Doação de sangue: Aspectos odontológicos

Você sabia que quem fez manutenção do aparelho só pode doar sangue após 24 horas? E quem usa piercing na língua só pode doar sangue após 1 ano da sua retirada? Buscamos algumas informações específicas e conversamos com a nossa colunista Dra. Giuliana Lopes, Consultora Técnica da Rioquímica ,que nos deu algumas dicas muito importantes. Confira!

A doação de sangue consiste na retirada de aproximadamente 450 ml de sangue (acrescidos até 30 ml para realização dos exames laboratoriais exigidos pelas leis e normas técnicas), não ultrapassando 10% do volume em circulação no corpo.

O sangue representa cerca de 7% do peso corporal de um indivíduo adulto e a doação leva em torno de uma hora em um ambiente, seguro, limpo e confortável.  O sangue é reposto rapidamente pelo organismo. Para o homem, após uma doação de 450 ml de sangue, o plasma é reposto em 48 a 72 horas, os glóbulos vermelhos em aproximadamente quatro semanas e o estoque de ferro em aproximadamente oito semanas.

Para a mulher, após uma doação de 450 ml de sangue, o plasma é reposto em 48 a 72 horas, os glóbulos vermelhos em aproximadamente quatro semanas e o estoque de ferro em aproximadamente 12 semanas. Consequentemente o tempo de fazer novas doações caso o doador sinta necessidade.

Todos os dias acontecem centenas de acidentes, cirurgias e queimaduras violentas que exigem transfusão, assim como os portadores de hemofilia, leucemia e anemias. Se cada pessoa saudável doasse sangue espontaneamente pelo menos duas vezes ao ano, os Hemocentros teriam Hemocomponentes suficientes para atender toda a população. O sangue não tem substituto. Por isso a doação espontânea e periódica é fundamental.

São apenas cinco etapas para uma doação de sangue: cadastro (ou registro) do doador, triagem clínica (inclui teste de anemia, verificação da pressão arterial, batimentos cardíacos, peso, temperatura e questionário sobre sua saúde), voto de auto-exclusão, doação propriamente dita e lanche pós-doação.  O sangue doado é testado para seis doenças infecciosas transmissíveis: Hepatite B, Hepatite C, HIV, HTLV, Sífilis e doença de Chagas.

Tipos de doação

  • O doador pode candidatar-se a doação de três formas:
    • Doação Espontânea: feita de modo altruísta, como uma atitude solidária com um único interesse: ajudar o próximo.
    • Doação vinculada: feita vinculada á algum paciente.
    • Doação autóloga: doar para si mesmo.

 O que é necessário para doar?

  •  Ter idade entre 18 e 69 anos, 11 meses e 29 dias;
  • Doadores com idade de 16 e 17 anos de idade, são aceitos para doação mediante a presença e autorização formal dos pais e/ou responsável legal;
  • O limite de idade para primeira doação é de 60 anos;
  • O candidato à doação deve estar em boas condições de saúde, sem feridas ou machucados no corpo;
  • Pesar acima de 50 kg (com desconto de vestimentas);
  • Apresentar documento de identidade com foto, emitido por órgão oficial: RG., carteira profissional, carteira de motorista, etc.
  • Ter repousado bem na noite antes da doação;
  • Evitar o jejum. Fazer refeições leves e não gordurosas, nas 4 horas que antecedem a doação;
  • Evitar uso de bebidas alcoólicas nas últimas 12 horas;
  • Evitar vir acompanhado com crianças, menores de 13 anos sem acompanhantes para tomar conta delas

Após a Doação?

  • Não fumar por no mínimo duas horas;
  • Nas 12 horas após a doação, não praticar exercícios físicos e atividades perigosas, como subir em locais altos ou dirigir caminhão, ônibus em rodovias, etc.
  • Permanecer no serviço hemoterápico após a doação por 15 minutos;
  • Não forçar o braço em que foi realizada a punção no dia da doação, para evitar sangramentos e hematomas;
  • Retirar o curativo 4 horas após a doação.

 Intervalo entre as doações:

  • Mulheres: 90 dias/ 03 doações nos últimos 12 meses;
  • Homens: 60 dias/ 04 doações nos últimos 12 meses.

 Não pode doar:

  • Quem tem ou teve as seguintes doenças:
    • Hepatite após os 11 anos de idade;
    • Lepra (Hanseníase);
    • Hipertireoidismo e tireoidite de Hashimoto;
    • Doença auto-imune;
    • Doença de Chagas;
    • AIDS;
    • Problemas cardíacos (necessita avaliação e declaração do seu cardiologista);
    • Diabetes;
    • Câncer;
  • Outras situações:
    • Fez ou faz uso de algumas drogas ilícitas nos últimos 12 meses;
    • Mantém relações sexuais de risco;
    • Gestantes ou mulheres que amamentam bebês com menos de 12 meses;

 Devem aguardar para doar sangue:

  • por 48 horas:
    • se recebeu vacina preparada com vírus ou bactéria mortos, toxóide ou recombinantes. Ex.: cólera, poliomielite (salk), difteria, tétano, febre tifóide (injetável), meningite, coqueluche, pneumococo.
    • se recebeu vacina contra gripe.
  • por sete dias:
    • se teve diarréia.
    • após terminarem os sintomas de gripe ou resfriado.
    • após a cura de conjuntivite.
    • implante dentário.
    • extração dentária (verificar uso de mediação).
    • tratamento de canal (verificar medicação).
  • por duas semanas:
    • após o término do tratamento de infecções bacterianas.
    • após a cura de rubéola.
    • após a cura de erisipela.
  • por três semanas:
    • após a cura de caxumba.
    • após a cura de varicela (catapora).
  • por quatro semanas:
    • se recebeu vacina de vírus ou bactérias vivos e atenuados. Ex.: poliomielite oral (sabin), febre tifóide oral, caxumba, febre amarela, sarampo, bcg, rubéola, catapora, varíola etc.
    • se recebeu soro antitetânico.
    • após a cura de dengue.
    • cirurgia odontológica com anestesia geral.
  • por oito semanas (somente para homens):
    • após uma doação de sangue. Esse período deve ser ampliado para 16 semanas se houve doação dupla de hemácias por aférese.
  • por 12 semanas (somente para mulheres):
    • após uma doação de sangue (para mulheres). Esse período deve ser ampliado para 24 semanas se houve doação dupla de hemácias por aférese.
    • após parto normal ou abortamento.
  • por três meses (independente se homem ou mulher):
    • se foi submetido a apendicectomia.
    • se foi submetido a hemorroidectomia.
    • se foi submetido a hernioplastia.
    • se foi submetido a ressecção de varizes.
    • se foi submetido a amigdalectomia.
  • por seis meses a 01 ano:
    • se foi submetido a uma cirurgia de grande porte como por exemplo: colecistectomia, histerectomia, tireoidectomia, colectomia, esplenectomia pós trauma, nefrectomia etc.
    • após a cura de toxoplasmose comprovada laboratorialmente.
    • qualquer exame endoscópico(endoscopia digestiva alta, colonoscopia, rinoscopia etc); se com biópsia, é necessário avaliação do resultado da mesma.
  • por 12 meses:
    • se recebeu uma transfusão de sangue, plasma, plaquetas ou hemoderivados.
    • se recebeu enxerto de pele ou de osso.
    • se sofreu acidente se contaminando com sangue de outra pessoa.
    • se teve acidente com agulha já utilizada por outra pessoa.
    • se teve contato sexual com alguma pessoa com aids ou com teste positivo para hiv.
    • se teve contato com prostituta ou com outra pessoa que recebeu ou pagou com dinheiro ou droga pelo ato sexual.
    • se teve contato sexual com usuário de droga endovenosa.
    • se teve contato sexual com pessoa que tenha recebido transfusão de sangue nos últimos 12 meses.
    • se teve relação sexual com pessoa com hepatite.
    • se mora na mesma casa de uma pessoa que tenha hepatite.
    • se fez tatuagem.
    • se fez piercing (se feito em local sem condições de avaliar a antissepsia: aguardar 12 meses após realização; com material descartável e feito em local apropriado: aguardar 6 meses após realização; se feito na mucosa oral ou genital: inapto enquanto estiver com o piercing e apto após 12 meses da retirada.).
    • se teve sífilis ou gonorréia.
    • se foi detido por mais de 24 horas.
  • por cinco anos:
    • após a cura de tuberculose pulmonar.
  • você nunca poderá ser doador de sangue se:
    • tem ou teve um teste positivo para hiv.
    • teve hepatite após os 10 anos de idade.
    • já teve malária.
    • tem doença de chagas.
    • recebeu enxerto de duramater.
    • teve algum tipo de câncer, incluindo leucemia.
    • tem graves problemas no pulmão, coração, rins ou fígado.
    • tem problema de coagulação de sangue.
    • é diabético com complicações vasculares.
    • teve tuberculose extra-pulmonar.
    • já teve elefantíase.
    • já teve hanseníase.
    • já teve calazar (leishmaniose visceral).
    • já teve brucelose.
    • tem alguma doença que gere inimputabilidade jurídica.
    • foi submetido a gastrectomia total.
    • foi submetido a pneumectomia.
    • foi submetido a esplenectomia não decorrente de trauma.
    • se foi submetido a transplante de órgãos ou de medula

 No caso de procedimentos odontológicos:

  Por que não posso doar sangue mesmo depois de ir ao dentista?

A boca e gengivas têm uma extensa vascularização da mucosa. Durante procedimentos odontológicos moderados ou complexos, há a possibilidade de bacteremia transitória de bactérias normais encontradas ao redor dos dentes e gengivas. Enquanto este é de nenhuma preocupação para um doador saudável, se as bactérias orais ficam dentro da bolsa de coleta, poderia haver contaminação.

  • Cirurgias e procedimentos odontológicos tratamento de canal, extração drenagem de abscesso, gengivites e cirurgias com anestesia local 1 semana após o término do antiinflamatório e/ou do antibiótico.
  • Procedimentos sem anestesia e sangramento (pequenas cáries, ajuste de aparelhos, etc) 1 dia após o procedimento.
  • Remoção de tártaro e outros procedimentos com anestesia local (obturações, etc) 3 dias após o procedimento.
  • Cirurgias odontológicas com anestesia geral 1 mês após o término do tratamento.

A ciência avançou muito e fez várias descobertas. Mas ainda não foi encontrado um substituto para o sangue humano, infelizmente não é fabricado artificialmente. Por isso, sempre que precisa de uma transfusão de sangue, a pessoa só pode contar com a solidariedade de outras pessoas. Doar sangue é simples, rápido e seguro. Mas, para quem o recebe, esse gesto não é nada simples: vale a vida. Seja doador voluntário. Faz bem também para você. Porque a satisfação de salvar vidas é a maior recompensa.

Dúvidas e curiosidades

  • Por que o diabético não pode doar sangue?

Diabético que não pode doar sangue é aquele que chamamos de insulino-dependente; ou seja, aquele que necessita de insulina para manter seu metabolismo de açúcar próximo da normalidade. Esses pacientes têm importantes alterações do sistema cardiovascular e, em consequência disto, durante ou logo após a doação de sangue, podem apresentar alguma reação que agrave seu estado de saúde.

  • Por que pessoas com peso inferior a 50 kg não podem doar sangue?

O volume de sangue total a ser coletado é diretamente relacionado ao peso do doador. Para os homens não pode exceder a 9ml / kg peso e, para as mulheres, a 8ml / kg peso. O anticoagulante presente na bolsa de coleta liga-se ao sangue impedindo que este coagule. O volume de anticoagulante da bolsa é padronizado para um mínimo de 400ml de sangue. Logo, uma pessoa com peso inferior a 50 kg não poderia doar o volume mínimo.

Menores de 18 anos podem doar?

De acordo com a legislação brasileira que regulamenta as normas técnicas a serem aplicadas em todos os bancos de sangue do país, o menor de idade poderá doar sangue a partir dos 16 anos. Informações sobre documentos necessários e formulário de autorização podem ser acessados pela página de requisitos básicos para doação.

  • A doação de sangue é permitida durante a amamentação?

Não. A mulher que está amamentando não pode doar sangue, a menos que o parto tenha ocorrido há mais de um ano.

  • Quais as vacinas que impedem a doação? Quanto tempo depois de ter tomado a vacina a pessoa poderá doar sangue?

Vacinas compostas de vírus ou bactérias vivos e atenuados (ex.: sarampo, poliomielite oral, febre amarela) necessitam de 3 a 4 semanas de intervalo para a doação. Já as vacinas compostas de vírus ou bactérias mortas, toxóides ou recombinantes (ex.: tétano, poliomielite salk etc) exigem um período mínimo de 48 horas para doação de sangue desde que o candidato não apresente qualquer reação decorrente da vacinação. Vacinação antirrábica após exposição animal exige período mínimo de 01 ano para a doação de sangue.

  • Qual o tempo que o organismo leva para repor o sangue doado?

A reposição do volume de plasma ocorre em 24 horas e a dos glóbulos vermelhos em 4 semanas. Entretanto, para o organismo atingir o mesmo nível de estoque de ferro que apresentava antes da doação, são necessárias 8 semanas para os homens e 12 semanas para as mulheres. Esses são os intervalos mínimos entre as duas doações de sangue.

  • Qual o intervalo recomendado para doação de plaquetas?

O intervalo mínimo entre uma doação de sangue e uma doação de plaquetas é de 56 dias; entre plaquetas e sangue, 72 horas. O número máximo de doações de plaquetas, por mês, é de 4 doações; e por ano, 24 doações.

Qual o conceito atual de “grupo de risco”?

Na realidade, o termo mais correto seria “comportamento de risco”; ou seja, o comportamento do indivíduo que o deixaria mais exposto ao risco de adquirir uma determinada doença ou infecção.

  • Por que só 1 dia de abono pela doação de sangue?

É o que estabelecem a CLT e a CLF.

  • Os exames sorológicos são realizados individualmente?

Sim, os testes sorológicos são realizados individualmente; ou seja, em cada amostra isoladamente.

  • O material usado na coleta de sangue é mesmo seguro?

Sim, todo o material usado para a coleta de sangue é individual, descartável, estéril e apirogênico (não causa febre). Não há nenhum risco de o doador adquirir uma doença infecciosa com a doação de sangue.

  • Como se pega hepatite? Quais são os principais sintomas?

Existem três tipos principais de hepatite viral: Tipo A, Tipo B e Tipo C.

A do tipo A é de contaminação através de água e alimentos contaminados e por contato oral ou fecal.

A do tipo B é de contaminação sexual ou parenteral; ou seja, agulhas e equipamentos contaminados ou transfusão sangue.

A do tipo C é de contaminação predominantemente parenteral; porém, outras formas pouco definidas podem ser envolvidas.

Os sinais mais freqüentes da hepatite são: icterícia (amarelamento dos olhos), urina escura e fezes claras. Esses sinais são mais comuns na hepatite A. Na hepatite B ocorrem em 10 a 25% dos casos e na hepatite C, em apenas cerca de 5% dos casos. Os demais sintomas da hepatite são poucos específicos e lembram um quadro de gripe forte.

  • Qual o tipo mais comum de hepatite?

A hepatite A. Em cerca de 85 % da população brasileira encontramos anticorpos contra o vírus da hepatite A, os quais são indicadores de contato prévio com esse agente.

  • Por que só pode doar sangue quando se teve hepatite antes dos 10 anos de idade?

Porque antes dos 10 anos de idade, a probabilidade de o candidato que tenha tido hepatite do tipo A é de quase 100%. Este fato já foi confirmado em vários estudos epidemiológicos. Como a hepatite A não deixa seqüelas nem partículas virais remanescentes após a cura, não há contra-indicação em doar sangue após esse tipo de hepatite.

  • Após a doação, quanto tempo leva para o sangue ser processado?

O sangue doado é processado em no máximo 6 á 8 horas após a doação.

  • Qual o procedimento para se realizar uma autodoação de sangue?

Primeiramente, deverá haver uma solicitação do médico que está assistindo ao paciente, autorizando e solicitando a transfusão autóloga. Depois, o paciente deverá ser submetido aos mesmos procedimentos utilizados na doação regular. O médico irá avaliar as condições clínicas do paciente, a real necessidade da autotransfusão e a freqüência das doações.

  • Por que não podemos aceitar doadores provenientes de área endêmica para Malária?

Ainda não há um teste sensível para detecção de malária que possa ser aplicado rotineiramente em bancos de sangue. Por essa razão, excluímos temporariamente os indivíduos que estiveram em zona de malária com o objetivo de diminuir o risco de ocorrência de Malária transfusional.

  • Qual o período de impedimento para doação para indivíduos que residiram ou que visitaram uma região endêmica de Malária?

Se residiu em área endêmica para malária ou se ficou pouco tempo, aguardar 12 meses.

  • Existe vacina para Malária?

Não. Não existe vacina para Malária. Pelo nome, a vacina antiamarílica é confundida com vacina para malária. Entretanto, esta garante imunidade contra a febre amarela.

  • Pode-se fazer sexo depois da doação de sangue?

Não há qualquer contra-indicação para realização de atividade sexual após a doação de sangue ou de plaquetas.

  • Como é armazenado o sangue? Em geladeira? Em que temperatura?

Os glóbulos vermelhos são armazenados em geladeira, à temperatura entre 2 e 6ºC. As plaquetas são armazenadas em temperatura ambiente entre 20 e 24ºC. O plasma é armazenado congelado à temperatura de 18ºC negativos.

  • Depois de quanto tempo as pessoas que fizeram piercing, tatuagem ou maquiagem definitiva podem doar sangue?

Tatuagem e maquiagem definitiva: após 1 ano do procedimento. Piercing: se feito em local sem condições de avaliar a antissepsia: aguardar 12 meses após realização; com material descartável e feito em local apropriado: aguardar 6 meses após realização; se feito na mucosa oral ou genital: inapto enquanto estiver com o piercing e apto após 12 meses da retirada.

  • Quando criança tive desmaios, mas estou curado(a). Por que não posso doar sangue?

Candidatos com histórico de convulsão no passado podem doar sangue 03 anos após suspensão do tratamento e sem relato de crise nesse período.

  • Hipo ou Hipertireoidismo impede a doação?

Não, caso estejam controlados com a medicação.

  • A hipoglicemia impede a doação?

Não, desde que o candidato esteja assintomático no dia da doação.

  • Por que o limite de 450ml de sangue por bolsa?

Devido ao volume de anticoagulante presente na bolsa, o que é padronizado para anticoagular no máximo esse volume de sangue.

  • Quanto tempo depois das cirurgias (pequeno, médio e grande porte) a pessoa poderá doar sangue?

Candidatos submetidos a cirurgia de grande porte devem ser recusados de 6 meses a 1 ano. Para cirurgias de pequeno e médio portes, a recusa é por 3 meses. Para cirurgia a laser, aguardar 1 semana após o procedimento, se o local não estiver inflamado. Para cirurgias odontológicas, extração ou manipulação dentária, o prazo é de 7 dias após o procedimento; com anestesia geral, 1 mês após o término de tratamento.

Se a pessoa teve rubéola, depois de quanto tempo pode voltar a doar?

Apto 2 semanas após a cura.

O doador de sangue tem direito à folga no trabalho?

Sim, o doador tem direito a um (01) dia de folga no trabalho em cada 12 meses trabalhados, desde que a doação esteja devidamente comprovada, de acordo com os termos previstos no Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943 (Consolidação das Leis do Trabalho). Esse direito também se estende ao funcionário público civil de autarquia ou militar, conforme preconizam a Lei Federal nº 1.075, de 27 de março de 1950, bem como a Lei EStadual nº 3.365, de 6 de junho de 1956. Mas apesar da legislação vigente, cumpre ressaltar que a doação de sangue é um gesto voluntário e altruísta e, portanto, não deve ser encarada como um benefício próprio.

  • Por que não se pode consumir alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem à doação?

Segundo recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), o sangue recebido de uma doação deve ter no mínimo 10% de gordura. Quando esse limite é ultrapassado, torna-se mais difícil identificar doenças transmissíveis, como hepatites B e C, aids, sífilis e Chagas.

Fontes: Prosangue, Hemosc

Comentários

2 Comentários
  1. A resposta para o Emerson Bueno Correa é após 24hs …. de manipulação da boca.

    Lembrando do junho vermelho…. DOE sangue! Com o friozinho as doações diminuem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.