Especialidades

Traumatismos Dentários no Esporte: O que fazer?

Traumatismos Dentários no Esporte: O que fazer?
Compartilhar | Comentar

Segundo o Diagnóstico Nacional do Esporte divulgado no ano de 2013 pelo Ministério do Esporte, cerca de 25,6% da população brasileira pratica alguma atividade esportiva. O que muitos desses atletas amadores ou profissionais não fazem idéia é que o traumatismo dentário não é tão raro quanto se imagina.

De acordo com estudos divulgados pela ADA (American Dental Associoation), mais de 5 milhões de dentes são avulsionados (saem completamente da boca) por ano, e a prática esportiva é responsável por até 39% desses casos. Isso acontece devido ao aumento da competitividade e intensidade da prática entre os atletas, assim como a velocidade do jogo que aumenta o potencial de um eventual traumatismo. Durante a pratica esportiva o rosto muitas vezes é a parte mais exposta de um atleta, apresentando 10% de chance de receber uma lesão orofacial por partida. Além disso, a chance de receber esse tipo de lesão durante a sua carreira de jogador é de 33-56%

Apesar desses números, a utilização de um protetor bucal ainda não é obrigatória em todas as modalidades esportivas, e pouco difundida dentro das instituições esportivas e de ensino.

Por isso hoje os traumatismos dentários ainda são uma realidade no cenário esportivo mundial.

Mas o que fazer frente a um traumatismo dental?

EM CASO DE FRATURA: Encontre o fragmento, conserve em um recipiente com soro fisiológico ou leite e procure um dentista para avaliar a possibilidade de recolar esse fragmento.

SE O DENTE ESTIVER TORTO OU MOLE: Se o dente estiver torto, com as mãos limpas, tente empurra-lo para a posição original, em caso de mobilidade dental, não faça nada e procure o cirurgião dentista.

SE O DENTE SAIR COMPLETAMENTE DA BOCA: Procure o dente. Em nenhuma hipótese toque ou segure na raiz do dente. Lave-o com água filtrada ou soro fisiológico sem esfregar e tente reposicionar, caso não consiga, guarde em um recipiente com leite ou soro fisiológico e leve-o mais rápido possível para o dentista.

SE FOR DENTE DE LEITE: Ache o dente. Não tente reposicionar, apenas guarde no leite ou soro fisiológico e leve-o para o dentista.

Em todos os casos, quanto menor tempo o dente permanecer fora da boca, e quanto mais rápido visitar o dentista, maiores serão as chances de sucesso de recuperação do dente ou fragmento dental.

Para que de fato se evite os traumatismos por prática esportiva recomenda-se a utilização de um protetor bucal customizado feito sobre medida por um cirurgião dentista especializado, confeccionado conforme as exigências da modalidade praticada. Estarei abordando esse tema em minha próxima pauta.

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.