Especialidades

Saúde bucal de pacientes idosos

Saúde bucal de pacientes idosos
Compartilhar | Comentar

Com o envelhecimento surgem algumas necessidades específicas e condições que debilitam os pacientes. Os idosos já representam 12% da população total do Brasil, segundo estudo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Essa parte da população possui necessidades específicas e merece tratamento diferenciado. E para que o profissional de odontologia possa acompanhar esse rápido crescimento, é preciso manter-se atualizado sobre enfermidades, alimentação e suas características.

O diabetes, problemas cardíacos e câncer são algumas doenças que podem afetar a saúde bucal de pacientes da terceira idade. A perda dos dentes ou o uso de próteses inadequadas também podem causar impactos negativos em suas vidas, principalmente no que se refere à preocupação, estresse e vergonha.

E por onde começar? É preciso entender esse cenário para garantir um atendimento de qualidade. O Conselho Federal de Odontologia (CFO) classificou os idosos em três categorias:

Independentes: conseguem viver por si só, sem o auxílio de outras pessoas.
Parcialmente dependentes: muitas vezes ou quase sempre precisam do auxílio de um cuidador.
Totalmente dependentes: não têm iniciativa própria, seja por deficiência física ou problemas psíquicos, e necessitam de um cuidador.

Além disso, o cirurgião-dentista tem papel educador. Ele deve orientar idosos, parentes e cuidadores sobre a importância de observar a saúde bucal no que se refere a presença de dentes quebrados, amolecidos, mau-hálito, manchas brancas ou escuras, caroços entre outros. Saiba mais: CFO e Direito do Idoso.

Fonte: CFO, IBGE, Colgate, Direito do Idoso

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.