Projeto Doutores das Águas

O projeto Doutores das Águas (DA) nasceu de observações locais durante excursões de pesca esportiva nas regiões que hoje são atendidas. Percebeu-se claramente que, com relativamente poucos recursos,  haveria um forte impacto positivo da qualidade de vida daquelas populações.

A partir daí, a união de competências médicas, logísticas e odontológicas, aliadas ao profundo conhecimento da região, possibilitou o surgimento, em abril de 2011, da ONG Doutores das Águas, uma associação sem fins lucrativos, políticos ou religiosos. No mesmo ano foi possível realizar a primeira expedição dos Doutores das Águas. Cada nova expedição e cada promessa de retorno cumprida reforça a confiabilidade da população atendida e a certeza da manutenção permanente do projeto.

Como não era possível abranger todos os estados, decidiu-se adotar quatro rios, sendo dois no estado do Amazonas e dois no estado de Roraima. Nesta região moram cerca de 2.000 ribeirinhos que anualmente recebem a visita desta ONG. O grupo é composto por  médicos, dentistas e educadores recreativos. Além desses profissionais cada expedição conta também com a colaboração de mais de uma dezena de voluntários, que apoiam toda a estrutura para que os atendimentos fluam de forma adequada. Este grupo, hoje de cerca de 60 pessoas, dedica-se de forma gratuita a levar um pouco de conforto e bem estar a esse povo tão esquecido pelo poder público.

Missão

Levar assistência médica, odontológica e práticas de higiene e saúde às populações escolhidas, com o objetivo de promover melhora nos indicadores de saúde e qualidade de vida dessas comunidades. Desta forma, contribui-se para que as populações escolhidas tenham melhores condições de continuar vivendo em seu habitat original e sejam capazes de manter ocupadas, de forma sustentável, naquelas regiões.

Valores

  • Assistência médica e odontológica com a máxima qualidade levando-se em conta as limitações impostas pelas condições das populações e dificuldades logísticas inerentes à região.
  • Atividades educacionais relacionadas com práticas de higiene e sanidade ambiental, sempre considerando a realidade física e cultural das populações escolhidas.
  • Independência total de entidades governamentais, políticas e religiosas para assegurar a continuidade e prevenir o mau uso da imagem dos Doutores das Águas.
  • Atuar em regiões onde as demais ONG´s não atuam em função da distância e dificuldades logísticas. O compromisso com as populações assistidas é o de manter a consistência do atendimento, regressando sempre nas mesmas comunidades para que seja possível acompanhá-las ano a ano.
  • Respeito absoluto aos recursos entregues pelos patrocinadores. A obrigação é a de utilizar estes recursos com o máximo proveito, em função das comunidades atendidas.

Expedição 2015

As atividades tiveram início em 2011, quando foram atendidos cerca de 800 ribeirinhos.

A quinta expedição dos DOUTORES DAS ÁGUAS encerrou-se no dia 20 de abril de 2015. Nestes primeiros cinco anos foi possível conhecer mais de perto esta população, suas necessidades e ganhar sua confiança. Foi possível implantar um ambulatório na Vila do Bom Jardim, construir uma casa de apoio na Vila do Arara e adiantar a construção de um barco ambulatorial, já tendo sido possível navegar com ele nesta ultima expedição. O trabalho atual é o de  acabamento final e instalação de equipamentos necessários para seu perfeito funcionamento.

Nesta quinta viagem observou-se crescimento populacional nas vilas do Estado de Roraima e redução nas amazonenses. Ainda é cedo para concluir se esta é uma situação pontual ou uma tendência. De qualquer forma, o número de ribeirinhos atendidos manteve-se praticamente o mesmo, mas com ganho significativo em todas as áreas. Na área médica, a estratégia de levar diferentes especialistas a cada ano tem se mostrado bastante eficiente. Este ano, com a presença pela primeira vez de um infectologista, novas situações se mostraram presentes e novos caminhos de pesquisa se fazem necessários. Na área odontológica, as conquistas na estratégia de restaurar mais e extrair menos foram muito expressivas e os efeitos positivos no futuro serão ainda melhores. Na área de educativa recreativa, deu-se mais ênfase na orientação de higiene bucal, autoestima das crianças e plantaram-se as sementes para um trabalho importante de educação sexual.

Objetivos de Curto Prazo

Viabilizar recursos humanos e materiais tanto para a execução de duas viagens anuais, ao invés de somente uma, como para a  perpetuação da ONG.

Para o atingimento destes objetivos, recorre-se à rede de relações pessoais, o que tem sido suficiente, até hoje, para viabilizar as excursões da forma com que são dimensionadas atualmente. Também através da mesma via conseguem-se médicos, dentistas e demais colaboradores para executar o projeto nas comunidades visitadas.

Outros meios de captação de recursos em estudo são: o crowdfunding, o aluguel do barco ambulatorial (quando terminado) para outras atividades (Turismo, Pesca, Parcerias empresariais), o apoio de pessoas físicas e jurídicas e a divulgação através de assessoria de imprensa.

Para viabilizar novas parcerias  a ONG esta sendo transformada em OSCIP, uma vez que em muitas empresas  há restrições para se trabalhar com as que nãos sejam assim constituídas.

Objetivos de Longo Prazo

Melhorar os indicadores de saúde das populações assistidas.

Estes objetivos serão alcançados através da consistência e coerência das ações. Para isto, elegeram-se comunidades nos Estados da Amazônia e Roraima, ao longo de rios da bacia do Madeira e Negro.

 Adicionalmente, busca-se deixar postos de atendimento montados, para que possam suprir algumas necessidades. Busca-se também  identificar membros da comunidade que, se treinados, venham a assegurar a continuidade das atividades educacionais e ensinamentos deixados a cada passagem.

Além do atendimento imediato, o maior objetivo é, ao longo dos anos, alterar a curva de crescimento das crianças após o desmame, pois se observa uma brusca queda causada pela desnutrição característica destas regiões. Para que este objetivo seja atingido muito trabalho será demandado ao longo dos próximos anos, não só na manutenção do acompanhamento médico e odontológico, mas também na forte atuação  na educação de higiene de forma geral para que se consiga  quebrar o ciclo da verminose, um dos principais problemas locais.

NÚMEROS GERAIS DOUTORES DAS ÁGUAS  V (abril de 2015)

Pessoas atendidas pela área médica
Primeiro grupo: 746
Segundo grupo: 497
Total: 1.243 ( 4% de queda em relação a 2014 )

Triagem dentistas
Primeiro grupo: 561
Segundo grupo: 386
Total: 947 ( 5% de incremento em relação a 2014 )

Restauração de dentes
Primeiro grupo: 433
Segundo grupo: 473
Total: 906 ( 68% de incremento em relação a 2014 )

Extração de dentes
Primeiro grupo: 111
Segundo grupo: 83
Total: 194 ( 8% de queda em relação a 2014 )

Mais uma vez o apoio de parceiros, pessoas físicas e jurídicas, foi fundamental para que o trabalho seguisse adiante e fosse possível continuar navegando pelas águas amazônicas no sentido de dar um pouco de carinho, atenção e melhor qualidade de vida a essa população ribeirinha. Tudo isso só tem sido possível graças à dedicação e competência dos voluntários, médicos, dentistas e todo o pessoal de apoio, tanto nas viagens quanto no trabalho na base em São Paulo. Sem eles seria impossível atingir as metas estabelecidas. Eles são o coração deste projeto!

Comentários

Nenhum comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.