Elásticos são mesmo necessários na Ortodontia moderna?

Alguns pacientes definitivamente não se adaptam ao tratamento ortodôntico convencional, aqueles que se utilizam de bráquetes (metálicos ou de algum material mais estético como os de safira).

Quando esses pacientes buscam por alternativas ao tratamento com bráquetes, uma das principais opções disponíveis são os alinhadores invisíveis ortodônticos. Dentre eles, temos marcas nacionais, mas o mais conhecido e utilizado por enquanto ainda é o Invisalign. (Figura 1)

Figura 1. Da esquerda para a direita: Aparelho lingual, Aparelho ortodôntico estético e Invisalign.

Os alinhadores invisíveis possuem muitas vantagens em relação ao aparelho ortodôntico convencional como, por exemplo, o fato de poder ser retirado para a realização da higiene do paciente, ele é mais discreto para quem o utiliza etc.

Uma das histórias mais contadas por quem passa pelo tratamento ortodôntico é a fase de utilização de elásticos intermaxilares, quase todo paciente precisa usar em uma etapa do tratamento para auxiliar o alcance do resultado planejado previamente (Figura 2).

>>>Leia também: Aparelho autoligado: metálico ou estético?

Figura 2. Uso de elásticos na ortodontia convencional.

 

Mas será que quem faz uso de alinhadores invisíveis também precisaria passar por essa etapa do uso de elásticos?

A resposta é sim!

O profissional vai avaliar cada paciente individualmente, analisando a sua real necessidade. Usar o elástico com alinhador invisível serve para auxiliar a mecânica e também dar maior eficiência ao tratamento, assim como quando utilizamos com aparelhos fixos.

Para alcançar uma oclusão ideal, o ortodontista que faz uso do sistema de alinhadores invisíveis com a chamada distalização sequencial dos dentes superiores para atingir a Classe I. Essa mecânica pode ser difícil com os alinhadores devido à força necessária para o controle da distalização das raízes.

Além disso, estudos sobre o tratamento da Classe II sugerem que o aparelho invisível atinge com sucesso certos movimentos dentários, mas não consegue realizar outros movimentos de forma previsível. Reforçando a necessidade de utilizarmos alternativas biomecânicas que se somam às potencialidades do alinhador, como o uso de elásticos (Figura 3).

Figura 3. Alinhador invisível e uso de elásticos.

Portanto é importante para o Ortodontista desmistificar o uso dos alinhadores ortodônticos e explicarem ao paciente que o uso de elásticos, attachments, micro-implantes, são algumas alternativas que podem ser de grande valia, e necessárias durante o tratamento com um aparelho invisível.

Abraços e até breve!

Referências:

Moro et al. Tratamento da Classe II com Invisalign..Orthod. Sci. Pract. 2021; 14(53):107-119.

Sobre o autor:

George Bueno | @dr.georgebueno

Especialista em Ortodontia – UERJ;
Mestre em Odontologia (Ortodontia) – UERJ;
Doutor em Saúde Coletiva (Epidemiologia) – UFES,

✍️ Deixe seu comentário

📢 Compartilhe com os amigos

🕵 Siga nossas redes:

 Facebook

 Instagram

 Twitter

 Pinterest

 TikTok

Youtube

Ouça nosso Podcast

Acesse nossa Loja Virtual e encontre a solução completa para você na Odontologia!

Comentários

Nenhum comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.