Implantodontia

A influência da Laserterapia no pós-operatório de implante dentário

A influência da Laserterapia no pós-operatório de implante dentário
Compartilhar | Comentar

No mundo de hoje, com o mercado da odontologia saturado, uma das saídas é ser um profissional diferenciado. A especialidade que mais possui dentistas inscritos – a Implantodontia – cresce e se destaca cada vez mais. E se além de técnica apurada, reabilitações bem-feitas e dentes novinhos em folha, você também pudesse oferecer mais conforto pós-operatório aos seus pacientes? Com uma terapia que acelera a cicatrização, tem características anti-inflamatórias e analgésicas?

Os benefícios da Laserterapia na Implantodontia

Os benefícios da Laserterapia são velhos conhecidos da área da saúde. Seu principal efeito, sentido diretamente pelos pacientes, é a diminuição da inflamação e da dor. O Laser* tem a capacidade de ativar processos bioquímicos provocando melhoria do reparo tecidual e restauração da função celular. Tudo que a gente quer depois de instalar um implante dentário.

Acima de tudo, queremos que a osseointegração aconteça. Que é o conceito base da Implantodontia onde observamos a formação óssea sobre a superfície de titânio dos implantes. Isso possibilita a posterior aplicação de forças mastigatórias sobre o parafuso. A aplicação de Laser de baixa potência logo após o procedimento cirúrgico do implante e na sessão pós-operatória subsequente vai dar mais conforto aos pacientes e acelerar processos de reparação e cicatrização.

Na odontologia em geral, a Laserterapia é utilizada, principalmente na especialidade de Estomatologia.

Lesões labiais por Herpes simples recorrente, se identificadas no início podem nem se manifestar por completo após algumas aplicações. O Laser também se faz presente no alívio de dor de mucosites, quielite angular, gengivite, aftas, parestesias, paralisias, nevralgias, após as sessões de raspagem periodontal, no tratamento de hipersensibilidade dentinária e no pós-operatório de cirurgias.

A interação do Laser com os tecidos depende da potência, tipo de tecido, comprimento de onda, quantidade de energia aplicada, distância focal e tempo de exposição.

O Laser como terapia para outras doenças

Podemos ainda encontrar o uso do Laser como terapia coadjuvante no tratamento da peri-implantite. Doença que afeta os implantes, podendo até levar a perda dos parafusos e dos dentes reabilitados. Até hoje não há consenso sobre qual é o melhor tratamento para este problema. Entretanto, a terapia fotodinâmica de associação do Laser com corante azul de metileno se mostra bastante eficiente na redução das bactérias do local afetado.

Os aparelhos de Laser de baixa potência disponíveis no mercado atualmente são ergonômicos, portáteis e fáceis de usar. Possuem poucos botões que alternam entre a luz vermelha e infra-vermelha e uma base para carregamento da bateria. Alguns deles lembram fotopolimerizadores. Nunca realize o uso do Laser sem os devidos óculos de proteção para os seus olhos e os olhos do paciente.

É de extrema importância que o cirurgião-dentista procure na literatura os melhores protocolos para atingir os objetivos de estimulação de reparação tecidual, analgesia e diminuição da inflamação com sucesso após as cirurgias de instalação de implantes. Lembrando que a terapia com Laser é um adicional, que pode fazer a diferença no sucesso do tratamento. A Laserterapia oferece mais conforto e proporciona aspecto novo e tecnológico que chama a atenção e agrega valor ao seu dia a dia.

Um Abraço!

*(Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation – Amplificação de Luz por Emissão Estimulada de Radiação).

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.