Como colocar em prática o monitoramento da esterilização em autoclaves

Neste post Como colocar em prática o monitoramento da esterilização em autoclave abordaremos o tema de maneira abrangente, explicando sobre o monitoramento físico, químico e biológico. Além disso, você aprenderá a gerenciar esse importante processo e interpretar os resultados dos testes.

O que é o monitoramento da esterilização em autoclave?

O monitoramento ou monitorização nada mais é do que o controle de qualidade da esterilização. O objetivo dessa atividade é detectar as falhas do processo, dessa forma, o monitoramento é considerado como parte integrante das etapas da esterilização, independentemente do método escolhido para a esterilização. Abordaremos o monitoramento da esterilização de autoclave a vapor.

Por que as falhas na esterilização podem ocorrer?

Elas podem ser ocasionadas pelos seguintes erros:

  1. operador;
  2. equipamento;
  3. instalação;
  4. falhas combinadas.

Quais são as etapas do monitoramento?

O monitoramento é composto por três etapas:

  1.  Monitoramento físico;
  2.  Monitoramento químico;
  3.  Monitoramento biológico.

A seguir, abordaremos cada uma delas.

Monitoramento Físico

Consiste em verificar se a autoclave atinge os parâmetros físicos indicados no manual de instruções que acompanha o equipamento. São eles:

  1. Tempo;
  2. Temperatura;
  3. Pressão.

Os parâmetros físicos variam de acordo com o ciclo e o modelo da autoclave. Em Autoclaves Cristófoli é possível fazer essa conferência no painel do equipamento, o que possibilita que o operador realize o monitoramento físico em seu consultório.

Vitale Class CD12L

Monitoramento Químico para esterilização em autoclave

É realizado com a utilização de indicadores químicos, os quais são categorizados pelas seguintes classes ou tipos, de acordo com a ISO 11140.

Classe 1

Indicadores de passagem, que normalmente são encontrados em fitas zebradas e impressos diretamente nas embalagens tubulares ou envelopes de papel grau cirúrgico. Indicam se um determinado pacote passou pelo processo de esterilização, porém não garante a sua esterilidade. Ademais, deve-se utilizá-los em todos os pacotes externamente.

Classe 4

Indicadores químicos multiparamétricos. Os CDC (Centers for Disease Control and Prevention dos Estados Unidos) recomendam utilizar no interior de cada pacote. Mostram que houve penetração de calor e vapor, mas não garantem a esterilização. Saiba mais sobre o indicador químico classe 4 SIL 250.

Indicador Quimico SIL-250

Classe 5

Integrador químico de uso interno. É também considerado um indicador de carga. Combina os parâmetros mundialmente determinados para os  indicadores biológicos. Tem boa confiabilidade, porém, alguns modelos aprovam o ciclo independente da presença de vapor se a temperatura estiver acima de 140 °C, o que é uma limitação.

Um indicador químico bastante confiável é o Steam Plus, que contempla a margem de segurança do ciclo e resiste 140 o C a seco. Sendo assim, não apresenta um resultado falso aprovado nessa situação.

Indicador Integrador SteamPlus

Estas são algumas de suas vantagens:

  • pode ser utilizado em qualquer ciclo, 121 °C, 129 °C ou 134 °C;
  • pode ser usado em autoclaves gravitacionais e com vácuo;
  • independe de leitura de cor, o resultado é inconfundível;
  • possui um preço bem convidativo.
  • para o armazenamento em folha de registro pode ser usada uma cola bastão no verso ou fita adesiva dupla face.

Recomenda-se utilizar os indicadores classe 5 pelo menos no primeiro ciclo de esterilização em autoclave de cada dia de trabalho, pois eles têm grande confiabilidade e demonstram se o ciclo apresentou todas as condições (temperatura em presença de vapor por tempo suficiente) para que a esterilização tenha ocorrido. A RDC 15 exige a utilização de pelo menos um indicador químico classe 5 em cada ciclo dentro de um pacote teste desafio.

Classe 6

Emuladores para temperatura específica, 121 oC ou 134 oC, em tempos específicos e predeterminados. São especialmente úteis para avaliar ciclos que ultrapassam os parâmetros de indicadores biológicos, como os ciclos para príons (não são comuns em autoclaves no Brasil) – 134 ºC por 18 minutos.

Indicador Químico Emulador TST

As mais recentes recomendações sugerem um indicador químico classe 4 dentro de cada pacote (AAMI e CDC), um indicador químico classe 5 (AAMI, CDC, RDC15 para hospitais) ou classe 6 (RDC 15) em cada carga e um Classe 5 em cada pacote cirúrgico (AAMI).

Monitoramento Biológico 

É a monitorização mais confiável, pois se realiza com microrganismos tecnicamente preparados que compõem os indicadores biológicos, para demonstrar a esterilização.

Indicador Biológico SteriTest

Os indicadores biológicos são testes construídos em  uma ampola plástica com tampa, que permite a entrada de vapor, com  um disco impregnado com uma população conhecida de endósporos, separada do meio nutriente (líquido roxo) por uma ampola de vidro. Os endósporos bacterianos utilizados são de Geobacillus stearotermophilus, altamente resistentes ao calor úmido e não são patogênicos. São utilizados como desafio, pois uma vez tendo sido eliminados, todos os outros endósporos e formas vegetativas também serão.

Como fazer o teste biológico em minha autoclave? 

  1. Coloque a ampola teste dentro de um pacote que irá passar pelo ciclo de esterilização em autoclave. Os hospitais realizam o teste no primeiro ciclo do dia e colocam o pacote teste no ponto mais frio da autoclave, que é na parte inferior junto ao dreno.
  2. Nas Autoclaves Cristófoli coloque o pacote com a ampola na bandeja superior, na parte frontal (junto à porta).
  3. Terminado o ciclo, abra o pacote e recupere a ampola in, depois aguarde 15 minutos para que resfrie e perca a pressão.
  4. Introduza 1/3 da ampola teste dentro da incubadora. Dobre a parte superior da ampola plástica, que é flexível, para ativá-la. Isso resultará na quebra da ampola interna de vidro, expondo os endósporos ao meio de cultura.
  5. Retire a ampola da incubadora e dê um peteleco na parte inferior. Certifique-se de que o meio de cultura embebeu o disco com endósporos.
  6. Coloque a ampola teste para incubar junto com outra ampola chamada controle, que não passou por esterilização, mas deve ser ativada da mesma forma. A ampola controle é necessária para validar o teste.
Mini Incubadora

A finalidade da ampola controle é testar tanto a viabilidade dos esporos como verificar se a incubadora está funcionando corretamente. O resultado esperado é que a cor do líquido da ampola  controle mude de roxo para amarelo. Esta mudança de cor acontece pela alteração do pH da solução que resulta da atividade microbiana.

O líquido da ampola teste não deve mudar de cor, pois o esperado é que os microrganismos tenham sido destruídos no processo de esterilização na autoclave. A leitura final é feita após 24 ou 48h de incubação dos indicadores, dependendo da indicação do fabricante dos indicadores biológicos.

Registros

É importante ressaltar que todos os resultados de cada fase do monitoramento devem ser registrados ,organizados por equipamento e em ordem cronológica. Esses documentos devem ser mantidos por pelo menos 5 anos.

Com que frequência preciso utilizar indicadores biológicos?

A recomendação do Ministério da Saúde e da Vigilância Sanitária é o uso de indicadores biológicos no mínimo semanalmente e em todas as cargas que contenham implantáveis. É fundamental que o monitoramento seja realizado em conjunto e que cada etapa seja aprovada para assim obtermos confiabilidade.

Caso o seu serviço de saúde seja fiscalizado de acordo com a RDC 15, a frequência do teste com indicadores biológicos é diária. Veja a RDC 15 na íntegra.

Perguntas frequentes sobre esterilização em autoclave

Fita zebrada para autoclave é a mesma coisa que indicador biológico?

Não, a fita zebrada é um indicador químico, dito de passagem (processo ou classe 1), e só indica que o pacote passou pelo processo, não indicando, porém, a sua esterilidade.

Os indicadores químicos são confiáveis?

Os integradores e os emuladores são os indicadores químicos de maior confiabilidade, pois se utilizam vários parâmetros ao mesmo tempo, daí o seu nome. Além disso, mostram a precisão do ciclo. O indicador classe 6 só mostra mudança de cor quando 95% do ciclo é realizado de acordo com o padrão.

Embora não permitam a contraprova, como oferecem os indicadores biológicos, conferem segurança da efetividade do ciclo. Os indicadores Steam Plus, classe 5, respondem aos parâmetros do indicador biológico e a sua faixa de aceitação inclui um adicional de tempo de segurança na leitura. Aprovado pelo FDA e de acordo com os parâmetros da AAMI ST 79.

Prevenção é a melhor arma no controle de infecção!

O ideal seria utilizar indicadores biológicos para cada ciclo, o que custaria muito caro, onerando o processo. Além disso, o resultado só ficaria pronto em média em 24h. Portanto, usando todos esses controles conseguimos monitorar o processo de esterilização mais rapidamente e a um menor custo, detectando alguma falha que possa ocorrer.

Mesmo o melhor equipamento precisa de monitorização e assistência técnica adequada.

Imagine um implantodontista que descobre uma falha em sua autoclave depois que começa a perder seus implantes? Qual é o custo de uma situação como essa? Essa é uma situação extrema e por esse motivo fácil de entender. Muitas vezes, um paciente adquire uma infecção em um consultório odontológico e não nos damos conta que isso aconteceu.

A equipe como centro das ações em biossegurança

Valorize sua equipe reforçando as medidas de biossegurança e proporcionando cursos e atualizações sobre o tema. Afinal, esse é um compromisso de todos.

Conheça os Produtos Cristófoli para colocar o monitoramento em prática e assegurar a qualidade da sua esterilização:

Para facilitar a monitorização em consultórios, a Cristófoli lançou a incubadora para indicadores biológicos de segunda geração. Além disso, distribui indicadores biológicos em práticas embalagens com 10 unidades.

Autoclaves Cristófoli

SIL-250

Mini-Incubadora Cristofoli

>>> Baixe o passo a passo para realizar o teste de esterilização na sua autoclave >>>

Leia mais: Qual o prazo de validade dos materiais após a esterilização? 

Sobre a Especialista

Liliana Junqueira de P. Donatelli
Bióloga CRB 18469/01-D
Mestre em Saúde Coletiva – Faculdade de Medicina de Botucatu UNESP
Consultora de Biossegurança Cristófoli
E-mail: liliana@cristofoli.com
lilianadonatelli@gmail.com

Comentários

1 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *