Especial

O papel do dentista na prevenção e conscientização

O papel do dentista na prevenção e conscientização
Compartilhar | Comentar

Neste último artigo do ano, trago uma questão que julgo muito importante e que serve como reflexão para todos nós que trabalhamos na área da saúde. Na verdade, acredito fielmente que esta questão rege todas as nossas atividades clínicas na odontologia. Hoje vamos falar sobre a prevenção e conscientização!

Prevenir doenças é muito melhor do que remediá-las, já diz o ditado, não é mesmo?

Pois então, é uma verdade e não só um ditado popular. A prevenção é peça-chave em todos os processos de saúde, e a conscientização é uma palavra também fundamental nesse eixo. As políticas públicas de saúde na odontologia trabalham dentre outros tópicos, justamente a questão da prevenção e da conscientização junto aos cirurgiões-dentistas e à população. Assim sendo, por meio de medidas e ações conscientes e de cunho preventivo podemos promover e fortalecer a saúde do indivíduo. A saúde é um direito universal, portanto precisamos ter a consciência da nossa responsabilidade frente ao paciente.

A conscientização é o entendimento da existência da condição da doença

Além disso, envolve a compreensão de todos os processos que acontecem até que a doença se instale bem como a existência de fatores que podem interferir. Por isso, só poderemos prevenir aquilo que conhecemos, temos domínio e sabemos como intervir e evitar. E esta, quando realizada pelo profissional que é o detentor do conhecimento e possui os métodos para intervir, promoverá por sua vez, a conscientização do paciente. Dessa maneira a prevenção e conscientização estão conectadas, sendo desse modo impossível separá-las.

A prevenção só é possível por meio da conscientização.

É muito importante que tenhamos isso em mente para trabalhar junto aos nossos pacientes, instruindo-os da melhor forma, visando a prevenção de doenças. Lembrando aqui que existem uma variedade de doenças bucais que possuem manifestações sistêmicas bem como comprometimentos sistêmicos que apresentam alguma manifestação bucal. Esse entendimento e conexão nos orientam a trabalhar para manutenção da saúde bucal e geral (sistêmica) do nosso paciente.

Temos vários meses que celebram a conscientização, dentre eles o Abril Azul, onde é celebrado mundialmente a conscientização para o autismo. Já no mês de Maio, o alerta foi para a campanha de prevenção do câncer bucal, denominado de “Maio vermelho”. Mas, a prevenção não para por aí, num único mês! A escolha de um mês específico serve para chamar a atenção dos profissionais e da população e para que todas as ações daquele mês estejam voltadas para o foco principal.

Mas, a campanha deve ser realizada durante todo o ano por nós profissionais. Temos a responsabilidade de, sendo os detentores do conhecimento e das ações específicas, levar esse esclarecimento aos nossos pacientes. A nossa atitude enquanto profissionais responsáveis só irá contribuir para a melhoria da saúde física e mental do nosso paciente e consequentemente para a melhoria da sua qualidade de vida.

Então, lembre-se sempre: conscientizar para prevenir! Gostaram? Espero que tenha sido produtivo!

Um abraço!

Referências bibliográficas:

1. BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. 16 ed. Organização de Alexandre de Moraes. São Paulo: Atlas, 2000.
2. Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, da organização e funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências (Lei Orgânica da Saúde). Diário Oficial da União, Brasília, DF, 1990.
3. LEVCOVITZ, E; LIMA, L; MACHADO, C. Política de saúde nos anos 90: relações intergovernamentais e o papel das Normas Operacionais Básicas. Ciênc. saúde coletiva, São Paulo, v. 6, n. 2, p.269-293, 2001.

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.

  • Maria Beatriz Carrazzone Cal Alonso

    Confira todos os artigos do(a) Dr(a).
    Graduada FORP-USP; Especialização em Radiologia Odontológica FOP-UNICAMP; Mestrado em Radiologia Odontológica FOP-UNICAMP; Doutorado em Radiologia Odontológica FOP-UNICAMP; MBA em Gestão Educacional ESALQ-USP; Professora Associada dos Cursos de Graduação e Pós-Graduação UNILAGO- São José do Rio Preto/SP; Professora do Curso de Tecnólogo em Radiologia UNILAGO; Coordenadora do Curso de Odontologia UNILAGO; Professora Convidada do Curso de Especialização em Radiologia AORP-Ribeirão Preto/SP; Radiologista atuante na Teleodontologia. Experiência em: radiologia e imaginologia odontológica, diagnóstico por imagem, tomografia computadorizada por feixe cônico (Cone Beam), radiografia panorâmica, anatomia, análises radiomorfométricas, qualidade óssea maxilomandibular e correlação com doenças sistêmicas e osteoporose mandibular.
    Instagram