6 passos para realizar a colagem de bráquetes

Quando um paciente chega no consultório para dar inicio ao tratamento com aparelho ortodôntico, ele busca por um tratamento de qualidade. Alguns processos são básicos e facilitam o protocolo a ser seguido, além de garantir a segurança para o paciente. Nada deixa um ortodontista mais feliz do que realizar uma colagem de bráquetes com eficiência, não é mesmo!?

Criamos um passo a passo para você consultar e lhe auxiliar nessa etapa tão importante no tratamento ortodôntico!

Passo a passo para colagem de bráquetes

Certifique-se de que todos os materiais necessários para realizar o procedimento estão próximos de você. São eles:

  • Pedra Pomes;
  • Escova de Robinson;
  • Adesivo Transbond XT;
  • Pinça de colagem;
  • Posicionador de bráquete;
  • Resina;
  • Bráquetes.

E claro, seus EPIs e de seu paciente.

1º passo: Remova o biofilme

Com a pedra pomes em ponto de pasta, você irá utilizar o contra ângulo em baixa rotação para eliminar todo o biofilme do paciente antes de realizar a colagem do bráquete, não se esqueça de enxaguar bastante, para que todos os resíduos tenham sido eliminados. Garantindo que a superfície de contato esteja limpa e seca para receber os demais passos.

2º passo: Realizar o ataque ácido

Você precisa verificar qual a superfície que predomina no dente e optar por usar o material adequado para cada caso

  • Esmalte Dentário: utilizar ataque ácido por 15 a 30 segundos.
  • Cerâmica: aplicar o condicionador de porcelana.
  • Resina acrílica: ataque com monômero por até 2 minutos e não lave posteriormente.
  • Metálica Amálgama: caso a área metálica seja significativa recomenda-se bandar, pois os adesivos não têm boa aderência em superfícies metálicas lisas.

3º passo: Lavar e secar os dentes

Enxágue em abundância, posicione o sugador, use o bloqueador de língua ou os roletes de algodão e seque os dentes com ar comprimido.

ATENÇÃO: Verifique se o esmalte atacado pelo ácido ficou esbranquiçado!

4º passo: Aplicar primer Transbond

Aplicar Adesivo Transbond XT nos dentes com microbrush e carregue a base dos bráquetes com a resina. Certifique-se de remover todos os excessos de resina ao redor dos bráquetes e tubos para evitar acúmulos de placa/biofilme.

5º passo: Posicionar o bráquete nos dentes

Deixar nas pinças de colagem os bráquetes pré-carregados com resina para minimizar o tempo entre a aplicação do adesivo e o posicionamento do bráquete. Quanto mais rápido posicionar o bráquete no dente, após a aplicação do adesivo, menor o risco de contaminação com umidade. Bráquetes colados em um ambiente com muita umidade são mais suscetíveis a descolagem. Não esqueça apenas de manter as pinças com os bráquetes carregados de resina ao abrigo da luz!

>>>Leia também: Dobras e alças ortodônticas: por que tão importantes?

6º passo: Fotopolimerizar

Não perca muito tempo entre a colagem e a fotopolimerização, já que o material pode começar a reagir em contato com outras fontes luminosas. Utilize o equipamento com intensidade nominal acima de 300mW/cm².
Posicione a ponta o mais perto da base sem encostar e fique 10 segundo em cada lado do bráquete. Repita o procedimento em todos os dentes!

Atenção: Deixe a luz do refletor afastado neste momento para não polimerizar a resina. Além disso, antes da consulta é importante que você verifique a bateria, as lâmpadas, se há algum resíduo na ponta ou se o equipamento está mal encaixado.

>>>Leia também: Aparelho autoligado: metálico ou estético?

Dica extra:

Outra dica clínica muito importante para os destros e para os canhotos, é iniciar a colagem pelo seu lado contrário de trabalho, lado com maior dificuldade na visualização, pois no início da colagem é natural estar mais descansado e menos suscetível a erro no posicionamento. Um profissional destro é recomendado iniciar a colagem ortodôntica pelo lado esquerdo do paciente e ao final da colagem estará no lado direito do paciente, de frente para os dentes, com uma visualização direta e os riscos de erro na colagem dos bráquetes são minimizados dessa forma!

Dentes posteriores como segundos e primeiros molares são mais suscetíveis à umidade e por isso recomendamos a utilização de resinas hidrofílicas como a Transbond Color Change.

Sobre o autor:

Daniel Mônaco

  • Ortodontista responsável pelos casos do Instagram: @dobrasealcas
  • Professor do Instituto Dobras e Alças ®.

✍️ Deixe seu comentário

📢 Compartilhe com os amigos

🕵 Siga nossas redes:

 Facebook

 Instagram

 Twitter

 Pinterest

 TikTok

Youtube

Ouça nosso Podcast

Acesse nossa Loja Virtual e encontre a solução completa para você na Odontologia!

Comentários

Nenhum comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.