Dicas para ser um dentista referência e se diferenciar dos concorrentes

Aprenda dicas preciosas com a dentista Karina Caporal de como se tornar um(a) dentista referência na sua cidade e se diferenciar dos seus concorrentes lendo este artigo até o final.

Neste mês de março, o Simples Dental realizou o Congresso Odontologia do Futuro, onde reuniram os principais nomes em gestão, vendas e marketing odontológico do país, com o intuito de ajudar dentistas a se prepararem para as tendências na profissão.

Uma das palestras com maior destaque nos dois dias de congresso foi a da dentista Karina Caporal, fundadora do método Dentista além do Mocho e Movimento Dental Boss. Com mais de 8 anos de experiência em Marketing Digital e mais de 2 mil alunos dentistas, a Karina deu dicas preciosas para você começar a lotar sua agenda!

Mundo Online x Offline é fundamental para ser um dentista referência

Para começar, é importante que os profissionais de odontologia entendam que, hoje em dia, existe o mundo online e o offline, e que para ser um dentista referência você precisa estar presente mostrando o seu trabalho nesses dois ambientes, sem se restringir a um só.

Simplificando, podemos pensar que o mundo offline é composto basicamente pelo olho no olho, com divulgações do seu serviço através de palestras em eventos ou empresas e usando o marketing tradicional, como revista, televisão, rádio, outdoor, etc. E o ambiente online é, por exemplo, as redes sociais, um site para sua clínica, o Facebook, enfim, tudo que é produzido na internet.

Então, o primeiro ponto é perceber a importância de estarmos presentes nesses dois mundos, abraçando todos os canais de comunicação que fazem sentido no nosso trabalho, principalmente, se a sua região é muito grande, precisando usar mais recursos ainda para atingir todo o seu público em potencial.

Entendido isso, vamos começar a explorar as formas de se tornar um dentista referência.

Capital Social x Capital financeiro

Imagine um banco, que tem seus capitais dividido em financeiro e social. O capital social é tudo que você constrói entregando valor para a sociedade, já o financeiro, é o dinheiro em si, mas que só é gerado com base na construção do capital social. Pensando nessa lógica, se você não tem o capital social, consequentemente, não terá o capital financeiro, certo!?

Dessa forma que você precisa pensar caso queira se tornar um dentista referência. Se você não gera valor para os seus clientes, eles não vão se conectar com você, portanto, não fecharão orçamentos e, assim, você não terá seu capital financeiro. Você pode gerar capital social através de informação, por exemplo, sanando as principais dúvidas sobre a odontologia nas suas redes sociais.

Pense em você como cliente, qual o primeiro canal que você procura um profissional? Vamos supor que seja no instagram, pesquisando por lá, você vai encontrar inúmeras opções, mas o que faz você escolher um entre todos? Provavelmente, você vai escolher aquele que compartilha conteúdos ricos, que se apresenta como prestativo, estudioso, responsável e reconhecido. Não é verdade?

A mesma coisa na odontologia, um dentista presente, tanto nas redes sociais quanto nos canais offline, é um dentista referência, porque assim a venda fica mais fácil. O cliente já te encontrou por outros meios, já viu você falando, já viu relato de outras pessoas sobre o seu trabalho, então, ele chega no seu consultório como se já te conhecesse.

E, é assim que a gente consegue vender sem ser chato: não só oferecendo os serviços mas, também, mostrando a importância dos tratamentos, como as coisas são feitas e por quem são feitas. Portanto, esteja preparado para entregar muita informação, porque quanto mais informação você entrega, menos força você faz pra vender!

Pessoas se conectam com pessoas

Nesses mais de 8 anos trabalhando com marketing, já me conectei com muitos pacientes e, com isso, consegui identificar um ciclo de conexão que vou compartilhar com vocês aqui:
O cliente se conecta com você, seja através de uma palestra, um workshop, um post no Instagram, e gosta do que você faz, portanto, ele compra a sua ideia e, a partir disso, começa a consumir seu conteúdo, passando a confiar mais em você, o que leva ele a comprar com você, porque gosta de você… e assim o ciclo vai se repetindo.

como se tornar um dentista referência

Por isso, a importância de se manter presente e disponível nos mundos online e off-line, só assim você consegue impactar pessoas que, invariavelmente, estão precisando dos seus serviços.

Vamos a um exemplo prático com a marca OMO. Volta e meia a gente esbarra com alguma propaganda dessa marca e, geralmente, ela está associada a uma personalidade famosa, como a Angélica. O nome disso é marketing de autoridade, a Angélica é usada estrategicamente como garota propaganda dos produtos OMO porque ela tem uma presença forte na mídia e passa confiança em quem a assiste.

Pensando assim, fica mais fácil entender porque é tão importante trabalhar a sua imagem, né? Passando uma imagem de confiança na sua profissão, as pessoas automaticamente começam a te reconhecer como uma autoridade, se conectando mais fácil e, por fim, comprando seus serviços de forma mais fluida, também. Nós, como dentistas e profissionais da saúde, temos a confiança como um pilar fundamental, afinal, se o paciente não confia em você, como os seus tratamentos vão fluir?

Nesse ponto, a rede social nos ajuda muito, porque com ela você não precisa mais construir essa confiança naqueles 30 minutos/1 hora de consulta, essa confiança vai ser estabelecida antes, lá na sua rede social ou através de um artigo de revista.

>>> Veja também: Como o networking pode te ajudar a ter sucesso <<<

Linha editorial mestra e suas complementares

Para trabalhar o nosso capital social de forma assertiva e coerente, precisamos lançar mão de algumas estratégias e ferramentas. O que eu mais indico é a criação da sua linha editorial. A linha editorial é, basicamente, a agenda do que vai ser postado nas suas redes sociais, ou os temas que podem ser abordados em palestras, workshops ou outros materiais offline.

Pense na sua linha editorial de duas formas, a mestra, que é como a coluna vertebral, que sustenta todo o corpo. E as linhas editoriais complementares, que são como os músculos, que também fazem o trabalho de sustentar, mas são mais flexíveis e podem variar entre 2 ou 3.
Vamos pegar um exemplo de uma linha mestra pautada na cura da cárie e de doenças bucais. Dentro dessa linha, vamos abordar o nicho materno infantil. Mas, antes de pensar na linha editorial como um todo, é importante entender a sua persona, que no caso exemplificado, seria a mãe da criança.

Uma pergunta que você deve se fazer nesse momento é: O que está envolvido no mundo dessa persona para além do cuidado bucal, seja dela ou do filho?

A partir daí, vamos começar a estruturar a linha editorial:

  • Linha editorial mestra: a cura da cárie e doenças bucais.
  • Linha editorial complementar 1: atividades em família.
  • Linha editorial complementar 2: alimentação do filho.
  • Linha editorial complementar 3: autocuidado da mulher.

A ideia aqui é você sair da odontologia, e falar sobre o universo da sua persona (a mãe), fazendo com que ela se conecte com você, comprando sua ideia. Pensando nisso, o ideal é que você trabalhe seu conteúdo baseado em, pelo menos, 70% na sua linha editorial mestra e os outros 30% nas outras linhas.

Conheça seu público melhor do que a palma da sua mão

Conhecer bem o seu público é imprescindível. Mesmo que não seja tão simples. Isso vai fazer com que você tenha essa comunicação mais conectada que estamos falando desde o início.
Por exemplo, esses dias estava no Instagram e vi um patrocinado assim:

“Pare de dar doce para seu filho! Marque hoje sua consulta e entre para o mundo dos pais com filhos cárie zero!”

Você acha que esse patrocinada conversa com as mães e os pais de crianças? Provavelmente não, afinal, é muito difícil um pai ou uma mãe que não dão doces para os seus filhos.
É muito delicado falar para os pais que parem de dar isso ou aquilo para as suas crianças. Afinal, a alimentação está relacionada a uma série de questões, inclusive sociais e culturais. É preciso pensar nisso antes de postar algo nas suas redes.
São detalhes como esse que fazem diferença na percepção das pessoas para com os profissionais. Baseado na persona da mãe, seria mais assertivo usarmos algo como:

“Seu filho tem cáries? Aprenda como estimular a escovação dentária em casa sem dor de cabeça.”

Mas só conhecendo bem o seu público e suas necessidades, é que você vai poder construir seu manifesto. Se tornando, assim, um dentista referência e diferente dos seus concorrentes.

>>> Veja também: 8 tendências da odontologia do futuro <<<

_________________________________________________________________________

Karina Caporal

Dentista, fundadora do método Dentista além do Mocho e Movimento Dental Boss.
Apaixonada pela Odontologia, atua como dentista ao lado de colegas de profissão, ajudando cada um a conquistar liberdade de tempo, financeira e reconhecimento profissional.

Comentários

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *