Casos Clínicos

Caso Clínico: Utilização de enxertos ósseos para regeneração da maxila atrófica

Caso Clínico: Utilização de enxertos ósseos para regeneração da maxila atrófica
Compartilhar | Comentar

Caso clínico

Paciente: MAA, 57 anos.

Paciente nos procurou após ter procurado vários outros profissionais que só indicavam extração de todos os dentes e confecção de prótese protocolo. Após análise do seu caso, percebemos que poderíamos regenerar sua maxila atrófica com enxertos em blocos. Somente o dente 14 seria perdido por ter perdido toda a tábua óssea vestibular.

Descolamos todo o periósteo com o máximo de cuidado,  cortamos o bloco ao meio e retiramos o sangue da paciente para preparar os blocos com perfusão a vácuo.

Instalamos os blocos no leito receptor previamente decorticalizado, acrescentamos o enxerto granulado para não termos invaginação de tecido mole na região, instalamos parafusos tenda na região entre 14 e 16 e acrescentamos o enxerto particulado.  No alvéolo pós-extração do dente 14 instalamos o enxerto Putty devido sua alta quantidade de colágeno Tipo I. Recobrimos tudo com uma membrana Bioteck de longa duração e fechamos o retalho sem tensões.

Acompanhe as imagens do caso:

Autor:

Alexandrino Costa Gonçalves

Graduado pela Universidade de São Paulo (2005)

Especialização em Implantodontia São Leopoldo Mandic (2017)

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.