Fluorose dental: microabrasão do esmalte associado ao clareamento

Paciente do sexo feminino, 20 anos. Onde sua queixa principal eram as manchas brancas generalizadas, características de fluorose dental e cores amareladas dos dentes.

Avaliação inicial

Durante a anamnese e exame clínico foi observado um grau moderado de fluorose dental, com manchas presentes principalmente entre os dentes 13 ao 23 (Fig. 1). A paciente relatava se incomodar com o aspecto amarelado do seu sorriso e com uma escala Vita foi aferida a cor A3. Com o auxílio de um transiluminador foram avaliadas as profundidades das manchas, determinando então o plano de tratamento. Manchas mais superficiais, que não são visualizadas através do transiluminador, são facilmente resolvidas com o clareamento dental. Já as manchas mais profundas, aquelas visualizadas como sombras escurecidas (Figs. 2b e 3b), estas necessitarão de um tratamento alternativo como a microabrasão do esmalte.

Tratamento executado para o caso de fluorose dental

O plano de tratamento proposto sugeriu o clareamento dental caseiro supervisionado com peróxido de carbamida a 10% (Whiteness Perfect 10%) por 4 horas diárias durante 21 dias, seguido da microabrasão do esmalte com ácido clorídrico 6% associado a partículas de carbeto de silício (Whiteness RM). Após as três semanas de uso contínuo do clareador, a paciente retornou para avaliação da cor. As figs. 4a e 4b mostram as situações clínicas de antes e depois do clareamento, demostrando ótimos resultados. Para a microabrasão do esmalte foi utilizado o ácido clorídrico 6% associado a partículas de carbeto de silício (Whiteness RM) fig. 5. Para a aplicação desse produto é importante a realização do isolamento absoluto do campo operatório. Uma amarria foi feita em cada dente a fim de ser certificado que o lençol foi completamente invaginado, conforme demonstrado na fig. 6. Pequenas quantidades do produto foram depositadas nas superfícies vestibulares dos seis dentes anterossuperiores (Figs. 7a e 7b). Na fig. 8 percebe-se que a remoção das manchas pode ser feita com fricção manual por 10 segundos em cada dente com o auxílio da espátula que vem no próprio kit. Também pode ser feita com o uso de escova de robinson fazendo movimentos manuais circulares (Fig.9). Ou ainda com taça de borracha em baixa rotação, para manchas mais severas e persistentes. Desta forma, a fricção deve ser delicada e controlada (Fig. 10). A operação pode ser repetida 15x em cada sessão e é importante lavar abundantemente a cada troca do produto (Fig. 11).

O número de sessões depende do grau de severidade e quantidade das manchas. Neste caso, uma sessão foi suficiente para a suavização de todas as manchas que incomodavam a paciente. Após a lavagem, completa remoção do produto e secagem, procedeu-se a aplicação do Desensibilize KF2%, um gel dessensibilizante à base de nitrato de potássio 5% e fluoreto de sódio 2%. Por fim, recomendado o polimento superficial do esmalte com discos de feltro Diamond Flex e pasta de polimento Diamond Excel. Após a reidratação dental é possível observar a diferença entre a situação clínica inicial e a final. É importante conversar com o paciente sobre os benefícios de se eleger duas técnicas altamente conservadoras para a remoção de manchas generalizadas de fluorose dental.

Comentários

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *