Odontologia do Sono

A odontologia e a síndrome da apnéia obstrutiva do sono

A odontologia e a síndrome da apnéia obstrutiva do sono
Compartilhar | Comentar

A síndrome da apnéia obstrutiva do sono é uma doença que se caracteriza por carregar consigo outros danos orgânicos severos e, muitas vezes, irreversíveis. Durante a noite de sono produzimos hormônios essenciais para nossa vida, sem esses, a qualidade da saúde física e mental estará comprometida.

Estágios do Sono

O sono é qualificado por estágios, um total de cinco, onde, em cada um deles exerce uma função específica para reger e equilibrar nossa saúde. Os principais estágios do sono são de número quatro e o cinco.

E você se pergunta: mas por que o quatro e o cinco? No quarto estágio ocorre a produção da maior parte dos hormônios, que regulam nossa vida; o quinto estágio está relacionado ao descanso e à capacidade de armazenamento de informações da memória.

Um indivíduo que tem a síndrome da apnéia obstrutiva do sono não consegue concluir os estágios do sono. Consequentemente, não consegue regular a produção hormonal, essencial ao funcionamento correto dos órgãos, e ter sua função neurológica e cognitiva regularizada.

Entenda mais sobre o quarto estágio

  • É no quarto estágio do sono que produzimos a insulina, responsável pela regularização da produção de glicose;
  • No quarto estágio produzimos os hormônios grelina e leptina, responsáveis pela sensação de saciedade alimentar;
  • Nele, também produzimos o cortisol, hormônio que controla os níveis de pressão arterial;
  • E produzimos o hormônio antidiurético.

Entenda mais sobre o quinto estágio

  • É no quinto estágio do sono que realizamos a faxina cerebral e armazenamos todos os fatos importantes;
  • Neste quinto estágio do sono é que ocorre o descanso físico e mental;
  • Portanto, a apnéia obstrutiva do sono é a doença que pode afetar todos esses comandos essenciais da nossa vida.

A apnéia do sono e a odontologia

O tratamento dos distúrbios do sono, no caso, a apnéia obstrutiva do sono, é capaz de evitar o enfarto do miocárdio, o avc, o diabetes, distúrbios neurológicos, cognitivos e a obesidade.

Nesse contexto, é essencial que o cirurgiã-dentista esteja atento ao diagnosticar o seu paciente com tal síndrome, e de trata-lo da melhor forma possível. A odontologia do sono interage interdisciplinarmente com a medicina do sono, controlando a apnéia obstrutiva do sono – glossoptose, durante o sono, com a indicação de dispositivos intrabucais, capaz de evitar a queda da língua.

Ficou interessado? Quer saber mais sobre este assunto? Então não perca a oportunidade de participar da capacitação em odontologia do sono para atuação em equipe multidisciplinar de medicina do sono, com o professor e coordenador do curso, Dr. Mauro Eduardo de Oliveira – Ortodontista e Dentista do Sono (cro/go 3639).

Programe-se: 25 e 26 de maio de 2018.
Endereço: SGAS 915 – Centro Clínico Advance 1 – Brasília/DF.
Telefones para contato: 61.3345.13.35 / 61.3345.5750.

Curso inédito com aplicabilidade do dispositivo intraoral e CPAP. Palestra com médicos otorrinolaringologistas – exames de polissonografia e clínico-médico.

Até lá!

Autor: Mauro Eduardo de Oliveira – Cirurgião-dentista; Especialista em Ortodontia e Odontologia do Sono; e Membro da Associação Brasileira do Sono.

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.