Esterilização em autoclave: quais embalagens e como realizar?

Hoje nós da Escola de Secretárias em parceria com a Cristófoli e Rio Química, viemos falar sobre a biossegurança na odontologia. Iremos abordar ao longo do texto como realizar a esterilização em autoclave, quais materiais utilizar e como realizar o selamento deles para não prejudicar os seus instrumentais, nem comprometer a sua integridade.

Os profissionais que estarão manipulando os instrumentais e materiais na área limpa da esterilização, devem utilizar EPIs recomendados.

Para realizar a esterilização em autoclave o profissional deverá utilizar:

As luvas podem ser tanto a de procedimento quanto a de utilidades, mas, é importante que não sejam as mesmas utilizadas na área suja de esterilização. Para que isso não aconteça você pode utilizar cores diferentes para cada local.

Qual a maneira correta de colocar o material para esterilização em autoclave?

É de extrema importância que o material esteja rigorosamente limpo e seco, e deve ser acondicionada em pacotes – eles precisam ser de materiais que permitam a passagem do vapor.

Para ser esterilizado em autoclave o material deve ser rigorosamente limpo e seco acondicionada em pacotes que devem ser feitos com materiais que permitam a passagem de vapor. O material mais indicado para isso, são os papéis de grau cirúrgico que podem ser encontrados com diferentes medidas 1,10,15,25 ou 30 cm (Protex R Cristofoli), ou ainda, em envelopes com fita adesiva incorporada – eles também possuem tamanhos diferenciados 5x13cm, 9x26cm ou 15x25cm.

Caso você opte por papel cirúrgico que venha em rolo, lembre-se de realizar a selagem com a seladora. A espessura desta selagem deve ser de 10mm, podendo ser simples, dupla ou tripla. É importante que sempre seja feito no sentido longitudinal, ah e lembre-se cada pacote feito deve ter o seu próprio indicador químico de processo conforme é previsto em lei.

Bandejas, porta limas, porta brocas e outros acessórios podem ser colocados para esterilização em autoclave. Porém, eles precisam ser perfurados para que permita a passagem do vapor, e ainda, devem ser complementados com papel grau cirúrgico ou papel crepado. Para esterilização de bandejas não perfuradas, coloque-as separadas do instrumental com espaço entre as mesmas, para permitir a circulação de vapor.

DICAS PARA ESTERILIZAÇÃO EM AUTOCLAVE:

  • Os pacotes devem ser pequenos e compatíveis com os atendimentos – jogo clinico, jogo de periodontia e etc;
  • Monte kits para cada procedimento; para cada paciente. Isso evita a esterilização desnecessária para o procedimento;
  • Proteja as pontas cortantes com algodão isso evita que o pacote rasgue e perca a integridade;
  • Não faça pacotes apertados demais, nem sobrecarregue cada pacote;
  • Depois de pronto, escreva a data e horário que o material foi esterilizado;
  • Coloque um indicador químico classe 4 cil 250 em cada pacote;
  • Para instrumentais utilizados em implantes e cirurgias utilize o indicador classe 5 Sill Plus;
  • Os instrumentais articulados devem ser esterilizados abertos, permitindo a penetração do vapor em toda sua extensão.

Assim, você evitará o reprocessamento desnecessário dos materiais não utilizados. Devem também ser confeccionados e lacrados cuidadosamente para que não se rompam durante o processo de esterilização causando obstrução na saída de vapor. Comprometendo a esterilização e causando danos ao equipamento.

ATENÇÃO

As fitas para autoclave devem ser utilizados em um pacote de papel gripado que é uma outra opção de embalagem ou em pacote de tecido – mas estes já estão em desuso.

As embalagens descartáveis para esterilização em autoclave devem permitir a penetração de vapor e proporcionar a manutenção da esterilização, deve então, possuir um registro na ANVISA que são de uso único e a sua reutilização é uma infração sanitária.

Comentários

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *