Limas reciprocantes: modelagem dos canais radiculares

Os instrumentos endodônticos mecanizados se constituem em uma grande evolução na endodontia. A instrumentação de todo o sistema de canais radiculares com instrumentos rotatórios passa a ser um complemento as limas manuais, que eram usados de forma exclusiva antigamente e proporcionam que os canais tenham uma formatação mais uniforme, o que possibilita com que consigamos fazer preparos sem degraus e obturações mais perfeitas com encaixes de cones de guta-percha da própria conicidade e pontas dos instrumentos.

O uso de sistemas automatizados não rotatórios puros já estão presentes na endodontia. Dentre estes movimentos podemos destacar os movimentos de oscilação e os sistemas de rotação alternada.

Neste artigo, iremos falar sobre a cinemática de rotação alternada ou como popularmente chamado de movimento reciprocante.

Esta cinemática baseia-se na teoria desenvolvida por Roane et al. em 1985 (forças balanceadas) e consiste em rotação de 270 graus a direita e rotação de 180 graus a esquerda. Dessa forma, a cada “ida” e “volta” a lima penetra 90 graus em profundidade. Isso faz com que a lima esteja sempre em movimento de penetração em direção apical.

O emprego desta cinemática em instrumentos de NiTi foi proposta por Ghassan Yared, baseado nos estudos de James Roane, usando limas ProTaper F2 como instrumento único, o que chamou bastante atenção, pois o cirurgião-dentista poderia usar somente uma lima para execução de seu caso clínico.

Existem no mercado diversos sistemas que foram introduzidos para serem trabalhados no movimento reciprocante.

Disponíveis a venda no mercado inicialmente surgiu as limas Reciproc e WaveOne. Porém estas limas são usinadas em sentido anti-horário e necessitavam de um motor que reciprocasse no sentido anti-horário. Nem todos possuíam estes motores e muitos dentistas que quiseram trabalhar com este movimento e limas, teriam que fazer uma atualização no motor (se fosse possível) ou comprar um motor novo. Neste movimento e motores não seria possível utilizar limas que fossem usinadas em sentido horário para fazer o movimento de reciprocagem.

A cinemática reciprocante, de acordo com os preconizadores da técnica, é bastante segura, pois evita a torção completa da lima o que pode diminuir a incidência de fratura destas limas. Este fator pode ser fortemente considerado quando pensamos nos clínicos menos experientes, pois possibilita instrumentar canais menos complexos com uma lima única e com segurança. Tal segurança levou o movimento reciprocante ser utilizado como seguro para a obtenção de patência foraminal, nos casos da não obtenção dela com movimentos rotatórios ou limas manuais.

Os fabricantes das limas que realizam o movimento reciprocante sugerem que estas limas sejam usadas em uso único.

As primeiras limas reciprocantes WaveOne e Reciproc surgiram em 2011 a disposição no mercado. O sistema WaveOne deixou de ser fabricado e comercializado sendo substituído pelo sistema WaveOne Gold e o sistema Reciproc ainda é comercializado e possuímos também as limas Reciproc Blue. Descreveremos individualmente as limas reciprocantes Reciproc, Reciproc Blue e WaveOne Gold e os modos de uso.

Limas Reciproc e Reciproc Blue

As limas Reciproc são limas produzidas em níquel-titânio, com tratamento térmico M-wire, o que proporciona mais flexibilidade e mais resistência a fadiga cíclica, quando comparados a instrumentos tradicionais de NiTi. Foi preconizada para ser usada em uso único, pois esta não pode ser reestilizada. Esta técnica utiliza um movimento com rotação alternada, em sentidos horário e anti-horário, até produzir ciclos completos de rotação a esquerda.

As limas Reciproc Blue são limas produzidas com o níquel-titânio que passa por um tratamento térmico inovador, modificando a sua estrutura molecular para lhe conferir maior resistência a fadiga cíclica e flexibilidade adicional, bem como a sua cor azul característica. Conforme imagem abaixo:

Tanto as limas Reciproc e Reciproc blue, fornecidas em blisters estéreis, podem ser encontradas nos tamanhos de 21, 25 e 31 mm e possuem cones de papel e guta-percha respectivos para cada lima.

Os instrumentos são identificados com as cores da norma ISO no seu cabo, indicando o diâmetro da ponta do instrumento. São limas de ponta inativa e secção transversal em forma de S.

>>>Confira todos os artigos de endodontia!

Os sistemas Reciproc e Reciproc Blue são compostos pelos seguintes instrumentos:

R25:  Lima 25/.08 que possui um diâmetro inicial de 0,25mm e conicidade de 8% nos três primeiros milímetros.

R40: Lima 40/.06 que possui um diâmetro inicial de 0,40mm e conicidade de 6% nos três primeiros milímetros.

R50: 50/.05 que possui um diâmetro inicial de 0,50mm e conicidade de 5% nos três primeiros milímetros.

No movimento reciprocante o instrumento gira para o lado esquerdo para cortar e em seguida gira no sentido inverso para liberar. O ângulo de rotação do instrumento no sentido de corte é maior (150o anti-horário) do que o ângulo do sentido oposto (30o horário).

Modo de uso: Após o acesso a câmara pulpar e localização dos canais, realizamos um pré-alargamento com o instrumento R25, com movimentos de “pincelamento” contra as paredes de maior espessura dentinária do canal, com o objetivo de remover as interferências e alcançar um acesso direto ao forame.  Irrigamos abundantemente e em seguida usamos uma lima K#10 levada até o comprimento de trabalho para verificar se não há interferências ao longo do canal. Novamente irrigação abundante para poder voltar a usar o instrumento R25 até 2/3 do comprimento do canal.  A cinemática de instrumentação é de “bicada” com ligeira pressão apical, até sentir resistência. Repete-se esse movimento até atingir o comprimento de trabalho. Não devemos realizar mais de 3 movimentos de bicada por vez. Em alguns casos é necessário realizar um alargamento apical maior após a instrumentação com R25, R40 ou R50, podendo ser feito com qualquer instrumento rotatório, hibridizando a técnica, no caso (figura2).

Figura 2

Outra indicação da Reciproc e Reciproc Blue é a realização de retratamentos endodônticos usando estas limas, sendo rápido e seguro.

Limas WaveOne Gold

Lançadas no ano de 2015, são produzidas com a tecnologia da liga de NiTi Gold, que lhe conferem uma flexibilidade extra, permitindo o uso em canais mais curvos.

São limas que possuem uso único e não é possível sua esterilização de acordo com as recomendações dos fabricantes.

Possuem secção transversal em paralelogramo, aumentando a eficiência de corte e a remoção dos restos de dentina.

Este sistema é formado por 4 instrumentos que são (figura 3):

  1. Small: 20/.07
  2. Primary: 25/.07
  3. Medium 35/.06
  4. Large: 45/.05

O ângulo de rotação do instrumento no sentido de corte é maior (150o anti-horário) do que o ângulo do sentido oposto (30o horário).

Figura 3

Técnicas de uso da WAVEONE®GOLD  

  1. Estabeleça o acesso coronal e radicular.
  2. Utilize a lima manual calibre 010 para verificar a trajetória de descida do comprimento
  3. Amplie o ápice para no mínimo 0.15 mm utilizando uma lima manual ou mecânica específicas para esta função.
  4. Selecione a lima WaveOne Gold para instrumentação dos canais. Na maioria dos casos a limas Primary deverá ser selecionada.
  5. Faça leve pressão para dentro e deixe a lima progredir passivamente no canal. Depois de instrumentar a região cervical (2-3 mm canal), remova e limpe a lima WaveOne Gold, então irrigue, recapitule com lima manual tamanho 010 e re-irrigue.
  6. Continue utilizando a lima WaveOne Gold para instrumentar os dois terços do canal (cervical e médio).
  7. Realize movimento de pincelamento nas paredes dos canais para eliminar interferências ou para refinar os resultados da modelagem no canal em regiões irregulares
  8. Estabeleça o comprimento de trabalho, confirme a patência e verifique a anatomia do canal.
  9. Avance a lima WaveOne Gold selecionada por todo comprimento de trabalho em um movimento ou mais. Uma vez atingido o comprimento de trabalho, remova a lima para evitar alargamento excessivo do ápice. Inspecione as curvaturas apicais; se estiverem carregadas com detritos dentais, então a instrumentação está terminada.
  10. Se a lima PRIMARY não progredir utilize a lima SMALL (020/07 amarelo) em um ou mais passos para ampliação do preparo e então utilize a lima PRIMARY até o comprimento de trabalho para aperfeiçoar o preparo. *Se a lima PRIMARY estiver livre no interior do canal, utilize a lima MEDIUM (035/06 verde) e/ou lima LARGE (045/05 branco) até que elas estejam removendo detritos durante instrumentação.

Referências bibliográficas

  1. De Deus G, et al. Shaping for cleaning the root canals: A clinical-based strategy. Springer, 2022.
  2. Camargo, Maurício. Endodontia Clínica, à luz da microscopia operatória: visão, precisão e previsibilidade. Nova Odessa, SP; Napoleão, 2016.
  3. Hizatugu, R.; Fregnani, E. Endodontia: Uma visão contemporânea- São Paulo: Santos, 2012.
  4. Roane at. al. The “Balanced Force” Concept for instrumentation of Curved Canals. Journal of endodontics, vol.11, n.5, May 1985.

Sobre a autora:

Milena Perraro | @milenaperraro

Doutoranda em endodontia USP Bauru;
Mestre e Especialista em endodontia;
Especialista em Implantodontia e Saúde Coletiva e da Família;
Professora de pós graduação Instituto Cemo (Balneário Camboriú – SC).

✍️ Deixe seu comentário

📢 Compartilhe com os amigos

🕵 Siga nossas redes:

 Facebook

 Instagram

 Twitter

 Pinterest

 TikTok

Acesse nossa Loja Virtual e encontre a solução completa para você na Odontologia!

Comentários

Nenhum comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.