Implantodontia

A Implantodontia nas especialidades da Odontologia

A Implantodontia nas especialidades da Odontologia
Compartilhar | Comentar

Ainda em dúvida sobre qual especialidade da Odontologia escolher? Vamos abordar a Implantodontia, especialidade que une habilidades da periodontia, da cirurgia e principalmente da prótese.

Obviamente, como todos já sabem, instalar implantes não é sair furando osso à torto e direito para depois “corrigir” a angulação e as distâncias na prótese. A especialidade caminha para um futuro digital, com planejamento reverso e virtual. Há também maior entendimento sobre enxertos e respeito a todos checklists da prótese para garantir sua longevidade e sucesso.

O mercado brasileiro da Implantodontia movimenta mais de 800 milhões de reais. Atualmente, temos quase 17.000 especialistas na área cadastrados no site do Conselho Federal de Odontologia. Esse percentual corresponde a cerca de 13% do total de dentistas especialistas, perdendo apenas para a Ortodontia. Em outras palavras, é uma área competitiva e com muitos dentistas se levarmos em conta as grandes cidades.

Entretanto, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mais de 16 milhões de brasileiros vivem sem os dentes, sendo que acima dos 60 anos, 41,5% já perderam todos os dentes.

Para complementar, segundo dados de conselhos regionais de odontologia, no Brasil já são instalados mais de 1 milhão de implantes por ano.

>>> Leia também: Implantodontia, um guia básico para estudantes de odonto

Geralmente, dentistas buco maxilo faciais ou periodontistas enveredam para a área da implantodontia levando em conta a afinidade pelas cirurgias.

O planejamento faz parte do sucesso

Um detalhe que vocês podem achar curioso é que implantodontistas podem optar por realizar suas reabilitações do início ao fim. Começam o planejamento, em seguida a cirurgia e terminam com a prótese. Por outro lado, podem apenas instalar os parafusos e encaminhar o paciente para um protesista realizar a reabilitação. Dessa forma, é possível ser implantodontista mesmo que a prótese não seja a sua praia.

Particularmente, gosto de fazer todo o procedimento para ter controle sobre o planejamento reverso.

Falando em planejamento, a especialidade encontra muito espaço no fluxo de trabalho digital. Muitas empresas investiram bastante em softwares que podem dar ao cirurgião dentista uma possibilidade de planejamento total feito no computador. Tudo isso com confecção de guias para uma maior segurança e previsibilidade das cirurgias e com peças provisórias e definitivas fresadas. 

Somente no Brasil, podemos encontrar mais de 20 empresas diferentes com sistemas, kits e características de implantes diferentes.

>>> Leia mais: Odontologia digital como aliada da implantodontia

A empatia caminhando junto da Implantodontia

Quem optar pela Implantodontia deve gostar não apenas de ossos, gengiva, cirurgias, oclusões, parafusos e chaves.

O curso tem carga horária mínima de 1.000 horas que são distribuídas ao longo de 2 anos. O especialista vai atuar no diagnóstico das condições das estruturas ósseas dos maxilares, mucosas e estruturas de suporte dos dentes. Além disso, aprende sobre osseointegração, os diferentes tipos de prótese sobre implante, técnicas cirúrgicas específicas, manutenção e controle dos implantes e cirurgias de enxertos ósseos e tecido gengival.

Algumas pessoas chamam a implantodontia de terceira dentição, somando às nossas dentições naturais decíduas e permanentes. Para isso, é levado em conta o envelhecimento da população e sua melhora de qualidade de vida.

Devolver de maneira fixa os dentes perdidos melhora a função mastigatória e eleva a autoestima das pessoas. Elas podem voltar a comer seus alimentos favoritos, do gosto do brasileiro, como churrasco e torresmo. E, falando em autoestima, um sorriso novo proporciona ao paciente a possibilidade de se sentir aceito pela sociedade.

Claro, tudo isso é realizado, sempre, com muito cuidado. O dentista tem o papel de tentar garantir a longevidade dos trabalhos atuando na orientação, prevenção e manutenção. Exemplo disso é o tratamento de complicações como a peri-implantite e eventuais fraturas.

Tendo tudo isso em vista, se você gosta de desafios e de proporcionar alegria a quem recebe o tratamento, o seu lugar é aqui com a gente. Seja bem-vindo(a) à Implantodontia!

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.