Dicas

A importância do pré-natal odontológico

A importância do pré-natal odontológico
Compartilhar | Comentar

O pré-natal odontológico é o momento que o dentista observa o estado de saúde bucal da gestante para evitar o agravamento de problemas já instalados e para prevenção de outras doenças bucais, visando contribuir para a saúde da gestante e do seu bebê.

O trabalho do dentista é prevenir ou tratar as doenças orais da gestante e esclarecer as dúvidas das futuras mamães, como aleitamento materno, hábitos e higiene oral. É importante salientar que problemas periodontais em gestantes podem levar ao nascimento de bebê prematuro ou de baixo peso, portanto o ideal é fazer uma avaliação odontológica preventiva antes de engravidar, quando possível.

Nesse período, a mulher se torna mais suscetível a doenças bucais, como a cárie. Um dos motivos é o conjunto de alterações hormonais típico desta fase, que modifica a saliva e o pH da boca. Além disso, o problema é que o conjunto: mudança na salivação, dos hábitos alimentares e da higiene formam o cenário perfeito para a cárie. Essa doença também é considerada um fator de risco ao desenvolvimento da criança. Isso porque a cárie pode trazer consigo a dor, que aumenta a produção de hormônios relacionados ao estresse, como a adrenalina e o cortisol, e podem ser prejudiciais ao feto.

Ao mesmo tempo, o estômago é comprimido pelo útero que está aumentado, e tem sua capacidade diminuída. Assim, a gestante adapta sua rotina alimentar, e pode passar a ingerir pequenas quantidades de alimentos diversas vezes ao dia. Ocorre que nem sempre o número de escovação acompanha esse aumento de refeições. Algumas gestantes costumam dizer que as náuseas são as principais culpadas, já que o enjoo aumenta na hora de escovar os dentes.

Existe também o risco de contaminação da criança, após seu nascimento, pelas bactérias da cárie presentes na boca da mãe. Pesquisadores acompanharam 16 dias de mães com seus filhos (faixa etária inicial entre 4 e 8 meses), por um período de 20 meses. Foi relatado na pesquisa que as mães foram as principais fontes de infecção de cárie para seus filhos, com uma taxa de ocorrência de transmissão de 81,3%.

O nosso trabalho como profissionais da saúde é sanar algumas dúvidas frequentes de nossas pacientes gestantes como, por exemplo:

1. Em que fase da gestação deve-se agendar uma consulta com o dentista?
Deve-se agendar a visita ao profissional assim que iniciar os cuidados do pré-natal. Estabelece-se a frequência das consultas odontológicas de acordo com a necessidade individual de cada gestante

2. Qual o período durante a gestação é o ideal para o tratamento odontológico?
A odontologia fornece condição segura de atendimento em qualquer fase da gestação, desde que se sigam todos os protocolos de segurança. O segundo trimestre é o melhor período para se fazer um tratamento odontológico, quando necessário

3. Sobre anestesia e medicamentos na gestação?
Na maior parte dos casos, radiografias, anestésicos dentais, medicação contra a dor e antibióticos (especialmente a tetraciclina) não são receitados durante o primeiro trimestre da gravidez, a não ser que sejam absolutamente necessários. Em caso de dúvidas em ministrar algum medicamento para a paciente gestante, entre em contato com o médico responsável.

4. Existem evidências de que as gestantes podem ser mais suscetíveis à náusea. Como resolver esse problema?
O profissional pode lançar mão de anestésicos tópicos em spray antes do atendimento, isso poderá amenizar o desconforto. O dentista pode contribuir para que a gestação siga com tranquilidade. O profissional deve estar preparado para orientar a paciente não somente do ponto de vista odontológico, mas promover mudanças na dieta da gestante para que ela tenha hábitos saudáveis de alimentação e, especialmente, sobre a importância do aleitamento materno, o que irá contribuir muito para a saúde da criança. O pré-natal odontológico é um processo simples que representa mais qualidade de vida para a mãe e para o filho, tanto durante a gestação, quanto para a vida toda.

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.