Endodontia

Saiba mais sobre a tecnologia na Endodontia: as perguntas mais frequentes

Saiba mais sobre a tecnologia na Endodontia: as perguntas mais frequentes
Compartilhar | Comentar

A Endodontia com certeza foi uma das especialidades odontológicas que mais evoluíram tecnologicamente na última década. Novos instrumentos e novos equipamentos, aliados aos novos conceitos no tratamento endodôntico, o tornam cada vez mais previsível e exitoso! Entretanto, os dentistas especialistas em Endodontia ou os que almejam iniciar um curso de especialização se deparam com inúmeras dúvidas frente a tantas novidades. O que usar? O que comprar? Como e onde eu uso tudo isso? Preciso começar tudo do zero de novo?

Levantei algumas das perguntas mais frequentes feitas ao longo desses anos pelos meus alunos e ex-alunos de Especialização em Endodontia e respondo aqui pra vocês.

Espero que aproveitem!

As perguntas mais frequentes

1. Se eu comprar um motor da marca “X” eu só posso usar as limas dessa marca?
NÃO! Todos (praticamente todos) os sistemas de preparo mecanizados seguem o mesmo padrão de encaixe no contra-ângulo do motor. Na verdade, é o mesmo padrão de encaixe do contra-ângulo de baixa rotação. Isso NÃO quer dizer que você pode usar limas rotatórias no de baixa rotação! Mas o importante é saber que você não estará fechado só no sistema da marca do motor.

2. Os motores são todos iguais então?
NÃO! Apesar do encaixe das limas serem iguais, existem movimentos e programações diferentes de um motor para outro. Atualmente, no mercado nacional temos 4 tipos de movimentos diferentes entre os diversos sistemas de preparo: rotatório, recíproco, “adaptive” e o movimento de rotação alternada. No Brasil, nenhum motor contempla todos esses movimentos. Todos têm o movimento rotatório convencional. Alguns só rotatório mesmo e outros também vem com um ou dois dos outros movimentos.

3. Qual é o melhor sistema de preparo endodôntico?
Na realidade, desde 2004, os estudos sobre capacidade de preparo endodôntico utilizando-se da micro-tomografia como método avaliativo chegam a resultados muito semelhantes. Nenhum sistema de preparo é capaz de trabalhar em todas as paredes do sistema de canais, deixando em média de 30% a 40% de paredes NÃO tocadas. Dessa forma, não existe melhor sistema. O que existe é uma gama enorme de opções para podemos escolher o sistema (ou a associação de sistemas) mais indicado para cada caso. Além, é claro, de ter em mente que só o preparo por si só não é suficiente para um bom tratamento.

4. Tratamento endodôntico: Quanto mais rápido, melhor?
NÃO! (essa era fácil de saber!). De novo, a ideia de que tratamento rápido e fácil é melhor. Pelo contrário. O preparo mecanizado pode ser falho e é a substância química que terá a responsabilidade de compensar isso. Só que ela precisa de TEMPO para agir! Então quanto mais rápido o tratamento, MENOR a ação da substância química, logo, maiores as chances de FRACASSO!

Leia também: Tratamento endodôntico utilizando-se o MTA Fillapex como cimento obturador

5. Localizador apical (na verdade, foraminal) é útil? Preciso ter?
SIM! É um ótimo investimento na Endodontia. Mas lembrem-se: como motor não é tudo igual, localizador também não! No mercado nacional, um bom localizador não sai por menos de 2 mil reais. Dica: fujam das marcas que vendem “réplicas”!

6. E o ultrassom? Serve mesmo pra Endo?
DEMAIS! O uso do ultrassom provavelmente é a grande mudança na Endodontia da última década. Revolucionou a maneira que encaramos o tratamento. Hoje, existem insertos (pontas) de ultrassom para TODAS as etapas do tratamento, desde o acesso até a obturação (até para uma cirurgia apical também!)

7. Mas eu preciso comprar um ultrassom específico para Endodontia?
NÃO! Se você já tem um equipamento de ultrassom Piezoelétrico, perfeito! Você só precisa descobrir o padrão de encaixe do seu ultrassom e escolher os insertos de Endodontia que você precisa!

IMPORTANTE: Aquela caneta de “ultrassom” que se conecta a entrada borden da sua cadeira como um alta ou baixa rotação NÃO É um ultrassom. Devido a frequência de vibração, ela é na verdade apenas uma caneta sônica.

8. Para ser Endodontista eu preciso ter um microscópio?
CLARO QUE NÃO! Porém, a magnificação e iluminação do campo operatório auxilia em muito no diagnóstico, planejamento e tratamento endodôntico. Caso não seja possível ter um microscópio, uma lupa binocular e um fotóforo já ajuda demais no dia a dia. Existem binoculares que custam desde 300 reais a mais de 5 mil reais. Veja o que cabe no seu bolso hoje e invista em algum tipo de magnificação e iluminação.

9. Eu só atendo convênio ou um público mais humilde. Vale a pena investir?
ÓBVIO! Toda essa tecnologia veio para facilitar nosso dia a dia clínico e viabilizar alguns casos mais complicados. Claro que existe um investimento inicial, que não é barato. Porém, lembre-se que esse investimento faz com que você racionalize o uso do bem mais precioso do seu consultório: VOCÊ. Trabalhar com melhores condições e de maneira mais prazerosa repercute diretamente no seu bem-estar. Além disso, a tecnologia facilita seu cotidiano a ficar mais produtivo, podendo atender mais pacientes em menos tempo. E todo esse investimento ajuda a mostrar ao seu paciente que você é diferenciado e, consequentemente, aumenta o valor agregado ao seu tratamento.

10. Ok, preciso investir… mas por onde eu começo?
Para quem realmente curte endodontia e quer se aprofundar na especialidade, eu recomendo fazer um curso de especialização – se ainda não fez –. Isso não quer dizer que você não irá fazer outra área no consultório. Apenas que você está preparado para atender casos “especiais” em Endodontia. Para quem já é especialista, existem cursos de imersão ou reciclagem de 1 a 3 dias, onde é possível atualizar o conhecimento sobre novos sistemas e equipamentos. A partir daí sua necessidade de consultório vai nortear para quais investimentos são mais urgentes ou não. Peça sempre ajuda para seu professor nessa hora também. Com certeza ele poderá te auxiliar muito na tomada de decisões para compras.

Abraços!

Autor: Prof. Dr. Cacio Moura-Netto.
Graduado em 1999 pela Faculdade de Odontologia da Universidade Paulista; Especialista e Mestre em Endodontia pela Faculdade de Odontologia da Universidade Paulista; Doutor e Pós-Doutorado pela Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo.
Prática privada exclusiva em Endodontia na Clínica Union Health – Saúde e bem-estar, São Paulo.
Prof. Coordenador do Curso de Especialização em Endodontia UNIP – São Paulo.
Prof. Titular, responsável pela Disciplina de Endodontia da UNIP – Campinas.
Currículo Lattes!

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.