todos, foi criado pelo Governo Federal em 2004. Ele oferece as bolsas nas modalidades: integral ou parcial, em instituições privadas de educação superior, cursos de graduação e especializações, a estudantes brasileiros sem diploma de nível superior. Para se inscrever no ProUni, o estudante precisa prestar a prova do ENEM e tirar nota acima ou igual a 450, e não pode tirar nota zero na redação. E a porcentagem de desconto segue na mesma linha do FIES, depende da renda familiar. A vantagem do ProUni é que você não precisa pagar este valor descontado na mensalidade após finalizar o curso.

Listas mais baratas? A gente vê por aqui

Se você entrar no site do Programa Estudantes, você terá uma ideia de quanto gastará na sua lista da faculdade por semestre. É só selecionar o nome da universidade e o período, assim terá acesso as listas já cadastradas. Se caso não encontrar a sua, cadastre-a. Muito bom, né?

E claro, aproveitar sempre que temos uma dental tão completa quanto a Dental Cremer para nos ajudar a termos todos os materiais da melhor qualidade e aproveitando todos os benefícios.

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.