Saúde financeira em momento de crise

A crise político-econômica instalou-se em nosso país. Entramos em um período de recessão. Por isso é necessário organização, criatividade e método para manter a saúde financeira.

Conscientização é a palavra-chave. Tome as rédeas da sua vida financeira e faça um diagnóstico. Quanto mais rápido você dimensionar o tamanho dos seus problemas, mais cedo poderá encontrar o caminho para solucioná-los. Existe um método eficiente de fazer isso em etapas. Então vamos lá!

Relacione os seus gastos. Saber exatamente qual é o seu rendimento mensal é mais relevante do que você imagina.

  1. Registre tudo: salário dos funcionários e encargos, pagamentos fixos a outras pessoas (contador, faxineira e etc.), gratificações diversas, pagamentos fixos a colegas e pessoal.
  2. Aluguel, condomínios, contas de água, luz, telefone, IPTU e reformas.
  3. Depreciação de computadores, impressoras, programas de computadores, suprimentos de informática, cursos de informática, manutenção de equipamentos, serviços especializados em informática e outros.
  4. Propaganda e marketing: mala direta, brindes, despesas fixas diversas com propaganda e divulgação, atrativos para pacientes (ex: revistas, gastos com café).
  5. Móveis, utensílios em geral: objetos de decoração, manutenção do imóvel (pintor, eletricista, encanador, materiais pera esta finalidade, lâmpadas, luminárias e outros), adaptações iniciais no imóvel (hidráulica, elétrica, piso especiais etc.).
  6. Outro ponto importante é determinar o valor do pró-labore. Ele entra como despesa do consultório. Pode ser determinado a partir da média das últimas “retiradas”, média de mercado ou pró-labore mínimo, que é o valor de nossas despesas pessoais mensais mais 10%.
  7. Devemos também avaliar a depreciação de todos os equipamentos do consultório. Somamos os valores de cada um e computamos esse valor todo mês. Essa é uma forma de termos dinheiro para futuras trocas de equipamentos.

Exemplo: Equipamento odontológico

Valor: R$ 14.000,00

Vida útil estimada: 10 anos (120 meses manutenção prevista: 25%= 14.000 x 0,25 = 3.500,00).

Valor residual: R$2.000,00 (é o valor que poderemos vender depois do uso)

Quantidade existente: 1 – Custo mensal: (14.000+3500 – 2000) / 120×1= R$102,91

  1. A formação profissional também é muito importante. Reserve recursos para este fim (curso de atualização, curso de especialização, outros cursos, participação em congressos, livros e revistas e outros).

Exemplo: Curso de pós-graduação

Valor total: R$28.000,00 dividido por 10 anos (120 meses) = 240,00. Então, devemos guardar esse valor mensalmente para futuramente fazermos um novo curso.

Agora sabemos qual é o custo mensal do nosso consultório. É fácil determinar quanto realmente a nossa empresa fatura por mês. Lembre-se que, a retirada é o pró-labore que computamos anteriormente; o que sobrar é o lucro.

O ideal é ter aplicado no banco pelo menos seis vezes o valor do nosso custo, para utilizarmos em meses de rendimento menor ou em caso de emergência. A cada seis meses ou um ano devemos repartir parte do lucro com nossos sócios.

No próximo artigo falaremos sobre cortes nos pequenos gastos, caracterização do seu padrão de vida e consumo consciente, entre outros tópicos.

 

✍️ Deixe seu comentário

📢 Compartilhe com os amigos

🕵 Siga nossas redes:

➡ Facebook

➡ Instagram

➡ Twitter

➡ Pinterest

➡ TikTok

 

Acesse nossa Loja Virtual e encontre a solução completa para você na Odontologia!

Comentários

6 Comentários
    • Olá Rosany, que bom que gostou!
      Para continuar recebendo artigos sobre o tema, não deixe de assinar nossa newsletter. Um abraço!

    • Olá Ana!
      Nosso colunista Ricardo Aguilar, é especialista em gestão e periodicamente dá várias dicas sobre o tema aqui no nosso Blog. Assine nossa newsletter para receber os artigos dele sempre em primeira mão. Um abraço 🙂

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.