Dicas

Aparelhos autoligados: metálico ou estético?

Aparelhos autoligados: metálico ou estético?
Compartilhar | Comentar

Hoje em dia, muitos pacientes chegam ao nosso consultório com uma gama de informações, desde tipos de aparelhos a marcas especificas. Portanto, cabe a nós profissionais fazer uma boa anamnese que, ao meu ver, é a principal consulta. Certamente você será mais preciso na indicação para aquele paciente. Digamos que você trabalha com aparelhos autoligados e a questão agora é definir se indica o metálico ou o estético. Vamos as considerações:

O seu paciente busca agilidade no tratamento?

Ofereça e mostre os diferenciais do bráquete metálico. Ele resiste mais às quebras, sua estrutura suporta melhor as forças dissipadas pelos fios mais calibrosos. Além disso, caso alguma aleta/porta do bráquete se quebre, será menos onerosa a substituição.

Diga que já poderá iniciar várias mecânicas objetivas de início (como uso de elásticos) ao passo que as consultas serão rápidas e podem ter intervalos maiores, como a cada 60 dias.

aparelho autoligado: metálico

Paciente não quer usar bráquetes autoligados metálicos?

Ofereça os bráquetes estéticos. Sem dúvida, alguns pontos são importantes esclarecer (tenha fotos de boa qualidade pra mostrar). Normalmente, o paciente que opta por este tipo de bráquete tem um grau de exigência maior. Portanto, deixe claro desde o inicio algumas intercorrências que este tipo de bráquete pode causar, de acordo com a marca utilizada. São elas:

Bráquetes com tampa em ródio

O clip de fechamento em ródio oferece uma boa resistência a quebra da tampa. Porém, é provável que incomode seu paciente em relação a estética, visto que tem uma coloração acinzentada. Evite passar pelo dissabor de ouvir do seu paciente após a colagem do aparelho ‘’nossa, achei que ele fosse mais discreto’’. Chato né?

Bráquetes com tampa em polímero

Popularmente conhecido como plástico, o polímero pode ter tudo aquilo que você NÃO busca: manchamento e fragilidade. Busque saber os hábitos de seu paciente (ai volta la no inicio do texto: anamnese é a consulta mais importante) para preparar ele (e você!).

Descubra se é fumante, se toma chimarrão, café entre outros líquidos com alto poder de pigmentação. A troca do elástico é realizada quando ocorre pigmentação. Mas, e se o clip do seu aparelho manchar? Você vai substituir o bráquete? Esteja atento também a facilidade das quebras destas portas, todo cuidado no abrir e fechar são fundamentais.

Bráquetes com tampa cerâmica

São os bráquetes mais estéticos (e caros!) do mercado. Normalmente vem com acessório próprio para abertura das canaletas. Procure ler as informações técnicas para saber se esse clip realmente é cerâmico.


Seu paciente quer agilidade e o aparelho mais discreto?

Neste caso caro colega, não prometa nada pensando apenas na venda! Pelo contrário, tente entender o que é mais importante para o seu paciente. Não ofereça milagres para não colher dores de cabeça. O leque de opções existe e quem domina todas as informações é você. Tente chegar a conclusão do que é mais importante e prepare seu paciente de acordo com a opção que mais se encaixa no caso dele.

Portanto, a conclusão que podemos chegar é: apesar do acesso à informação que o paciente de hoje tem, ninguém melhor que você para saber direcionar qual o melhor aparelho para cada caso. Use e abuse do seu conhecimento e poder de convencimento, se for o caso. E nunca se esqueça: tudo que disser antes é informação, depois, desculpa.

Autor:

Dr. Gustavo Ciccone
Mestrando em Ortodontia pela Faculdade São Leopoldo Mandic
Especialista em Ortodontia pela São Leopoldo Mandic
Atualização em Ortodontia Preventiva e Interceptativa pela ABO-RS
Ortodontia Avançada pela Dental Press, Maringá
Credenciado no sistema de alinhadores Invisalign e demais empresas;
Credenciamento em Ortodontia Lingual
Professor curso especialização Ortodontia da rede IOA (Porto Alegre)

Fotos de: Gustavo Ciccone e Natalia Trevisam.aparelhos

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.