Harmonização Orofacial

Ácido hialurônico: saiba quando indicar!

Ácido hialurônico: saiba quando indicar!
Compartilhar | Comentar

Um procedimento simples e com resultados notáveis, o preenchimento facial com ácido hialurônico vem ganhando cada vez mais espaço. Afinal, é um procedimento seguro e que proporciona resultados rápidos. Como o ácido hialurônico já é um componente do organismo que está presente em todos os órgãos, sua interação com a derme é muito bem aceita.

Principais queixas dos pacientes

As rugas surgem com a diminuição da produção de colágeno e Ácido Hialurônico em nosso corpo. Essa substância é responsável pela firmeza e preenchimento da pele, por isso, quando em falta, causa o envelhecimento. Além disso, fatores externos como exposição solar sem proteção, má alimentação e vícios, como o fumo, também influenciam. Portanto, para garantir a pele firme novamente, o preenchimento com ácido hialurônico é uma das técnicas mais procuradas. Visto que confere hidratação, sustentação e preenchimento nas áreas que perderam volume, além de ser um processo seguro. 

Atualmente, a procura para preenchimento labial é a mais frequente. Existem várias técnicas, e cada uma deve ser usada de acordo com as necessidades dos pacientes, uma vez que cada indivíduo possui uma estrutura labial e gostos pessoais.

Além dos lábios, o ácido hialurônico pode ser aplicado nas seguintes regiões:

  • Sulco nasolabial;
  • Olheiras;
  • Preenchimento de malar;
  • Contorno mandibular;
  • Rugas mentonianas;
  • Nariz;
  • Rugas de expressão.

Vale ressaltar que para cada região da aplicação existe uma densidade de ácido hialurônico mais adequada, dos mais fluídos aos mais densos. Dentro da modalidade do preenchimento também entra o Skinbooster, que serve para hidratar a pele, levando o ácido mais fluído até a derme.

Quais as reações adversas com o uso do ácido hialurônico? 

A reação mais comum é o edema após a aplicação que vai cessando com o passar dos dias e em menos de duas semanas já desaparece. Para que seu paciente tenha uma recuperação em menos tempo, você pode indicar a aplicação de compressas de gelo nos primeiros dois dias após o procedimento. 

Como nem tudo que é bom dura para sempre, o preenchimento não é diferente! Portanto, o organismo absorve a substância e, em média de 1 ano ela precisa ser reaplicada para garantir a sustentação da derme. Porém, isso também varia de cada organismo, rotina e metabolismo de cada pessoa.

Um ponto interessante é que uma vez aplicado, a pele não volta ao seu formato inicial mesmo depois da reabsorção da substância. Desse modo, a sustentação aumenta gradativamente a cada aplicação, melhorando o aspecto da derme.

Ação do ácido hialurônico na pele

Como dito anteriormente, o AH é uma substância que já está presente em nosso organismo, porém com o passar dos anos a produção chega a diminuir cerca de 1/3. E, por consequência deixa a pele desidratada e sem densidade. O AH possui uma alta capacidade de reter água, absorvendo cerca de mil vezes o seu peso.

A ação da substância se dá quando aplicada na derme, uma camada mais profunda da pele, capaz de retê-la e cumprir com sua função de hidratar e preencher as rugas e marcas de expressão.

Veja o procedimento na prática

Recentemente, uma paciente chegou ao meu consultório com uma das queixas mais comuns: o lábio muito fino. Além disso, não estava satisfeita com o sulco nasolabial profundo, mais conhecido como bigode chinês. A aplicação do ácido foi realizada conforme abaixo:

acido hialuronico quando usar

  • Contorno: 0,1 ml
  • Ponto A – B: retroaplicação e apertar para fazer contorno;
  • Até o C quando lábio é muito fino e quer inverter;
  • Quando tem “código de barras” entra até o ponto B e retroaplica 2 vezes;
  • D: entra no ponto e desce até a transição lábio seco/ molhado com a agulha angulada e retroaplica 0,06;
  • O restante 0,04 entra novamente com a agulha e faz a projeção do tubérculo – agulha vem raspando o lábio;
  • Volumizar o inferior: mede a metade do lábio e marca o ponto E, entra no ponto central e retroaplica para os lados direito e esquerdo.

 

Referências

Maia, Ilma & de Oliveira Salvi, Jeferson. (2018). O USO DO ÁCIDO HIALURÔNICO NA HARMONIZAÇÃO FACIAL: UMA BREVE REVISÃO THE USE OF HYALURONIC ACID IN FACIAL HARMONIZATION: A BRIEF REVIEW. 

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdo como esse na sua caixa de entrada? Coloque seu email aqui embaixo que do resto a gente cuida.