#juntospelaodonto

Os riscos do uso prolongado do Mock-Up

Os riscos do uso prolongado do Mock-Up
Compartilhar | Comentar

Durante a execução de casos estéticos, existe uma fase chamada de Prova do Mock-up. Nessa etapa, o paciente faz a prova do sorriso que foi planejado pelo dentista junto ao laboratório. Dessa forma, o profissional consegue entender quais são os ajustes necessários para a execução do tratamento.

O processo que antecede e procede o Mock-Up

O material utilizado durante essa etapa é a resina bisacrílica, ela permite que o paciente veja uma prévia do resultado esperado. No passado, esse processo ainda era feito com a resina acrílica, um material mais frágil e com um cheiro bem forte. Quem lembra?! Hoje, a bisacrílica une o melhor dos dois mundos, as propriedades autopolimerizáveis da resina acrília com a alta estética e resistência da resina composta.

Após o planejamento estar aprovado, segue-se para a fase de execução, onde os dentes geralmente são preparados para receber as facetas. Lembrando que os desgastes variam de profundidade de acordo com o caso e as necessidades particulares de cada dente do paciente. 

Em casos onde há um desgaste maior, é necessário que o paciente permaneça com o Mock-Up como provisório entre as sessões clínicas. Porém, o que acontece muitas vezes é que o paciente demora para retornar ao consultório. Independente do motivo, ele acaba ficando com esses provisórios por bastante tempo.

As desvantagens do uso prolongado do Mock-Up

Apesar de proporcionar uma estética satisfatória, o mock-up possui algumas desvantagens. Após instalado, ele permanece unido dente a dente, sem espaço para o uso do fio dental. Isso é um agravante para as doenças do periodonto como a gengivite.

A limpeza e a escovação, mesmo que feitas regularmente, não são o suficientes para evitar esse problema. Com o passar do tempo, isso vai causando mau-hálito, sangramento gengival e até mesmo perda óssea. Outra desvantagem é que a resina bisacrílica é um material pouco resistente. Resultado? Fraturas caso o tempo de permanência em boca seja longo.

Quando o paciente permanece meses com o material, na hora da remoção do mock-up teremos uma situação clínica bem insatisfatória. Isso pode, muitas vezes, inviabiliza a sequência do tratamento. O profissional precisa primeiro devolver a saúde gengival do paciente para então partir para a parte estética. 

Inclusive, temos esse material com a Dra. Maristela Lobo em que ela fala sobre a importância de direcionar o tratamento de acordo com a gengiva do paciente. 

A importância da conscientização

Por isso, educar seu cliente para que ele não interrompa os tratamentos e volte com frequência ao consultório é de extrema importância. É necessário atenção e colaboração com as orientações dadas  para que o resultado final seja superpositivo e sem surpresas desagradáveis.

Gostou do conteúdo? Confira esse caso clínico que foi feito com o fluxo digital!

 

Autora: Brenda Gugelmin
Currículo: Cirurgiã Dentista, Mestre e Especialista em Dentística Restauradora, Doutoranda em Odontologia Clínica Digital, Consultora na Dental Cremer Digital.

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.