Gestão e Marketing

Sustentabilidade na Odontologia: você a pratica?

Sustentabilidade na Odontologia: você a pratica?
Compartilhar | Comentar

Sustentabilidade é um assunto que gera muito debate, pois possui grande relevância social, e que vai além de apenas separar detritos. Praticar ações sustentáveis são fundamentais para que possamos continuar com as nossas riquezas minerais por longos anos. E no setor odontológico não é diferente. Estamos vivendo numa época em que cada vez mais precisamos colocar este tema em pauta e elevar sua devida importância. Hoje, 05 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente, devemos pensar e refletir sobre atitudes mais conscientes para o meio no qual vivemos.

Sabe-se que há grande quantidade de água e energia gastas em procedimentos odontológicos, por isso, as ações que visam a preservação e manutenção de recursos são primordiais na área. Também os resíduos, que por si só, impactam de modo negativo ao nosso meio ambiente – claro, se não forem remanejados ao seu correto descarte. No Brasil, somente os resíduos tem uma produção aproximada de 387 quilos por habitante no ano. E só dá o destino correto a pelos menos 58% de tudo que coleta; sendo 42% levados aos lixões e aterros controlados. Dados repassados pela Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe).

A responsabilidade com o meio ambiente precisa partir de cada um de nós, e existem diversas ações de sustentabilidade na odontologia que é possível praticar. Veja as dicas que preparamos!

Práticas Sustentáveis na Odontologia

Resíduos: os materiais poluentes e que demoram para se decompor necessitam de atenção especial: a reciclagem. Portanto, na coleta seletiva dos resíduos em seu consultório ou clínica, dê prioridade para empresas credenciadas, que recolham e descartem conscientemente. Na odontologia, deve ser dado um cuidado especial, pois a contaminação através de perfuro cortantes, culturas microbiológicas ou substâncias de material pesado é muito grande. Inclua sacos de lixo biodegradáveis ou hospitalares, sinalize nas lixeiras o descarte de cada material, por exemplo: infectante e comum, assim, você terá a certeza de estar jogando no lugar devido.

Saco de lixo hospitalar

É desde 2004 que a Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) n° 306, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), entrou em vigor, e é onde estão definidas as classificações dos RSS – os resíduos de serviço de saúde – e qual o devido gerenciamento a ser dado para cada grupo. Sempre verifique com a Anvisa, Conama (Conselho Nacional de Meio Ambiente) e os órgãos reguladores de meio ambiente da sua cidade quais as normas exigidas.

Iluminação: a luz nos procedimentos é utilizada o tempo todo. Substitua as lâmpadas incandescentes por lâmpadas fluorescentes e de led, que podem reduzir o consumo em até 80%. Instale sensores de movimento em áreas apenas para passagem rápida, como corredores e banheiros.

Energia: verifique se há tomadas suficientes para você e seus pacientes, assim elimina a possibilidade de usar benjamins – ou ainda T –, as extensões de tomadas, que tem um consumo maior de energia e ainda podem causar acidentes.

Climatização: verificar o filtro do ar condicionado a cada 15 dias para estar sempre limpo e funcionando em boas condições. Solicitar que um técnico credenciado realize a manutenção preventiva pelo menos uma vez por ano. Caso contrário, ele poderá causar fortes odores, desperdiçar uma quantidade de água significativa por começar a pingar e forçar o compressor em seu funcionamento, também gastando mais energia.

TV, áudio, informática e eletros: antes de sair do seu consultório para almoçar ou no final do dia, não deixe os televisores e notebooks em stand by, sempre desligue-os. Preste atenção aos outros aparelhos/equipamentos que podem estar na tomada, como: cafeteira, autoclave, destilador, ventilador, raio-x, entre outros.

Na cadeira odontológica: as práticas sustentáveis também envolvem a sua cadeira, é importante sempre voltar ao ponto zero quando finalizar o atendimento; lembrar de desligar o refletor quando for procedimento extrabucal; e acionar os suctores só quando for usar.

Torneiras: de acordo com a ONU (Organização das Nações Unidas), 110 litros de água por dia é o bastante para as necessidades básicas de higiene e consumo de apenas uma pessoa. Contudo, cada brasileiro utiliza 185 litros por dia de água, sendo 68% acima do recomendado.

Por isso, a instalação de mecanismos de tempo para abertura das torneiras são essenciais, e é sempre bom reforçar o ótimo desempenho – e economia – que proporcionam. Instale sensores de movimento para o corrimento da água, acionamento por pressão, ou ainda no pedal.

Procedimentos odontológicos: pode-se reduzir o impacto negativo ambiental com os restauradores de resina e porcelana, que são menos agressivos.

Sensores e raio-x digital: troque seu aparelho convencional de raio-x com revelador e fixador por sensor ou raio-x digital. É um investimento que resultará positivamente em seus atendimentos, pois ao disparar, a imagem é apresentada em poucos segundos na tela do seu computador. Facilitando o diagnóstico e a comunicação com o paciente, com qualidade superior a do filme revelado.

Marca num papelzinho? Utilize o papel de forma consciente. Tente usar mais a tecnologia a seu favor para marcar consultas, enviar receitas e exames através de aplicativos, WhatsApp, e-mail… Essa é uma das formas de implementar possibilidades mais eficazes que economizam tempo e reduzem o consumo de papel.

Anote em algum lugar: é interessante espalhar pelo seu consultório essas práticas sustentáveis em lembretes ou até mesmo pendurar em algum lugar visível, assim, você controlará todo esse ciclo e conseguirá torná-las um hábito.

Como a sustentabilidade é um tema de preocupação mundial, podemos ver que muitos pacientes se interessam por esse assunto, e pesquisam como o cirurgião-dentista se comporta diante do tema. Por isso, a participação positiva nesse cenário é fundamental para assegurar atitudes corretas quanto às práticas sustentáveis.

Esperamos que tenham gostado das nossas dicas e que elas sejam úteis para o seu dia a dia. Essas ações, além de serem simples são econômicas e menos agressivas ao nosso meio. E lembre-se: sempre programe a manutenção dos seus equipamentos, motores, bomba de vácuo, energia elétrica e encanamento. Desta forma, você evita gastos desnecessários e desperdício de recursos.

Se você já pratica ou tem alguma recomendação sobre sustentabilidade, escreva nos comentários!

Fonte: Estadão; Abrelpe; Anvisa; Sebrae; ONU.

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.