Contaminação da água nos equipamentos: como prevenir?

Você já parou para se perguntar como está a condição da água do equipo odontológico que você utiliza todos os dias no seu consultório?

Pois então, vamos conversar sobre isso!

Antes, durante e após o atendimento, o paciente, o cirurgião dentista e a equipe auxiliar estão expostos a aerossóis e perdigotos, provenientes do acionamento das turbinas de rotação, ultrassom e seringa tríplice, podendo ocorrer uma contaminação cruzada por ter a presença de secreções como saliva e sangue. Todo equipo odontológico apresenta um reservatório de água no qual pode servir como um meio de disseminação de microrganismos durante a rotina de trabalho no consultório, seja público ou privado. Este reservatório é ligado a mangueiras no qual a água irá passar, e devido a aspiração e deposição de fluídos como saliva e sangue durante o atendimento, pode ocorrer a formação de biofilme microbiano no interior das tubulações permitindo uma contaminação direta da água e consequentemente do paciente.

A água presente no equipo odontológico, tem um papel muito importante durante os procedimentos realizados pelo dentista, pois permite uma irrigação direta no momento dos procedimentos com alta e baixa rotação, garante também o resfriamento dos equipamentos e dos dentes, além de ser usada para limpeza da cavidade bucal e enxague da boca do paciente.

Alguns estudos mostram que muitas vezes a qualidade da água nos reservatórios não segue o que é recomendado pela Vigilância sanitária, levando a uma preocupação em relação a taxa de contaminação da água. É visto que, esta contaminação pode apresentar risco ao paciente, uma vez que vários microorganismos como Mycobacterium spp., Legionella spp., Pseudomonas spp., Staphylococcus spp. e Candida spp., podem estar presentes nos sistemas de água do equipo odontológico.

Segundo a ANVISA, portaria nº 518 do Ministério da Saúde, o Brasil aceita água com qualidade potável até 500 UPC/Ml, porém segundo estudos que avaliaram a qualidade da água presente nos reservatórios de equipos odontológicos, os números são alto na contagem de microorganismos, necessitando uma maior atenção a manutenção da água do equipo.

Por isso, devemos ter atenção redobrada nos cuidados diários do consultório e não esquecer dos reservatórios de água.

Quais cuidados devemos ter? 

Para uso no equipo a água mais indicada é a destilada ou esterilizada, principalmente quando falamos de procedimentos cirúrgicos. No Brasil, a ANVISA determina o uso de Hipoclorito de Sódio na água como forma de controle e minimização de contaminação da água e do reservatório.

No reservatório que se destina à refrigeração dos instrumentos rotatórios, deve-se adicionar 0,3 ml de hipoclorito de sódio a 1% em 500 ml de água, para garantir a cloração.

O segundo frasco, destinado à assepsia da tubulação, recebe 25 ml de hipoclorito de sódio a 1% em 475 ml de água. Para o uso adequado do sistema, recomenda-se o acionamento imediato, logo após a conclusão de cada atendimento, bem como o esgotamento do sistema ao final do dia. As soluções devem ser renovadas diariamente, visto que os frascos são transparentes e as soluções cloradas após diluição não apresentam estabilidade.

É importante que após o atendimento, seja acionada as peças de mão por 20 segundos para que a água dos equipamentos possa fluir na tubulação. Esse procedimento é indicado no início e no final do dia, para que todo material contaminante proveniente da cavidade bucal no interior das tubulações, na água e nas turbinas possam ser eliminados.

As peças de mãos devem ser esterilizadas. Sabemos que muitas vezes é complicado esse procedimento pela quantidade de turbinas que o dentista possui, porém a esterilização ajuda a diminuir a presença de microrganismos, minimizando os riscos de infecção cruzada.

Realize a drenagem diária dos reservatórios de água e manutenção a seco durante e noite ou finais de semana. Sabemos que um ambiente úmido estimula o crescimento microbiano, por isso deixar o reservatório cheio de água parada de um dia para o outro aumenta o risco de contaminação.

Sempre faça, também, uma rotina de limpeza do reservatório. 1 vez ao mês limpe com água e sabão e faça desinfecção com Hipoclorito de Sódio a 1% por 30 minutos, em seguida, faça o enxague da solução para eliminação do excesso de hipoclorito.

Tenha todos os cuidados, zele pela vida do seu paciente!

Biossegurança é rotina e hábito, não deixe para amanhã os cuidados que você deve ter hoje!

Sobre a autora: 

Dra. Carol D. Bruzamolin | @dra_carol_bruzamolin

  • Graduada em Odontologia pela PUCPR;
  • Especialista em Odontopediatria pela PUCPR;
  • Mestre em Odontologia pela UFPR;
  • Especialista em Saúde Coletiva pela UP;
  • Doutora em Odontologia clinica pela UP;
  • Pós-graduanda em Terapias Interativas e Complementares pela UP;
  • Professora do curso de Odontologia e Medicina da UP;
  • Professora do curso de especialização em Odontopediatria e Saúde Coletiva da UP.

✍️ Deixe seu comentário

📢 Compartilhe com os amigos

🕵 Siga nossas redes:

➡ Facebook

➡ Instagram

➡ Twitter

➡ Pinterest

➡ TikTok

Acesse nossa Loja Virtual e encontre a solução completa para você na Odontologia!

Comentários

Nenhum comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *