Periodontia

A raspagem periodontal em detalhes

A raspagem periodontal em detalhes
Compartilhar | Comentar

Já falamos aqui no Blog da Dental Cremer sobre doenças periodontais e fizemos algumas considerações sobre a Periodontia. A raspagem periodontal é um dos tratamentos fundamentais da Periodontia e da Odontologia. Remover cálculo dental, deixar o dente lisinho e polido é um dos preceitos para que haja reparação tecidual em volta dos dentes, diminuição do sangramento, estacionamento da perda óssea, diminuição da mobilidade dental e devolução da saúde do periodonto. Sem isso, qualquer construção protética ou restauradora feita por cima desses dentes estará fadada a falha em médio ou longo prazo.

Uma dica valiosa:

antes da primeira sessão de raspagem é prudente indicar o uso de bochechos com Digluconato de Clorexidina a 0,12%, duas vezes ao dia, por um tempo máximo de 15 ou 20 dias. Isso vai diminuir bastante o sangramento na hora da raspagem, o que vai melhorar nossa visualização do cálculo dental. A prescrição de medicações antibióticas ou anti-inflamatórias fica a critério de cada profissional, na análise de cada caso especificamente.

A Raspagem é conhecida por vários nomes. Raspagem e Alisamento Radicular (RAR), Raspagem, Alisamento, Polimento Dental (RAPD), às vezes subdividida em Raspagem supragengival ou subgengival por algumas tabelas odontológicas que vemos por aí, ou simplesmente e pejorativamente chamada de “limpeza”.

Eu não gosto do termo “limpeza” porque diminui o valor real do procedimento. Também não gosto de classificar em “supra” ou “sub” gengival porque, sinceramente, sempre que realizo o procedimento, a raspagem vai ser feita no dente por baixo e por cima da gengiva. Parece uma bobagem semântica, mas a gente precisa valorizar nossos procedimentos odontológicos. Chamar de “só uma limpezinha” faz com que os pacientes não aceitem pagar o verdadeiro custo desse trabalho.

Geralmente começo usando o ultrassom para remoção de algumas manchas e para dar aquela geral, quebrando as pedras de cálculo maiores, o que vai facilitar meu trabalho com as curetas depois. Sim, senhoras e senhores. Nunca uso apenas o ultrassom. Nunca. Na minha experiência clínica percebo que ele sozinho não remove todo o tártaro.

Depois é hora de usar as curetas de periodontia. Sempre com uma pedra de afiação junto. Aquela hora em que os pacientes ficam olhando de rabo de olho pensando: “O que esse dentista está fazendo? ”, estou afiando as curetas. Explico que curetas afiadas raspam melhor, riscam menos e demandam menos força. O movimento de afiação e raspagem demanda muito treino.  A força na raspagem é feita mais pelo braço do que pelos dedos. Se você usar apenas os dedos vai sentir dores e se cansar mais rapidamente.

Prefira investir em materiais de qualidade e quando perceber que a parte ativa da cureta está muito fina, descarte o instrumento para evitar fraturas das pontinhas dentro das bolsas periodontais. Na faculdade a gente acaba optando por qualquer kit ou pelo mais barato, porém, sempre peça ajuda aos professores para não pegar curetas tortas. Teste no manequim, pegue na mão, sinta o peso. Você pode investir nas pedras também. Eu gosto muito das pedras de Arkansas, porém as pedras goivas laranjas mais escuras também fazem bem o seu papel. Lembre-se: a pedra deve ser esterilizada também.

Antigamente usávamos pontas de aço carbono, mas elas ficavam pretas após as esterilizações. Era preciso passar um óleo nas pontinhas, mas mesmo assim, sua aparência não ficava muito convidativa, apesar de estar limpa e estéril. Hoje prefiro mesmo os instrumentais de aço inoxidável.

Depois de raspar, o que pode levar mais de uma sessão dependendo da quantidade de tártaro, realizo o alisamento com curetas mesmo, usando-as de mesial para distal ou vice-versa, de preferência as curetas PL. E claro que depois do alisamento, vem o polimento dental que muitas vezes é chamado de profilaxia. Tenha em mente: o dente e a raiz devem estar lisos, sem riscos, porque estes aumentam a chance de acúmulo de placa e cálculo posteriormente. Entrarei nos detalhes do Polimento Dental em um próximo texto. Viu só como não é só uma “limpezinha”?

Um abraço!

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.